Brazilian Film Festival of Toronto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O BRAFFTV - Brazilian Film & Television Festival of Toronto (Festival de Cinema Brasileiro em Toronto), é um festival de cinema brasileiro realizado no exterior e apresenta anualmente filmes brasileiros na cidade de Toronto, no Canadá. O festival tem como missão promover o cinema brasileiro no Canadá e criar uma plataforma de mercado para diretores, produtores e atores. Dentre suas atividades estão mostras competitivas e de convidados, oficinas, colóquio internacional, visita técnica a estúdios de cinema e "networking".

Sobre o festival[editar | editar código-fonte]

Criado em 2006, o BRAFFTV é produzido pelas empresas Southern Mirrors (Canadá) e Puente (Brasil), com direção da atriz Bárbara de la Fuente e da jornalista Cecilia Queiroz.

O festival inclui as mostras Competitiva, de Convidados, Brah-zoo-kah (filmes realizados por brasileiros residentes no exterior) e O Brasil visto por outros olhos (filmes de cineastas estrangeiros sobre o Brasil). A Mostra Competitiva recebe anualmente cerca de 300 inscrições e os selecionados concorrem ao troféu Golden Maple nas categorias curta/média e longa-metragem. A curadoria é responsável por selecionar os filmes que vão ser mostrados.

Um júri internacional elege o Melhor Filme, Direção, Ator, Atriz (curta/média ou longa) e o Melhor Documentário. Os espectadores participam de uma votação durante o festival e elegem o Melhor Filme de Público (curta/média ou longa).

Para o público do BRAFFTV são oferecidos oficinas, seminários e debates sobre a cultura, a sociedade e o cinema brasileiro e sua forma de produção audiovisual.

Um Colóquio Internacional - BRAFFTV Film & Media International Conference - reúne especialistas do mundo inteiro para discutir pesquisas e trabalhos na área de mídia, televisão e cinema.

O BRAFFTV inclui atividades ligadas à indústria cinematográfica, com visita técnica, apresentação de pilotos para compradores com vistas ao fomento de negócios entre os dois países.

Histórico[editar | editar código-fonte]

O festival teve sua primeira edição em 2007 como mostra não-competitiva, e passou a ter premiações a partir de 2008, nas categorias de curta/média e longa-metragem. Em 2011, passou a haver ainda uma premiação para o melhor documentário. Em 2012, para homenagear os vencedores da quinta edição (2011), o BRAFFTV realizou uma Cerimônia de Premiação na Cinemateca Brasileira, em São Paulo, Brasil.

Atores e atrizes como Selton Mello, Alice Braga, Cauã Reymond, Fernanda Montenegro, Glória Pires, Leandra Leal, Daniel de Oliveira e filmes como Meu nome não é Johnny, O Palhaço, Boca do Lixo, Loki - Arnaldo Baptista e Simonal - Ninguém Sabe o Duro que Dei já foram contemplados com o Golden Maple.

Premiações[editar | editar código-fonte]

Curta / média-metragem[editar | editar código-fonte]

Melhor filme[editar | editar código-fonte]

  • 2014: "O sol pode cegar" (Toti Loureiro)
  • 2013: "Sorry" (The Wolfpack)
  • 2012: "Qual queijo você quer?"
  • 2011: empate entre "A fábrica" e "Segundo movimento para piano e costura"
  • 2010: "Anjos do meio da praça"
  • 2009: "Sildenafil"
  • 2008: "Subsolo"

Melhor ator[editar | editar código-fonte]

Melhor atriz[editar | editar código-fonte]

  • 2014: Melissa Arievo ("O sol pode cegar")
  • 2013: Lea Garcia ("Acalanto")
  • 2012: Fernanda Montenegro ("A dama do Estácio")
  • 2011: Adriana Pires ("Segundo movimento para piano e costura")
  • 2010: o juri deliberou não premiar nenhuma atriz
  • 2009: Marília Medina ("Sildenafil")
  • 2008: Carla Marins ("Subsolo")

Melhor direção[editar | editar código-fonte]

Júri Popular[editar | editar código-fonte]

  • 2015:
  • 2014: Um sonho severino (Danilo Baracho)
  • 2013: Berço de Ferro (Rafaela Galindo)
  • 2012: "Lápis de Cor" (Alice Gomes)
  • 2011: "Os Magníficos"
  • 2010: "Ernesto no país do futebol"
  • 2009: "De braços abertos"
  • 2008: "Os filmes que não fiz"

Melhor documentário[editar | editar código-fonte]

  • 2014: "Tarja Branca" (Cacau Rhoden)
  • 2013: "Amazônia Eterna" (Belisario Franca)
  • 2012: "Paralelo 10" (Silvio Da-Rin)
  • 2011: "Doce Brasil holandês" (Monica Schmiedt)

Longa-metragem[editar | editar código-fonte]

Melhor filme[editar | editar código-fonte]

Melhor ator[editar | editar código-fonte]

Melhor atriz[editar | editar código-fonte]

Melhor direção[editar | editar código-fonte]

Júri Popular[editar | editar código-fonte]

Menção honrosa[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]