Instituto Federal do Rio Grande do Sul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul
IFRS
Lema Ensino Público, Gratuito e de Qualidade
Fundação 29 de dezembro de 2008 (9 anos)
Tipo de instituição pública federal
Localização Bento Gonçalves (Reitoria)

Alvorada
Bento Gonçalves
Canoas
Caxias do Sul
Erechim
Farroupilha
Feliz
Ibirubá
Osório
Porto Alegre
Restinga (Porto Alegre)
Rio Grande
Rolante
Sertão
Vacaria
Veranópolis
Viamão

Docentes 1020
Reitor(a) Júlio Xandro Heck[1]
Total de estudantes 19000
Cores da escola      Verde
     Vermelho.
Afiliações Coat of arms of Brazil.svg Ministério da Educação, RENEX, CONIF
Orçamento anual R$ 305.000.000,00 (2015)
Página oficial www.ifrs.edu.br

Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) foi criado pela Lei 11.892, de 29 de dezembro de 2008, a partir da integração do Centro Federal de Educação Tecnológica de Bento Gonçalves, da Escola Técnica Federal de Canoas, da Escola Agrotécnica Federal de Sertão, da Escola Técnica da UFRGS e do Colégio Técnico Industrial Professor Mário Alquati da FURG. É uma instituição integrante da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica.

Conforme dados divulgados em março de 2017, pelo Ministério da Educação (MEC), o IFRS possui conceito quatro no Índice Geral de Cursos (IGC), em uma escala que vai até 5. O indicador refere-se à avaliação do ano de 2015.

Em 2017 o IFRS contava com cerca de 19 mil alunos, em mais de 200 opções de cursos de diferentes modalidades. Oferece também cursos de especialização e mestrado e dos programas do governo federal e de Formação Inicial Continuada (FIC).

Um dos objetivos dos institutos federais é promover cursos, ações de pesquisa, ensino e extensão que atentem para as necessidades e as demandas regionais. Nesse sentido, o IFRS apresenta uma das características mais significativas que enriquecem a sua ação: a diversidade. Os campi atuam em áreas distintas como agropecuária, de serviços, área industrial, vitivinicultura, turismo, moda e outras.

Cursos[editar | editar código-fonte]

  • Técnicos integrados ao ensino médio: permite a formação de Ensino Médio e técnica profissional simultaneamente.
  • Técnicos concomitantes ao ensino médio: formação técnica profissional para os alunos que estão cursando o Ensino Médio e desejam complementar a formação.
  • Técnicos subsequentes ao ensino médio: formação técnica profissional para os alunos que já concluíram o Ensino Médio.
  • Superiores de tecnologia: cursos superiores cuja vocação é atender a demandas específicas do mercado de trabalho. Quem conclui é profissional de nível superior, denominado tecnólogo.
  • Bacharelados: cursos superiores que formam para atuar de forma mais ampla no mercado.
  • Licenciaturas: cursos superiores indicados para quem quer atuar como professor de Ensino Fundamental e Médio, com disciplinas ligadas à didática, psicologia e pedagogia.

Técnicos de Nível Médio[editar | editar código-fonte]

