Sílvia da Suécia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2014). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Sílvia
Sílvia em 2013
Rainha Consorte da Suécia
Reinado 19 de junho de 1976
presente
Predecessora Luísa Mountbatten
Marido Carlos XVI Gustavo da Suécia
Descendência
Vitória, Princesa Herdeira
Carlos Filipe, Duque de Värmland
Madalena, Duquesa de Hälsingland e Gästrikland
Nome completo
Sílvia Renata Sommerlath
Casa Bernadotte (por casamento)
Pai Walther Sommerlath
Mãe Alice Soares de Toledo
Nascimento 23 de dezembro de 1943 (72 anos)
Heidelberg, Alemanha Nazista
Religião Igreja da Suécia
Assinatura

Sílvia Renata Sommerlath (Heidelberg, 23 de dezembro de 1943) é a esposa do rei Carlos XVI Gustavo e rainha consorte do Reino da Suécia desde 1976. Eles têm três filhos: Vitória, Princesa Herdeira, Carlos Filipe, Duque de Värmland e Madalena, Duquesa de Hälsingland e Gästrikland.[1]

Família[editar | editar código-fonte]

Sílvia Renata Sommerlath nasceu em Heidelberg, Alemanha, dia 23 de dezembro de 1943. É a mais nova de três crianças, filha do empresário alemão Walther Sommerlath (que tornou-se presidente da subsidiária brasileira da metalúrgica Uddeholm) e da brasileira Alice Soares de Toledo. Seu avô materno foi Artur Floriano de Toledo (1873-1935), um descendente do rei Afonso III de Portugal e sua amante, Maria Peres de Enxara. [2] A rainha tem dois irmãos: Ralf e Walther Sommerlath. Seu terceiro, Jörg Sommerlath faleceu em 2006. A família Sommerlath viveu em São Paulo, Brasil, entre 1947 e 1957, onde Sílvia estudou no tradicional colégio alemão Colégio Visconde de Porto Seguro. A família retornou para a Alemanha Ocidental em 1957.

Educação[editar | editar código-fonte]

Primeira educação[editar | editar código-fonte]

Em 1963 completou seus estudos secundários em Düsseldorf.

Ensino superior[editar | editar código-fonte]

Em 1969 graduou-se em interpretação em Munique, especializada em língua espanhola.

Carreira profissional[editar | editar código-fonte]

No início dos anos 1970 trabalhou junto ao consulado argentino em Munique, durante os Jogos Olímpicos de Verão de 1972. Trabalhou como diretora do protocolo dos Jogos de Inverno em Innsbruck, na Áustria, e, brevemente, como comissária de bordo.

Intérprete, Sílvia fala seis línguas: sueco, alemão, francês, espanhol, português e inglês. Além disso, é fluente na língua de sinais para deficientes auditivos.

Namoro e casamento real[editar | editar código-fonte]

O rei e a rainha da Suécia durante o casamento da princesa Vitória.

Namoro[editar | editar código-fonte]

Durante os Jogos Olímpicos de Munique em 1972, Sílvia Sommerlath conheceu o então príncipe herdeiro Carlos Gustavo da Suécia. Numa entrevista seguinte, o futuro rei lhe disse que eles combinavam bem.

Noivado[editar | editar código-fonte]

Com a morte do rei Gustavo VI Adolfo da Suécia em 14 de setembro de 1973, Carlos Gustavo foi entronizado rei, cinco dias depois. Ele e Sílvia anunciaram seu noivado em 12 de março de 1976. [3]

Casamento[editar | editar código-fonte]

Casaram-se três meses mais tarde, em 19 de junho, na Catedral Storkyrkan, Estocolmo. Foi o primeiro casamento de um monarca sueco reinante desde 1797. Se eles tivessem casado durante o reinado do rei Gustavo VI Adolfo da Suécia, ele perderia o direito ao trono sueco.[necessário esclarecer]

Em celebração ao casamento, foi realizado um baile de gala no dia 18 de junho de 1976, com a presença do rei Carlos XVI Gustavo da Suécia, a futura rainha Sílvia e seus pais, Walther e Alice. O famoso grupo pop ABBA executou a música Dancing Queen na televisão sueca uma noite antes da cerimônia. A música não foi composta em homenagem à futura rainha, segundo os integrantes, mas foi um dos pontos altos da festa.

