Luísa da Grã-Bretanha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Luísa
Princesa da Grã-Bretanha e Irlanda
Retrato por Carl Gustaf Pilo, 1747.
Rainha Consorte da Dinamarca e Noruega
Reinado 6 de agosto de 1746
a 19 de dezembro de 1751
Coroação 4 de setembro de 1747
Predecessora Sofia Madalena de Brandemburgo-Kulmbach
Sucessora Juliana Maria de Brunsvique-Volfembutel
 
Marido Frederico V da Dinamarca
Descendência Sofia Madalena da Dinamarca
Guilhermina Carolina da Dinamarca
Cristiano VII da Dinamarca
Luísa da Dinamarca
Casa Hanôver (por nascimento)
Oldemburgo (por casamento)
Nascimento 18 de dezembro de 1724
  Casa Leicester, Londres,
Grã-Bretanha
Morte 19 de dezembro de 1751 (27 anos)
  Palácio de Christiansborg, Copenhague, Dinamarca
Enterro Catedral de Roskilde, Roskilde, Dinamarca
Pai Jorge II da Grã-Bretanha
Mãe Carolina de Ansbach

Luísa (Londres18 de dezembro de 1724 – Copenhague19 de dezembro de 1751) foi a primeira esposa do rei Frederico V e rainha consorte do Reino da Dinamarca e Noruega de 1746 até sua morte. Era a filha mais nova do rei Jorge II da Grã-Bretanha e sua esposa Carolina de Ansbach.

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

A princesa Luísa nasceu no dia 7 de dezembro de 1724, sendo a quinta criança nascida de Jorge, Príncipe de Gales e Carolina de Ansbach, em Leicester House, Londres. Foi lá baptizada no dia 22 de dezembro. Os seus padrinhos foram a sua irmã mais velha, a princesa Amélia da Grã-Bretanha, a sua prima, a princesa Luísa Ulrica da Prússia, representada na cerimónia por Sarah Lennox, duquesa de Richmond e Lennox, e o seu primo, o príncipe-herdeiro Frederico da Prússia, representado na cerimónia por Henry de Nassau d'Auverquerque, 1.º Conde de Grantham.[1]

No dia 11 de junho de 1727, quando Luísa tinha dois anos de idade, o seu avô, o rei Jorge I, morreu e o seu pai subiu ao trono como Jorge II.[2]

Casamento[editar | editar código-fonte]

O casamento foi proposto pela Grã-Bretanha. Na época do casamento, tanto a França quanto a Grã-Bretanha desejavam fazer uma aliança com a Dinamarca, e a Grã-Bretanha tinha a vantagem de fazer uma aliança matrimonial por questões religiosas. Luísa casou-se, no dia 11 de dezembro de 1743, em Altona, Holstein, com o príncipe Frederico da Dinamarca e Noruega, na esperança por parte do rei dinamarquês, que, com esta aliança, viesse também o apoio britânico à pretensão do filho ao trono sueco.[3]

O casal teve cinco filhos, um dos quais não sobreviveu à infância. Embora o casamento fosse arranjado, o casal se dava muito bem, e seu relacionamento foi descrito como feliz. Frederico sentia-se à vontade com ela e Luísa fingia que não sabia do seu adultério. Luísa rapidamente se fez popular na corte dinamarquesa, e seu sogro o rei Cristiano VI, observou que ela parecia-lhe ser gentil e agradável.

Rainha[editar | editar código-fonte]

Luísa, por Carl Gustaf Pilo em 1751.

Quando o seu marido subiu ao trono da Dinamarca e Noruega no dia 6 de agosto de 1746 com o nome de Frederico V, Luísa tornou-se sua rainha-consorte.

Luísa era muito querida na Dinamarca[4] e a sua popularidade também influenciava a do marido. Com o seu interesse em música, dança e teatro, o casal deu à corte um tom mais descontraído do que durante o reinado hipocritamente pietista de seus sogros. Em 1747 el conseguiu fazer com que a aclamada companhia de ópera italiana de Pietro Mingotti atuasse no teatro da corte e, em 1748 a trupe francesa "Du Londel" foi convidada para atuações dramáticas. Luísa foi também muito elogiada pelos seus esforços em falar dinamarquês, uma vez que quase toda a corte falava alemão.

O esforço a que ela se propôs de falar sempre em dinamarquês com os filhos foi muito apreciado.[5] A rainha era descrita como bem educada e articulada, simpática e conversadora, não muito bonita, mas muito digna e bem preparada para seu papel de rainha. Um diplomata sueco escreveu sobre a rainha:

"Ela tem bom senso e é fácil com palavras, tão amigável, sabe conversar sobre muitos assuntos e pode falar várias línguas, ao dar corte, ela raramente deixa alguém dizer algo. Ela gosta muito de dança e dança bem, tem bom temperamento e é conhecida por sua piedade e excelentes qualidades, gosta de ler e tocar música, toca bem piano e ensina suas filhas a cantar ".

A rainha Luísa opôs-se sem sucesso ao casamento dinástico entre sua filha Sofia Madalena e o Príncipe Herdeiro da Suécia. A razão era, o medo de que sua filha não fosse bem tratada pela rainha da Suécia, Luísa Ulrica da Prússia, que era conhecida por suas opiniões anti-dinamarquesas e por se opor ao casamento, e sabia-se que ela era a verdadeira governante na corte sueca.

Morte[editar | editar código-fonte]

Luísa faleceu de complicações após sofrer um aborto, enquanto carregava uma sétima criança. Sua morte foi muito sentida na corte, e seu velório foi realizado com grande pompa por parte do estado. Seu sarcófago se encontra na Catedral de Roskilde, na Dinamarca.

Descendência[editar | editar código-fonte]

Nome Nascimento Morte Notas
Lorens Pasch the Younger - Portrait of Queen Sophie-Magdalene - WGA17059.jpg Sofia Madalena da Dinamarca 3 de julho de 1746 21 de agosto de 1813 Casou-se com Gustavo III da Suécia, com descendência.
Kurfürstin Wilhelmine Caroline von Hessen-Kassel.jpg Guilhermina Carolina da Dinamarca 10 de julho de 1747 14 de janeiro de 1820 Casou-se com Guilherme I de Hesse-Cassel, com descendência.
Christian VII 1772 by Roslin.jpg Cristiano VII da Dinamarca 29 de janeiro de 1749 13 de março de 1808 Casou-se com Carolina Matilde da Grã-Bretanha, com descendência.
Princess Louise of Denmark (1750–1831).jpg Luísa da Dinamarca 20 de janeiro de 1750 12 de janeiro de 1831 Casou-se com Carlos de Hesse-Cassel, com descendência.

Ancestrais[editar | editar código-fonte]