  • Técnico em Administração: campi Bento Gonçalves, Canoas, Caxias do Sul, Osório e Porto Alegre, Restinga, Rolante, Veranópolis e Viamão
  • Técnico em Agente Comunitário de Saúde: Campus Alvorada
  • Técnico em Agroecologia: Campus Restinga
  • Técnico em Agropecuária: campi Bento Gonçalves, Ibirubá, Rolante, Sertão e Vacaria
  • Técnico em Alimentos: Campus Erechim
  • Técnico em Automação Industrial: Campus Rio Grande
  • Técnico em Biblioteconomia: Campus Porto Alegre
  • Técnico em Biotecnologia: Campus Porto Alegre
  • Técnico em Comércio: campi Restinga, Rolante e SertãoTécnico em Contabilidade: Campus Porto Alegre
  • Técnico em Cooperativismo: Campus Viamão
  • Técnico em Cuidados de Idosos: Campus Alvorada
  • Técnico em Desenvolvimento de Sistema: Campus Canoas
  • Técnico em Eletrônica: campi Canoas, Farroupilha e Restinga
  • Técnico em Eletrotécnica: campi Farroupilha, Ibirubá e Rio Grande
  • Técnico em Enfermagem: campi Porto Alegre e Rio Grande
  • Técnico em Fabricação Mecânica: campi Caxias do Sul e Rio Grande
  • Técnico em Finanças: Campus Erechim
  • Técnico em Geoprocessamento: Campus Rio Grande
  • Técnico em Guia de Turismo: campi Osório e Restinga
  • Técnico em Hospedagem: Campus Bento Gonçalves
  • Técnico em Informática: campi Canoas, Erechim, Farroupilha, Feliz, Ibirubá, Osório, Restinga, Rio Grande, Rolante, Sertão e Veranópolis
  • Técnico em Informática para Internet: campi Bento Gonçalves, Restinga e Rio Grande
  • Técnico em Instrumento Musical: Campus Porto Alegre
  • Técnico em Lazer: Campus Restinga
  • Técnico em Logística: campi Erechim e Vacaria
  • Técnico em Manutenção e Suporte em Informática: campi Canoas, Vacaria e Sertão
  • Técnico em Mecânica: campi Erechim e Ibirubá
  • Técnico em Meio Ambiente: campi Alvorada, Feliz, Porto Alegre e Viamão
  • Técnico em Metalurgia: Campus Farroupilha
  • Técnico em Modelagem do Vestuário: Campus Erechim
  • Técnico em Multimídia: Campus Vacaria
  • Técnico em Panificação: campi Osório e Porto Alegre
  • Técnico em Plásticos: campi Caxias do Sul e Farroupilha
  • Técnico em Processos Fotográficos: Campus Alvorada
  • Técnico em Produção de Áudio e Vídeo: Campus Alvorada
  • Técnico em Produção de Moda: Campus Erechim
  • Técnico em Qualidade: Campus Rolante
  • Técnico em Química: campi Caxias do Sul, Feliz e Porto Alegre
  • Técnico em Recursos Humanos: Campus Restinga
  • Técnico em Redes de Computadores: campi Porto Alegre e Restinga
  • Técnico em Refrigeração e Climatização: Campus Rio Grande
  • Técnico em Registros e Informações em Saúde: Campus Porto Alegre
  • Técnico em Secretariado: Campus Porto Alegre
  • Técnico em Segurança do Trabalho: Campus Porto Alegre
  • Técnico em Serviços Públicos: Campus Viamão
  • Técnico em Tradução e Interpretação de Libras: Campus Alvorada
  • Técnico em Transações Imobiliárias: Campus Porto Alegre
  • Técnico em Viticultura e Enologia: Campus Bento Gonçalves

Graduação[editar | editar código-fonte]

Cursos de bacharelado[editar | editar código-fonte]

  • Bacharelado em Agronomia: campi Bento Gonçalves, Ibirubá, Sertão e Vacaria
  • Bacharelado em Ciência da Computação: Campus Ibirubá
  • Bacharelado em Engenharia da Produção: Campus Caxias do Sul
  • Bacharelado em Engenharia de Alimentos: Campus Erechim
  • Bacharelado em Engenharia de Controle e Automação: Campus Farroupilha
  • Bacharelado em Engenharia Mecânica: campi Erechim, Farroupilha, Ibirubá e Rio Grande
  • Bacharelado em Engenharia Metalúrgica: Campus Caxias do Sul
  • Bacharelado em Engenharia Química: Campus Feliz
  • Bacharelado em Zootecnia: Campus Sertão

Cursos de licenciatura[editar | editar código-fonte]

  • Licenciatura em Ciências Agrícolas: Campus Sertão
  • Licenciatura em Ciências Biológicas: campi Sertão e Vacaria
  • Licenciatura em Ciências da Natureza – Biologia e Química: Campus Porto Alegre
  • Licenciatura em Física: Campus Bento Gonçalves
  • Licenciatura em Letras Português e Espanhol: Campus Restinga
  • Licenciatura em Letras Português e Inglês: campi Feliz e Osório
  • Licenciatura em Matemática: campi Bento Gonçalves, Canoas, Caxias do Sul, Ibirubá e Osório
  • Licenciatura em Pedagogia: campi Bento Gonçalves e Porto Alegre
  • Licenciatura em Química: campus Feliz

Cursos de tecnologia[editar | editar código-fonte]

