Esgrima crioula

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Esgrima crioula
Facão contra adaga
Informação geral
Prática Arte marcial
Foco Armas (Facão, Adaga e Faca)
Dureza Contato pleno
Outras informações
Esporte olímpico Não
Cronologia das artes marciais  · Lista de artes marciais  · Projeto Artes Marciais

Esgrima crioula (em castelhano: esgrima criolla) ou esgrima do facão, é um sistema de combate adaptado pelos gaúchos nos pampas brasileiros, uruguaios e argentinos.

Era utilizado principalmente na caça, para matar animais para comer. Mais tarde, foi utilizada para o combate, tanto a pé quanto montado a cavalo, foi usada na Revolução Farroupilha e Revolução Federalista no Rio Grande do Sul e na independência da Argentina contra o imperialismo espanhol.

Ficou famoso também (e existem algumas escolas pela Argentina tentando ressuscitar a Esgrima Crioula como esporte) pelos duelos entre rivais. Acabando com a morte ou rendição de um dos combatentes. Era proibido utilizar armas de fogo. Usava-se panos presos nas mãos para defender-se, enganar e provocar o adversário. Esgrima Crioula é comparada, pelo povo Sul-Riograndense, como uma rinha de galos. Usam como referência o poema, de Jaime Caetano Braun, "Galo de Rinha" para expressar a coragem e determinação do gaúcho em combate.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Osornio, Mario A. López (1942). Esgrima criolla (em espanhol). [S.l.]: El Ateneu. ISBN 9505045832 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Esgrima crioula
Ícone de esboço Este artigo sobre artes marciais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.