Segundo Sílvia, os filhos foram educados como crianças comuns, apesar dos títulos e dos compromissos com o trono sueco. Até a educação secundária, os príncipes estudaram em escolas públicas. A educação da princesa Vitória foi mais intensa, em função da responsabilidade que terá como futura monarca, mas a base psicológica repassada por Sílvia a todos os filhos foi fundamental para a princesa herdeira.

Como a rainha Sílvia moroudo aproximadamente dez anos no interior de São Paulo, Brasil, o casal proporcionou aos filhos uma vida mais próxima ao campo. Assim, deram-lhes o respeito à natureza e à vida simples.

Vida como rainha[editar | editar código-fonte]

Culta, elegante, educada e reconhecida pela simplicidade e simpatia, a rainha Sílvia é admirada não apenas pelo cumprimento de suas atribuições, mas também pelo engajamento em projetos sociais importantes. Em 1999, Sílvia da Suécia fundou a World Childhood Foundation, com o objetivo de promover melhores condições de vida e de defesa do direito das crianças contra a pobreza e o abuso sexual. A instituição está presente em quatorze países e realiza mais de cem programas.

A 13 de janeiro de 1987 recebeu a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo e a 2 de maio de 2008 recebeu a grã-cruz da Ordem do Infante D. Henrique.[4]

Ascendência real[editar | editar código-fonte]

O seu avô materno era Artur Floriano de Toledo (1873-1935), um descendente do rei Afonso III de Portugal e sua concubina Maria Peres de Enxara. Artur era o bisneto de Antónia de Almeida de Aguiar, uma descendente de umas famílias de fidalgos estabelecidas em São Paulo, durante o período colonial Português, entre eles a família Alvarenga de Lamego, Portugal. Ela também é de muito distante ascendência ameríndia brasileira. Um de seus antepassados ​​era o chefe indígena Tibiriçá de Piratininga.[5]

Descendência[editar | editar código-fonte]

Nome Nascimento Casamento
Data | Cônjuge
Seus filhos
Vitória, Princesa Herdeira 14 de junho de 1977 19 de junho de 2010 Daniel Westling Estela, Duquesa da Gotlândia Oriental
Óscar, Duque da Escânia
Carlos Filipe, Duque de Värmland 13 de maio de 1979 13 de junho de 2015 Sofia Hellqvist Alexandre, Duque de Södermanland
Madalena, Duquesa de Hälsingland e Gästrikland 20 de junho de 1982 8 de junho de 2013 Christopher O'Neill Leonor, Duquesa da Gotlândia
Nicolau, Duque de Ångermanland

Referências

  1. Ernby, Birgitta; Martin Gellerstam, Sven-Göran Malmgren, Per Axelsson, Thomas Fehrm (2001). «Silvia». Norstedts första svenska ordbok (em sueco) (Estocolmo: Norstedts ordbok). p. 555. ISBN 91-7227-186-8. 
  2. «Ancestry of Queen Silvia of Sweden» (em inglês). Consultado em 30 de março de 2013. 
  3. http://veja.abril.com.br/acervodigital/home.aspx --- Revista Veja Ed. 393 Mar/1976 - página 66
  4. «Cidadãos Estrangeiros Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Rainha Sílvia". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 2016-04-07. 
  5. http://www.wargs.com/royal/silvia.html

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Sílvia da Suécia
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Sílvia da Suécia


Sílvia Sommerlath
23 de dezembro de 1943
Precedida por
Luísa Mountbatten
Greater coat of arms of Queen Silvia of Sweden.svg
Rainha Consorte da Suécia
19 de junho de 1976 – presente
Incumbente