  • Tecnologia em Agronegócio: Campus Sertão
  • Tecnologia em Alimentos: campi Bento Gonçalves e Sertão
  • Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas: campi Bento Gonçalves, Canoas, Farroupilha, Feliz, Osório, Restinga, Rio Grande e Sertão
  • Tecnologia em Automação Industrial: Campus Canoas
  • Tecnologia em Construção de Edifícios: Campus Rio Grande
  • Tecnologia em Design de Moda: Campus Erechim
  • Tecnologia em Eletrônica Industrial: Campus Restinga
  • Tecnologia em Gestão Ambiental: campi Porto Alegre, Sertão e Viamão
  • Tecnologia em Gestão Desportiva e de Lazer: Campus Restinga
  • Tecnologia em Horticultura: Campus Bento Gonçalves
  • Tecnologia em Logística: campi Bento Gonçalves e Canoas
  • Tecnologia em Marketing: Campus Erechim
  • Tecnologia em Processos Gerenciais: campi Caxias do Sul, Farroupilha, Feliz, Osório, Porto Alegre e Viamão
  • Tecnologia em Processos Metalúrgicos: Campus Caxias do Sul
  • Tecnologia em Sistemas para Internet: Campus Porto Alegre
  • Tecnologia em Viticultura e Enologia: Campus Bento Gonçalves
  • Programa Especial de Formação Pedagógica de Docentes para a Educação Profissional: Campus Rio Grande
  • Curso de Formação de Professores para os Componentes Curriculares da Educação Profissional: Campus Farroupilha
  • Formação Pedagógica de Docentes para a Educação Básica e Profissional: Campus Sertão

Pós-Graduação[editar | editar código-fonte]

Cursos de especialização (lato sensu)[editar | editar código-fonte]

  • Educação Básica Profissional – Campus Osório
  • Ensino de Matemática Para a Educação Básica – Campus Bento Gonçalves
  • Ensino, Linguagens e suas Tecnologias – Campus Ibirubá
  • Gestão Empresarial – Campus Porto Alegre
  • Gestão Escolar – Campus Feliz
  • MBA em Gestão Empresarial e Empreendedorismo – Campus Feliz
  • Saúde Coletiva – Campus Alvorada
  • Teorias e Metodologias da Educação – Campus Sertão
  • Viticultura – Campus Bento Gonçalves

Cursos de mestrado profissional (stricto sensu)[editar | editar código-fonte]

  • Educação Profissional e Tecnológica (Profept) – Campus Porto Alegre / IFRS
  • Informática na Educação – Campus Porto Alegre
  • Tecnologia e Engenharia de Materiais – Campi Caxias do Sul, Farroupilha e Feliz

Educação a distância (EAD)[editar | editar código-fonte]

  • Abordagens Pedagógicas Modernas na Educação a Distância
  • Como usar o Laboratório de Informática nas aulas? Ensino Infantil e Fundamental – Anos Iniciais
  • Criação de Videoaulas
  • CSS: folhas de estilo
  • Educação a Distância
  • Educação Financeira para o Ensino Fundamental
  • Inglês – parte 1
  • Introdução a Polímeros
  • Introdução à Leitura e Interpretação de Projetos Arquitetônicos
  • HTML – parte 1: Introdução ao desenvolvimento de páginas web
  • HTML – parte 2: tabelas e formulários
  • JavaScript
  • Lógica de Programação – parte 1
  • Lógica de Programação – parte 2
  • Lógica de Programação – parte 3
  • Moodle Básico para Professores – elaboração de curso
  • O Uso de Aplicativos Web na Construção de Materiais Educacionais
  • Personalização do Ensino a partir de Metodologias Ativas (inscrições em breve)
  • Preparatório para Redação em Processos Seletivos: ENEM e Vestibulares (inscrições em breve)
  • Professor para a Educação a Distância (inscrições encerradas)
  • Português como Língua Adicional – parte 1
  • Português como Língua Adicional – parte 2
  • Repositórios de Materiais Didáticos Digitais e Direitos de Uso
  • Tecnologia da Informação e Comunicação em Espaços Escolares

Campi[editar | editar código-fonte]

O Instituto Federal é formado pelos campi de Alvorada, Bento GonçalvesCanoasCaxias do SulErechimFarroupilhaFelizIbirubáOsório, Porto Alegre, Restinga,  Rio Grande, Rolante, Sertão, Vacaria, Veranópolis e Viamão.  A Reitoria localiza-se na cidade de Bento Gonçalves.

