Hsing-i chuan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Xingyiquan)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Novembro de 2013).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Hsing-i chuan
Sun Lutang na postura de combate san ti shi.
Outras informações
Esporte olímpico não
Cronologia das artes marciais  · Lista de artes marciais  · Projeto Artes Marciais

Xinyiquan (hsing-i ch'uan) (em língua chinesaː 形意拳; pinyin: Xíng Yì Quán; Wade-Giles: Hsing I Ch'üan) ou boxe da mente e forma, é um estilo de arte marcial chinesa interna. Também é conhecido como boxe dos cinco elementos ou wuxingquan.[1][2]

Algumas escolas incluem, em suas formas, dez ou doze animais do Horóscopo chinês.

Seu desenvolvimento é atribuído, segundo a lenda, ao famoso general chinês Yueh Fei (Wu Mu). Suas origens datam da dinastia Liang, cerca de 540 d.C.

Encontramos registros históricos devidamente documentados[carece de fontes?] a partir de Ji Longfeng (Jijike) (1602-1683), provável criador deste estilo. Conta-se que foi elaborado a partir de um livro que lhe foi entregue assinado por Yueh Fei. Ji Longfeng estudou o livro dia e noite por muitos anos, desenvolvendo este estilo.

Seu maior ícone foi o mestre Guo Yun Shen (1827-1903), que, por sua vez, foi mestre de Wang Xiang Zhai, que, utilizando alguns conceitos deste estilo juntamente com o baguazhang e tai chi chuan, desenvolveu o Yiquan ou I-Chuan.

Os movimentos básicos do Hsing-I Chuan e os Cinco Elementos
Movimentos básicos Ideogramas Chineses Pinyin Elementos Descrição
Dividir Metal Partir como um machado.
Golpear Pào Fogo Explodir como um canhão e simultaneamente bloquear.
Perfurar Zuān Água Perfurar adiante na horizontal.
Cruzar Héng Terra Cruzar a linha de ataque e simultaneamente torcer.
Esmagar Bēng Madeira disparar flechas adiante seguidamente.

As Formas Animais[editar | editar código-fonte]

O xingyiquan se apoia na teoria dos cinco elementos. Possui uma forma básica de treinamento e outra avançada, a forma dos doze animais (形; pinyin: xíng).

Presentes nos diversos estilos familiares ou regionais, os movimentos são mais que mera imitação dos movimentos de cada animal, inspiram-se nas suas técnicas e táticas.

Diversas escolas apresentam apenas uma pequena quantidade de movimentos característicos de cada animal, enquanto outras incluem sequências de movimentos mais extensas. Uma vez que a forma individual de cada animal é aprendida, é comum iniciar o aprendizado de formas animais interligadas (shi'er xing lianhuan), que conectam todos os movimentos de animais aprendidos em uma única sequência. Alguns estilos têm formas mais longas ou múltiplas formas para animais específicos, por exemplo, as "oito formas do tigre" (huxing bashi).

Os 10 animais comuns aos diversos estilos
Animais Ideogramas Chineses Pinyin Descrição
Urso Xióng No xingyi, o urso e a águia se combinam. A frase significa que as técnicas relacionadas aos dois animais são com frequência utilizadas em conjunto.
Águia Yīng
Serpente Shé Inclui os estilos constritor e víbora.
Tigre Ataques com as mãos abertas similares às patadas de um tigre
Dragão Lóng
Galo
Cavalo Emprega movimentos da esquerda para a direita similares à forma do tigre, mas realizados com os punhos fechados
Andorinha Yàn
Açor ou Gavião Yào
Macaco Hóu

Hsing-i chuan no Brasil[editar | editar código-fonte]

Em 1960, o Mestre Chan Kowk Wai chega a São Paulo, no Brasil, trazendo o Xingyiquan, entre outros estilos de kung fu.

Na década de 1970, o mestre Wu Chao Hsiang introduziu o estilo de Hsing-Yi original de Shanxi no Rio de Janeiro.

No ano de 1986, chega o grão-mestre Wang Tie Cheng - Yi Quan, linhagem de Wang Xiang Zhai segunda geração, aos 50 anos, para ensinar artes marciais, trazendo uma experiência de mais de 35 anos na época, com o histórico de ter tido mais de mil combates na China e ter se saído muito bem em todos eles. É o sucessor do patriarca Wang Xhiang Zhai na linhagem de Yi Quan segunda geração, assim como grão-mestre nos estilos Xingyiquan, Yiquan e Taijiquan, em São Paulo. Em 1988, chega ao Brasil - São Paulo - mestre Wang Young Jun, mestre sucessor de Yi Quan terceira geração. Atualmente, mestre Wang Young Jun é o representante do Yi Quan (I Chuan) na América do Sul e vice-presidente da Federação Paulista de Nei Jia. Reside em São Paulo.

Atualmente, três de seus melhores alunos ensinam o Xingyiquan. Dois deles, com mais de duas décadas de experiência, são os mestres Marcos Fonseca na capital de São Paulo e Luiz Gustavo em Osasco. O terceiro é Velzi Moreschi, presidente fundadora da Federação Paulista de Nei Jia e do Jin Long Instituto de Nei Jia Brasil China. Hoje, uma referência pela Veja São Paulo - primeira mulher a conquistar o Titulo de Campeã Internacional 2007 em Hsing I Chuan nível Avançado. Escritora - escreveu o Livro Hsing I Chuan "A Arte dos Heróis da China" 2002 -, iniciou seus estudos e práticas de Hsing I Chuan em Janeiro de 1987, aos 31, anos com o grão-mestre Wang Tie Cheng, de quem recebeu ensinamentos diretos. Em 2003, iniciou seus treinamentos em Yi Quan com o mestre Wang Young Jun até os dias de hoje. Reside em São Paulo.

Atualmente, o mestre Wang Tie Cheng mora em Beijing e seu filho mestre Wang Young Jun, juntamente com a professora Velzi Moreschi, ministram cursos, aulas, palestras, seminários, workshops e terapias, assim como programas semanais em webRádios e webTVs, oferecendo, à comunidade, programações voltadas à saúde, bem-estar e qualidade de vida fundamentados na arte Nei Jia Chuan e na medicina tradicional chinesa.

Atualmente na cidade de São Paulo, o Grupo I Kuan Tao Arte da Longa Vida, através de mestre Leonardo Liu, ministra aulas de Hsing I Chuan (Xing Yi Chuan), entre outros estilos, abrangendo conceitos filosóficos, marciais e medicinais, através da forma e de movimentos contínuos.

Referências

  1. Kennedy, Brian; Elizabeth Guo (2005). Chinese Martial Arts Training Manuals: A Historical Survey. Berkeley, California: North Atlantic Books. ISBN 1-55643-557-6 
  2. Miller, Dan; Tim Cartmell (1999). Xing Yi Nei Gong. Burbank, California: Unique Publications. ISBN 0-86568-174-0 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Jin Yunting (tran. John Groschwitz) (2003). The Xingyi Boxing Manual. Berkeley, CA: North Atlantic Books. ISBN 1-55643-473-1 
  • Citação vazia (ajuda) 
  • Miller, Dan; Tim Cartmell (1999). Xing Yi Nei Gong. Burbank, California: Unique Publications. ISBN 0-86568-174-0 
  • Kennedy, Brian; Elizabeth Guo (2005). Chinese Martial Arts Training Manuals: A Historical Survey. Berkeley, California: North Atlantic Books. ISBN 1-55643-557-6 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre artes marciais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.