Budô

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Budo)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Budô (em japonês: 武道; lit. caminho marcial) são as artes ou caminhos marciais de origem japonesa.

São considerados a versão moderna do antigo bujutsu (em japonês: 武術; lit. técnica marcial), as artes marciais tradicionais.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Budô[editar | editar código-fonte]

Budô é um composto da raiz bu (em japonês: 武:ぶ), que significa a relativo a guerra ou as artes marciais, e (em japonês: 道:どう), o caminho de sentido ou forma. Especificamente, Dō é derivada do sânscrito "marga" budista (o que significa o "caminho" para a iluminação). O termo remete à ideia de formulação de proposições, submetê-los à crítica filosófica e, em seguida, na sequência de um "caminho" para realizá-los. Significa um "modo de vida". No contexto japonês, é um termo experiencial, no sentido de que a prática (o modo de vida) é a norma para verificar a validade da disciplina cultivada através de uma determinada forma de arte. O budô moderno não tem nenhum inimigo externo, só o inimigo interno, uma de ego que deve ser combatido (estado de Mushin-Muga).

Budô e bujutsu[editar | editar código-fonte]

Bujutsu é um composto de raízes bu (em japonês: ) e jutsu (em japonês: 术:じゅつ) que significa ciência, ofício, ou arte. O budô é mais freqüentemente traduzido como "o caminho da guerra", ou "caminho marcial ", enquanto bujutsu é traduzido como "ciência da guerra" ou "ofício marcial". No entanto ambos, budô e bujutsu, são utilizados com o termo "arte marcial".

O budô e o bujutsu tem uma diferença bastante delicada. Enquanto o bujutsu só dá atenção para a parte física de luta (a melhor maneira de derrotar um inimigo), o budô também dá atenção para a mente e como se deve desenvolver-se. O budô moderno usa aspectos do estilo de vida dos samurais do Japão feudal e os traduz para o auto-desenvolvimento na vida moderna.

História[editar | editar código-fonte]

O bujutsu era um conjunto de disciplinas marciais que podiam ser treinadas apenas pelos bushi (ou samurais) visando seu uso em batalha. Alguns exemplos são: kenjutsu (técnica da espada), iaijutsu (técnica de desembainhar a espada), sojutsu (técnica da lança), kyujutsu (técnica do arco), naginatajutsu (técnica da alabarda), jujutsu (técnica suave), aikijujutsu (técnica suave com harmonização do ki), entre outros.

O Ninjútsu era o conjunto das técnicas usadas pelos Ninjas. Incluía táticas de guerrilha, guerra psicológica, arte do disfarce, espionagem, combate corpo a corpo, etc. Durante a II Guerra Mundial, o Japão ensinou técnicas ninjas a espiões num centro de treinamento secreto.[1]

A partir do Xogunato Tokugawa (século XVII), com a estabilização e pacificação do Japão, o bujutsu começa a perder sua importância como instrumento de guerra, tornando-se obsoleto em função do surgimento de armamentos modernos. Após a restauração Meiji, que terminou com o Xogunato e a sociedade estratificada, a classe guerreira deixou de existir e, assim, nada mais restava das antigas circunstâncias que sustentavam as tradicionais técnicas de guerra.

Jigoro Kano, criador do judô, é considerado o originador do budô moderno. No final do século XIX, o bujutsu estava em declínio no Japão, em franco processo de extinção. Porém, Kano, estudante de jujutsu, viu nas artes marciais um grande potencial como ferramenta educacional. Para isso, ele compilou diversos estilos de jujutsu, eliminando algumas técnicas excessivamente traumáticas e adicionando outras criadas por ele mesmo, sintetizando um novo estilo de jujutsu que ele batizou de judô, em 1882. Porém, o judô não se tratava apenas de uma modalidade de luta, pois Kano incorporou à sua arte elementos filosóficos que enfatizavam valores como respeito, coragem, humildade, justiça, auto-controle, dignidade e honra[2], de forma que sua modalidade servia não apenas como educação física e defesa pessoal, como também educação moral dos praticantes. A visão de Kano para o judô era uma ferramenta educacional para ser aplicada no Japão e também exportada para o resto do mundo[3]. E ele conseguiu justamente isso: tornando-se mais tarde membro da Câmara dos Pares no Japão, instituiu o judô como disciplina oficial em todo o Japão[4] (o que continua até hoje). Conseguiu também a disseminação do judô por todo o mundo (hoje praticado em 204 países[5]) e inclusão do judô nas Olimpíadas.

O papel de Jigoro Kano para o surgimento do budô foi decisivo para o destino das artes marciais no mundo todo, pois ele resgatou as artes marciais japonesas que estavam em franco processo de extinção, garantindo sua preservação. Seu exemplo foi seguido pelas demais disciplinas de artes marciais japonesas, levando à criação das demais artes modernas como o Kendo, Kyudo, Aikido, Karatê-do, etc.

Isso representou a preservação do patrimônio marcial japonês, e sua abertura para a sociedade em geral, pois antes as técnicas marciais eram restritas às classes guerreiras (samurais).

Para preservar o patrimônio marcial japonês foram necessárias mudanças para se conformar com os novos tempos. Uma das mudanças foi a dos objetivos. A nova finalidade não poderia ser mais a guerra, já que boa parte das técnicas, já naquela época, eram anacrônicas tendo em vista os equipamentos e armamentos modernos. Outra mudança foi em relação ao público que tinha acesso às antigas técnicas: os samurais já não existiam.

A nova finalidade foi explicitar o caráter formador e educacional em detrimento da busca pela eficiência letal. Através do treino das técnicas se cultivaria corpo, mente e espírito para o auto-desenvolvimento. E as técnicas estavam abertas para toda a sociedade. Por essas razões, muitas técnicas foram adaptadas e algumas até eliminadas. Não deveriam ser mais, técnicas que visavam a guerra e a morte, exclusivas dos samurais, mas caminhos educacionais para o aperfeiçoamento humano que estavam ao alcance de qualquer um. Esta é a origem do budô.

Alguns budô[editar | editar código-fonte]

O judô (柔道 - caminho suave) foi um dos primeiros budô modernos.

Seguindo este exemplo, vieram diversas outras como o kendô (剣道 - caminho da espada),o Aikibudo Jujutsu (合 気 気 道柔術 - suavidade e harmonia para a prática da guerra), o iaidô (居合道 - caminho de desembainhar a espada), o kyudo (弓道 - caminho do arco), o naguinata-do (薙刀道 - caminho da alabarda), o aikidô (合気道 - caminho da harmonização do ki), o karatê-dô (空手道 - caminho das mãos vazias) e assim por diante.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Japan Daily Press - WWII Ninjas? Secret spy school taught ninjutsu skills to soldiers. 21 de Junho de 2012. Página acessada em 21/10/2013.
  2. «IJF.org - International Judo Federation». schools.ijf.org. Consultado em 17 de fevereiro de 2021 
  3. Watson, Brian (2012). Memórias de Jigoro Kano: O Início Da História Do Judô. [S.l.]: Cultrix 
  4. «Kano, Jigoro | Portraits of Modern Japanese Historical Figures». www.ndl.go.jp (em inglês). Consultado em 17 de fevereiro de 2021 
  5. «Countries / IJF.org». www.ijf.org. Consultado em 17 de fevereiro de 2021