Alvorada[editar | editar código-fonte]

O Campus Alvorada iniciou as atividades em 2013 e durante dois anos funcionou no Centro de Educação Profissional Professor Florestan Fernandes. No segundo semestre de 2016, o Campus Alvorada passou a funcionar em sua sede própria, localizada na Rua Professor Darcy Ribeiro, 121, bairro Campos Verdes, Alvorada, estado do Rio Grande do Sul.

Bento Gonçalves[editar | editar código-fonte]

O Campus Bento Gonçalves está instalado em uma área de 843.639 m², dividida entre a sede (76.219,13m²), localizada em área central no Município de Bento Gonçalves, e a Estação Experimental Tuiuty (767.420 m²), distante 12 km da sede.

A Instituição foi criada pela Lei nº 3.646 de 22 de outubro de 1959 como Escola de Viticultura e Enologia de Bento Gonçalves, vinculada ao Ministério da Agricultura, e passou a funcionar de forma efetiva a partir de 27 de março de 1960.

Em 13 de Fevereiro de 1964 foi publicado o Decreto nº 53.558, o qual alterou a denominação de todas as escolas agrícolas para colégios. Consequentemente passou a denominar-se Colégio de Viticultura e Enologia de Bento Gonçalves. Posteriormente, a sigla CVE tornou-se marca dos produtos que são produzidos e comercializados pela Instituição até hoje.

Por meio do Decreto nº 60.731, de 19 de maio de 1967, foram transferidos para a Coordenação Nacional de Ensino Agropecuário (Coagri), órgão vinculado à Secretaria de Ensino de 1º e 2º Graus do Ministério da Educação e Cultura, todas as instituições relacionadas ao ensino que integravam o Ministério da Agricultura e em 4 de setembro de 1979, por meio do Decreto nº 83.935, todos os estabelecimentos de ensino subordinados à Coagri passaram a receber a denominação uniforme de Escola Agrotécnica Federal, seguida do nome da cidade em que se localizava.

A Lei nº 7.390, de 25 de março de 1985, alterou a denominação da Escola Agrotécnica Federal de Bento Gonçalves para Escola Agrotécnica Federal Presidente Juscelino Kubitschek.

Em 26 de dezembro de 1994, através de Decreto, foi autorizado o funcionamento do primeiro curso superior ofertado pela Instituição, o Curso Superior de Tecnologia em Viticultura e Enologia, o qual teve o primeiro ingresso de alunos em 1995.

Por meio do Decreto de 16 de agosto de 2002 foi implantado o Centro Federal de Educação Tecnológica de Bento Gonçalves (Cefet-BG), "mediante transformação e mudança de denominação da autarquia Escola Agrotécnica Federal Presidente Juscelino Kubitschek".

Em 2008 o Cefet-BG passou a denominar-se Campus Bento Gonçalves do IFRS e atualmente integra a estrutura multicampi.

Relação de ex-diretores[editar | editar código-fonte]

Canoas[editar | editar código-fonte]

O Campus Canoas está estabelecido na cidade de Canoas, no bairro Igara.

Caxias do Sul[editar | editar código-fonte]

O Campus Caxias do Sul entrou em funcionamento em 2010, na sede provisória localizada no bairro Floresta. Em 2014, passou a funcionar na sede definitiva localizado bairro Nossa Senhora de Fátima, num espaço de mais de 7.000m² de área construída, que conta com salas de aula, laboratórios de informática, química, física, matemática, línguas, metrologia, biologia/microbiologia, ensaios mecânicos, instrumentação, tratamentos térmicos, metalografia, preparação mecânica, fundição e conformação, laboratório de corte, soldas e usinagem, caracterização e processos de transformação de polímeros, hidráulica e pneumática, laboratório de processos de fabricação mecânica, além de biblioteca, salas de conveniência e sala dos professores. Atualmente, mais de mil alunos estudam nos três turnos em que ocorrem os cursos.

Osório[editar | editar código-fonte]

Atende toda a região do Litoral Norte do Rio Grande do Sul, composta por 23 municípios, que somam mais de 300 mil habitantes. Está localizado na Rua Santos Dumont, 2127, no Bairro Albatroz.

As atividades letivas iniciaram em 2 de agosto de 2010, em sede provisória. A inauguração oficial do Campus Osório ocorreu em 9 de agosto de 2013.

Estudam no campus em torno de 1000 alunos nos turnos da manhã, da tarde e da noite. A equipe de servidores é composta por 100 pessoas em média, entre professores e técnico-administrativos.

