Blekinge (província)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a província histórica. Para o condado, veja Blekinge (condado).
Blekinge
Blekinge coat of arms.png
Região histórica Gotalândia
Condados atuais Blekinge vapen.svg Blekinge
Localização na Suécia
Sverigekarta-Landskap Blekinge.svg
Dados
Área total 3.055 km2
População 159 371 [1] habitantes
(2017)
Densidade 49,33 hab./km²
Ponto culminante Rävabacken
189 metros
Maior lago Halen
Maior cidade Karlskrona
Símbolos da província
Flor Verbascum
Animal Vacaloura
Peixe Bacalhau

Blekinge ou Blecíngia (em sueco: Blekinge, pronúncia aproximada blê-quinhe) é uma província histórica (landskap) da Suécia, localizada na região histórica (landsdel) de Gotalândia (Götaland). [2] [3]

Blekinge é uma pequena província do sudeste da Suécia. Ocupa 0,7% da área total do país, e tem uma população de 159 371 habitantes. Está limitada a norte pela Småland, a leste e a sul pelo Mar Báltico, e a oeste pela Escânia. É conhecida como ”o jardim da Suécia”, tendo também um belo arquipélago costeiro. [2] [4] [5] [3]

Como província histórica, Blekinge não possui funções administrativas, nem significado político, mas está diariamente presente nos mais variados contextos, como por exemplo em Blekingesjukhuset (hospital), Museu de Blekinge e Blekinge Tekniska Högskola (escola técnica superior). [2] [6] [7] [8]

Etimologia e uso[editar | editar código-fonte]

O nome geográfico Blekinge deriva de "Blek", o nome em dinamarquês antigo de uma "baía com águas tranquilas" no sudoeste da província. O termo está registado desde o século XII como "Blegunc", "Blekung", "Bleking" e "Blekinge". Em textos em português costuma ser usada a forma original "Blekinge". [9]

Em latim, Blekinge aparece traduzido como Blekingia, Blecingia, Blecongia, Blechingia, Blecinga.

Província histórica e condado atual[editar | editar código-fonte]

A província histórica de Blekinge coincide inteiramente com o atual condado de Blekinge.[10]

História[editar | editar código-fonte]

Mapa de Blekinge de 1735

Blekinge é mencionada pela primeira vez no século IX pelo mercador e explorador Vulfstano. Segundo ele, a região pertencia à esfera de influência dos Suíones. Terá sido cristianizada no século XI, estando então integrada na Arquidiocese de Hamburgo-Bremen. Pertenceu à Dinamarca durante a maior parte da Idade Média, tendo sido definitivamente incorporada na Suécia em 1658, pelo Tratado de Roskilde. Na Era do Império Sueco viveu um período de grandeza, tendo então sido fundads as cidades de Karlskrona e Karlshamn. Depois destes tempos, a província adormeceu calmamente.[11][12][13]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Do Planalto do Sul da Suécia até à costa do Mar Báltico, Blekinge apresenta três degraus sucessivos:

  • A região florestal (Skogsbygden), com muitas coníferas.
  • A região média (Mellanbygden), com campos agrícolas e lagos, salpicados de faias e carvalhos.
  • A região costeira (Kustbygden), com muitas praias e ilhas verdejantes.

Três rios, provenientes da Småland, passam por estas três zonas e desaguam no Mar Báltico: Morrum, Ronneby e Lyckeby. De entre as numerosas ilhas do arquipélago de Blekinge, há a destacar Sturkö. As principais cidades são Karlskrona (cidade naval histórica), Karlshamn (porto) e Ronneby (cidade termal).[14][15][16][17]

O clima de Blekinge tem um carácter temperado marítimo, com invernos relativamente suaves e verões agradáveis. Os outonos são amenizados pelo ar aquecido pelo Mar Báltico, cujas águas estiveram expostas ao sol do verão anterior.[18]

Maiores centros urbanos[editar | editar código-fonte]

Cidades e municípios de Blekinge

Património histórico, cultural e turístico[editar | editar código-fonte]

Comunicações[editar | editar código-fonte]

A província de Blekinge é atravessada pela E22, seguindo a orla costeira desde a Escânia até à Småland.[20]

Personalidades ligadas à província[editar | editar código-fonte]