Porto Alegre[editar | editar código-fonte]

Sede do IFRS Campus Porto Alegre

O campus Porto Alegre é uma unidade de ensino criada em 2008 a partir da estrutura da então Escola Técnica da UFRGS. Dados de novembro de 2009, apontavam que a instituição possuía 1361 alunos.

A história da Escola Técnica tem início com o surgimento da Escola de Comércio de Porto Alegre, vinculada a Faculdade Livre de Direito, em 1909. Fez parte da Universidade de Porto Alegre, criada em 1934 e desvinculou-se da Faculdade de Direito.

Com a federalização da Universidade em 1950 passa a ser denominada Escola Técnica de Comércio. E na década de 60, passa a ter uma direção autônoma, desvinculando-se da Faculdade de Ciências Econômicas da UFRGS (FCE) . Mesmo assim, funcionou no prédio da FCE até 1994, quando o prédio próprio ficou pronto e em 1996, quando já possui diversos cursos fora da área comercial, passa a ser denominada Escola Técnica da UFRGS.

Em 30 de dezembro de 2008 com a publicação da Lei 11892/2008, deixa de existir e passa a ter sua nova denominação como Campus Porto Alegre do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul.

Relação de ex-diretores[editar | editar código-fonte]

Restinga (Porto Alegre)[editar | editar código-fonte]

O Campus Restinga está estabelecido no extremo sul da cidade de Porto Alegre, no bairro Restinga.

A busca da comunidade pela "Escola Técnica Federal de Porto Alegre na Restinga" iniciou em 08 de maio de 2006 com a criação da Comissão Pró-implantação.

O Campus Restinga foi contemplado pela chamada Pública 01/2007 SETEC-MEC, que inaugurou o Plano de Expansão da Rede Federal Fase II, cujo objetivo era implantar 150 novas unidades em todo o país até o final de 2010.

Em abril de 2008, o então CEFET-BG assumiu a coordenação da implantação do que seria mais uma de suas Unidades de Ensino Descentralizadas. A valorização do diálogo com a comunidade foi fundamental para o início das atividades de implantação. Parte desta conversação resultou na realização de um seminário e, posteriormente, de uma audiência pública para a definição de cursos a serem oferecidos pela instituição.

Com a Lei Nº 11.892/08, que criou os Institutos Federais de Educação Ciência e Tecnologia, a unidade da Restinga passou a ser um Campus do Instituto Federal do Rio Grande do Sul. No ano de 2009 foram realizados seminários e audiências públicas para definir as áreas de atuação do Campus Restinga, constituindo-se uma nova perspectiva para a qualificação e geração de emprego e renda na região da Restinga. Além disso, através da verticalização de seus cursos possibilita à comunidade local perspectivas de estudo em diferentes níveis de ensino, gerando novas oportunidades profissionais.

O dia 26 de junho de 2010 é o marco oficial de início das atividades do campus, em sede provisória alugada, localizada na Estrada João Antnio da Silveira, enquanto o complexo de prédios de sua sede definitiva permanecia em obras, no Distrito Industrial da Restinga.

Rio Grande[editar | editar código-fonte]

O Campus Rio Grande nasceu em 1964 como Colégio Técnico Industrial - CTI, junto à Escola de Engenharia Industrial do Rio Grande, uma das instituições que deram origem a Universidade Federal do Rio Grande - FURG, instituição a qual a escola foi vinculada a partir de 1969. Originalmente eram oferecidos os cursos de Refrigeração e Eletrotécnica, atendendo as demandas locais da época. Em 1994, na ocasião do Jubileu de Prata da FURG foi dado o nome de "Professor Mário Alquati" ao Colégio, em homenagem a um de seus idealizadores e diretor durante oito anos.

A implantação da Reforma da Educação Profissional iniciada em 1998 separou o Ensino Médio da Educação Profissional e criou a modalidade subsequente para os cursos noturnos. Os cursos técnicos de Enfermagem e Geomática foram criados em 2000, de acordo com esta modalidade e atendendo as novas demandas que se apresentavam. Dando continuidade à Reforma e atendendo as Diretrizes Curriculares do Ensino Médio, em 2001 foram implantados os novos curso subsequentes ao ensino médio, estruturados em módulos, e o Ensino Médio passou a ser oferecido de forma independente do técnico.

Em 2007, após nova alteração da legislação, o CTI voltou a oferecer cursos integrados ao Ensino Médio, e abriu a primeira turma de ensino integrado da modalidade Educação de Jovens e Adultos (Proeja). Em 29 de dezembro de 2008, com a criação dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, o CTI foi integrado ao IFRS, como Campus Rio Grande. A nova institucionalidade possibilitou uma grande expansão, e consequente criação de novos cursos. Em sintonia com a alteração do arranjo produtivo local em função da implantação do Polo Naval, em 2010 passou a ser oferecido o curso Técnico de Automação Industrial, com ênfase em Instrumentação Industrial, uma das maiores demandas do novo setor. Ainda neste mesmo ano, entrou em funcionamento o primeiro curso de Licenciatura do Câmpus Rio Grande, em Educação Profissional e Tecnológica, visando suprir uma antiga carência na preparação de professores para atuação em cursos técnicos, em especial na Rede Federal. Em 2011, passou a ser oferecido o curso de Fabricação Mecânica, com ênfase em processos de soldagem, também demanda do Polo Naval.

Rolante[editar | editar código-fonte]

O campus Rolante iniciou as atividades em 2013, com a oferta de cursos de Formação Inicial Continuada (FIC) por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). Em 2016, tiveram início as primeiras turmas de ensino regular do Campus, com o ingresso de estudantes nos cursos Técnicos subsequentes em Administração e posteriormente em Agropecuária e em Qualidade. Desde julho de 2017, o campus está funcionando em sua sede definitiva localizada na rodovia RS 239, distante 4 km do Centro da cidade de Rolante no estado do Rio Grande do Sul.

Sertão[editar | editar código-fonte]

O Campus Sertão do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul está situado no Distrito de Engenheiro Luiz Englert, município de Sertão, a 25 quilômetros de Passo Fundo, região Norte do Estado do Rio Grande do Sul e integra a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica.

Criado pela Lei n° 3.215, de 19 de julho de 1957, com a denominação de Escola Agrícola de Passo Fundo, o Campus iniciou seu efetivo funcionamento no ano de 1963. Através do Decreto Lei n° 53.558, de 13 de fevereiro de 1964, passou a denominar-se Ginásio Agrícola de Passo Fundo, com localização em Passo Fundo (RS), subordinado à Superintendência do Ensino Agrícola e Veterinária, ligada ao Ministério da Agricultura. Pelo Decreto n° 60.731, de 19 de maio de 1967 a instituição foi transferida, juntamente com outros órgãos de Ensino, para o Ministério da Educação e Cultura.

O Decreto n° 62.178, de 25 de janeiro de 1968, autorizou o Ginásio Agrícola de Passo Fundo a funcionar como Colégio Agrícola. A denominação Colégio Agrícola de Sertão foi estabelecida pelo Decreto n° 62.519, de 09 de abril de 1968. A partir de então ficou sob a coordenação da Coordenação Nacional de Ensino Agrícola - COAGRI - durante o período de 1973 até 1986.

Pelo Decreto n° 83.935, de 04 de setembro de 1979 passou a denominar-se Escola Agrotécnica Federal de Sertão, subordinada à Secretaria de Educação de 1° e 2° Graus do Ministério da Educação e Cultura. Obteve declaração da regularidade de estudos pela Portaria nº 081, de 06 de setembro de 1980, da Secretaria do Ensino de 1º e 2º Graus, do Ministério da Educação e Cultura. A Lei Federal n° 8.731, de 16 de novembro de 1993 transformou a Escola Agrotécnica Federal de Sertão em autarquia Federal, com autonomia administrativa e pedagógica.

A Lei nº 11.892, que cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia no dia 29 de dezembro de 2008, transformou a antiga Escola Agrotécnica Federal de Sertão em Campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul.

Inicialmente, o Campus oferecia o curso Ginasial Agrícola e conferia ao concluinte o diploma de Mestre Agrícola, de acordo com o Decreto-Lei nº 9.613, de 20 de agosto de 1946 da Lei Orgânica do Ensino Agrícola. No período de 1970 a 1975, oferecia o curso Técnico Agrícola e conferia ao concluinte o diploma de Técnico em Agricultura, em nível de 2º Grau. A partir do segundo semestre de 1973, a habilitação passou a titular-se Técnico em Agropecuária.