Harry Martinson - escritor nascido em Blekinge

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Folkmängd i landskapen den 31 december 2017» (em sueco). Instituto Nacional de Estatística da Suécia. Consultado em 29 de outubro de 2018. 
  2. a b c Ulf Sporrong. «Landskap» (em sueco). Nationalencyklopedin (Enciclopédia Nacional Sueca). Consultado em 11 de junho de 2015. 
  3. a b «Blekinge» (em inglês). Encyclopædia Britannica ( Enciclopédia Britânica). Consultado em 4 de agosto de 2018. 
  4. Dahlberg, Inger (2009). «Blekinge». Se Sverige (em sueco). Estocolmo: Liber. p. 23. 440 páginas. ISBN 978-91-47-80879-3 
  5. Ernby, Birgitta; Martin Gellerstam, Sven-Göran Malmgren, Per Axelsson, Thomas Fehrm (2001). «Blekinge». Norstedts första svenska ordbok (em sueco). Estocolmo: Norstedts ordbok. p. 76. 793 páginas. ISBN 91-7227-186-8 
  6. http://ltblekinge.se/Halsa-och-vard/Hitta-vard-i-Blekinge/Blekingesjukhuset/
  7. http://ltblekinge.se/Halsa-och-vard/Hitta-vard-i-Blekinge/Blekingesjukhuset/
  8. https://www.bth.se/
  9. Wahlberg, Mats (2003). «Blekinge». Svenskt ortnamnslexikon (Dicionário dos nomes das localidades suecas) (em sueco). Uppsala: Språk- och folkminnesinstitutet e Institutionen för nordiska språk vid Uppsala universitet. p. 39. 422 páginas. ISBN 91-7229-020-X 
  10. Ernby, Birgitta; Martin Gellerstam, Sven-Göran Malmgren, Per Axelsson, Thomas Fehrm (2001). «Blekinge län». Norstedts första svenska ordbok (em sueco). Estocolmo: Norstedts ordbok. p. 76. 793 páginas. ISBN 91-7227-186-8 
  11. Miranda, Ulrika Junker; Anne Hallberg (2007). «Blekinge». Bonniers uppslagsbok (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag. p. 101. 1143 páginas. ISBN 91-0-011462-6 
  12. Örjan Martinsson. «Blekinge» (em sueco). Tacitus.nu. Consultado em 16 de fevereiro de 2018. 
  13. Magnusson, Thomas; Peter A. Sjögren (2004). «Blekinge». Vad varje svensk bör veta (O que todos os suecos devem saber) (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag e Publisher Produktion AB. p. 202. 654 páginas. ISBN 91-0-010680-1 
  14. Miranda, Ulrika Junker; Anne Hallberg (2007). «Blekinge». Bonniers uppslagsbok (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag. p. 101. 1143 páginas. ISBN 91-0-011462-6 
  15. Rydstedt, Bjarne; Georg Andersson, Torsten Bladh, Per Olof Köhler, Karl-Gustaf Thorén, Mona Larsson (1987). «Blekinge». Land och liv 1 (em sueco). Estocolmo: Natur och kultur. p. 39. 216 páginas. ISBN 91-27-62563-X 
  16. «Blekinge». Sveriges landskap. och Stockholm, Göteborg och Malmö (em sueco). Estocolmo: Almqvist & Wiksell. 1995. p. 6-7. 64 páginas. ISBN 91-21-14445-1 
  17. Magnusson, Thomas; Peter A. Sjögren (2004). «Blekinge». Vad varje svensk bör veta (O que todos os suecos devem saber) (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag e Publisher Produktion AB. p. 203. 654 páginas. ISBN 91-0-010680-1 
  18. «Blekinge - Previsão do tempo». Storm 247. Consultado em 5 de junho de 2018. 
  19. Ottosson, Åsa; Mats Ottosson (2012). «Det bästa av Blekinge». Upplev det bästa i Sverige. Topplistor landskap för landskap (em sueco). Estocolmo: Bonnier Fakta. p. 6. 118 páginas. ISBN 978-91-7424-212-6 
  20. Magnusson, Lars (2005). «CAPÍTULO». Se Sverige. Vägvisare till 650 smultronställen från Ales stenar till Överkalix (em sueco). Estocolmo: Prisma e Svenska turistföreningen. p. PÁGINA. 288 páginas. ISBN 91-518-4471-0 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Blekinge (província)


Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Suécia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.