Hoje o Campus tem autonomia para ministrar Curso de Educação Básica em Nível de Ensino Médio e Formação Profissional com cursos de nível técnico e também cursos de graduação superior (tecnologias, bacharelados e licenciaturas).

Integrado ao Plano de Expansão da educação profissional, desempenha função relevante na cooperação para o desenvolvimento sócio-econômico regional, especialmente em regiões em que predominam as pequenas e médias propriedades rurais.

O Campus tem marcante atuação junto à comunidade regional e desempenha papel importante no atendimento de demandas específicas na região, através dos cursos que desenvolve e das parcerias com municípios da região, empresas, cooperativas e outras instituições de ensino como Universidades e Sindicatos.

Contando com uma área de 237 hectares, além de modernos laboratórios, o Campus mantém setores de produção nas áreas de: Agricultura (Culturas Anuais, Fruticultura, Silvicultura e Olericultura); na área de Zootecnia (Bovinocultura de corte e leite, Ovinocultura, Suinocultura, Apicultura, Piscicultura e Avicultura); Agroindústria; e Unidade de Beneficiamento de Sementes, constituindo um laboratório para prática profissional, atividades pedagógicas e produção de matéria-prima para o processo agroindustrial.

O Campus funciona em período integral, com aulas teóricas e práticas, nos períodos da manhã, tarde e noite, incluindo, ainda, outras atividades para atendimento da clientela externa, como cursos de curta duração, que visam à atualização, capacitação e treinamento em áreas diversas e cursos de qualificação.

São oferecidos, na atualidade, o curso Técnico em Agropecuária, nas modalidades integrado e subsequente ao Ensino Médio; o curso Técnico em Manutenção e Suporte em Informática subsequente ao Ensino Médio; o curso Técnico em Agroindústria subsequente ao Ensino Médio; PROEJA, com formação técnica em Comércio e os cursos superiores de Tecnologia em Agronegócio, Engenharia Agronômica, Licenciatura em Ciências Agrícolas, Tecnologia em Gestão Ambiental e Zootecnia, além do curso de Formação Pedagógica para Graduados e do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Teorias e Metodologias da Educação.

Vacaria[editar | editar código-fonte]

O Campus Vacaria é oriundo da antiga Escola Agrotécnica Federal de Sertão, que a partir de 2008, passou a denominar-se Instituto Federal Rio Grande do Sul, Campus Sertão. Em 2009 o Polo Vacaria passou a integrar o Instituto Federal Rio Grande do Sul Campus Bento Gonçalves e, em 2012, Vacaria conquistou, através do Plano de Expansão da Rede de Ensino Técnico e Tecnológico, o Campus Vacaria. No entanto, a autorização de funcionamento do Campus Vacaria ocorreu somente em 22 de janeiro de 2015, através da portaria número 27 de vinte e um de janeiro de dois mil e quinze, publicada no Diário Oficial da União.

Com sede na estrada Vitérbo de Oliveira, no 3061, Área Rural, distante 6 km do centro da cidade. Este empreendimento comporta um bloco administrativo que também inclui a biblioteca, sete salas de aula, sendo uma com capacidade para receber 50 alunos e as demais para atender 35 alunos, dois laboratórios de informática, sala de professores, sala da direção, setor administrativo e uma área rural.

Veranópolis[editar | editar código-fonte]

O Campus Veranópolis iniciou as atividades letivas em junho de 2014, ofertando cursos de curta duração, como cursos de Formação Inicial Continuada (FIC) e de extensão. No ano de 2016, passou a ofertar os primeiros cursos técnicos subsequentes ao Ensino Médio (para quem já concluiu o Ensino Médio). Está implantado em uma área de 4,7 hectares localizada na BR-470, Km 172, 6.500, bairro Sapopema, Veranópolis, estado do Rio Grande do Sul, onde funcionava o Colégio Agrícola do município.

Ingresso[editar | editar código-fonte]

Para ingressar em um dos cursos do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS), é preciso passar por processo de seleção, o qual pode se configurar de diferentes formatos, conforme o nível do curso. As informações, orientações e datas de cada processo de seleção são publicadas em edital específico.

Imagens[editar | editar código-fonte]

Reitoria (Bento Gonçalves)[editar | editar código-fonte]

IFRS Reitoria
Reitoria do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS)

Campus Caxias do Sul[editar | editar código-fonte]

Campus Osório[editar | editar código-fonte]

Campus Porto Alegre[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre instituições de ensino superior é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.