Instituto Federal de Goiás

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2011). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás
IFG
Fundação 29 de dezembro de 2008
Tipo de instituição Pública
Mantenedora Coat of arms of Brazil.svg Ministério da Educação
Localização Goiânia (sede)
Anápolis
Aparecida de Goiânia
Cidade de Goiás
Formosa
Inhumas
Itumbiara
Jataí
Luziânia
Uruaçu
Valparaíso de Goiás
Goiânia Oeste,  Goiás
Reitor(a) Jerônimo Rodrigues da Silva
Cores da escola      Verde

     Vermelho
Página oficial http://www.ifg.edu.br/

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG) foi criado mediante transformação do Centro Federal de Educação Tecnológica de Goiás. Sua Reitoria está instalada em Goiânia.

Como parte do processo de transformação e reorganização da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, o Centro Federal de Educação Tecnológica de Goiás (CEFET Goiás), desde o dia 29 de dezembro de 2008, transformou-se no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás, autarquia com campi em Goiânia (sede da Reitoria), Jataí, Inhumas, Itumbiara, Uruaçu, Anápolis, Formosa e Luziânia.

O Instituto Federal de Goiás oferece educação integrada do ensino médio à pós-graduação, com ênfase para o ensino técnico integrado ao ensino médio, para os cursos superiores de tecnologia, para as engenharias e também para as licenciaturas nas áreas das ciências naturais e das disciplinas técnicas e/ou profissionalizantes. Apesar de se equipararem às universidades federais, terão papel social diferenciado, ficando com a responsabilidade de ofertar pelo menos 50% de suas vagas para o ensino médio integrado e continuam a atuar em modalidades da educação básica como a educação de jovens e adultos (Proeja). O Instituto Federal de Goiás continua mantendo a tradição da Escola Técnica Federal de Goiás e do Cefet-Goiás de oferecer educação pública, gratuita e de qualidade para os jovens e os trabalhadores do Estado.

História[editar | editar código-fonte]

Fachada do Campus Goiânia do Instituto Federal de Goiás.

A história do Instituto Federal de Goiás possui uma longa trajetória, com origem no início do século passado, no dia 23 de setembro de 1909, quando, por meio do Decreto n.º 7.566, o então presidente Nilo Peçanha criou 19 Escolas de Aprendizes Artífices, uma em cada Estado do País. Em Goiás, a Escola foi criada na antiga capital do Estado, Vila Boa, atualmente Cidade de Goiás. Na época, o objetivo era capacitar os alunos em cursos e oficinas de forjas e serralheria, sapataria, alfaiataria, marcenaria e empalhação, selaria e correaria.

Em 1942, com a construção de Goiânia, a escola foi transferida para a nova capital, se transformando em palco do primeiro batismo cultural da Cidade. A Instituição recebeu então o nome de Escola Técnica de Goiânia, com a criação de cursos técnicos na área industrial, integrados ao ensino médio.

Com a Lei n.º 3.552, em 1959, a instituição alcançou a condição de autarquia federal, adquirindo autonomia administrativa, patrimonial, financeira, didático-pedagógica e disciplinar, recebendo a denominação de Escola Técnica Federal de Goiás, em agosto de 1965.

No final dos anos 80, mais precisamente em 1988, a Escola Técnica Federal de Goiás amplia sua presença no Estado com a criação da Unidade de Ensino Descentralizada de Jataí, hoje denominada campus Jataí.

Por meio do decreto sem número, de 22 de março de 1999, a Escola Técnica Federal de Goiás foi transformada em Centro Federal de Educação Tecnológica de Goiás (CEFET-GO), uma instituição de ensino superior pública e gratuita, especializada na oferta de educação tecnológica nos diferentes níveis e modalidades de ensino, com prioridade na área tecnológica.

Em 2006, por meio do Programa de Expansão da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica, foi criada a Unidade de Ensino Descentralizada de Inhumas, hoje Campus Inhumas. A continuidade desse projeto resultou na implantação de mais dois campi, no segundo semestre de 2008, um em Itumbiara e outro em Uruaçu. Logo no início, a população das cidades foi contemplada com cursos técnicos e superiores na área tecnológica, o que levou desenvolvimento e mais qualificação aos profissionais da região.

Na segunda fase de expansão, iniciada em 2007, sob o tema “Uma escola técnica em cada cidade polo do país”, está prevista a implantação de mais 150 novas unidades de ensino, totalizando a criação de 180 mil vagas ofertadas pela Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica.

Para consolidar ainda mais o processo de evolução da educação profissional tecnológica no país e atingir condições estruturais necessárias ao desenvolvimento educacional e socioeconômico, os Centros Federais de Educação Tecnológica foram elevados a categoria de Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, no final de 2008.

Em Goiás, foram criadas duas instituições. O Instituto Federal de Goiás, formado pelos campi – antigas unidades descentralizadas - de Goiânia, Jataí, Inhumas, Uruaçu, Itumbiara, Luziânia, Formosa e Anápolis, sendo que os três últimos foram implantados em junho de 2010; e o Instituto Federal Goiano - composto pela fusão dos CEFETs de Rio Verde e de Urutaí e da Escola Agrotécnica Federal de Ceres, que deu origem aos campi de Rio Verde, Urutaí, Ceres, Morrinhos e Iporá.

Essas instituições foram equiparadas às universidades federais, com autonomia para criar e extinguir cursos, registrar diplomas, o que vai ocasionar em uma ampliação da oferta de vagas e cursos técnicos de nível médio e superior, além de estimular a pesquisa aplicada, a produção cultural, o empreendedorismo, o cooperativismo e o desenvolvimento científico e tecnológico.

https://www.facebook.com/IFG.oficial

http://www.ifg.edu.br/

Campus Anápolis[editar | editar código-fonte]

Campus Aparecida de Goiânia[editar | editar código-fonte]

  • Superior
    • Bacharelado em Engenharia Civil;
    • Licenciatura em Dança;
    • Licenciatura em Pedagogia Bilíngue: Libras/Português

Campus Cidade de Goiás[editar | editar código-fonte]

Campus Formosa[editar | editar código-fonte]

Campus Goiânia[editar | editar código-fonte]

  • Pós-graduação
    • Mestrado em Tecnologia de Processos Sustentáveis;

Campus Inhumas[editar | editar código-fonte]

Campus Itumbiara[editar | editar código-fonte]

Campus Jataí[editar | editar código-fonte]

  • Pós Graduação
    • Especialização em Ensino de Ciências e Matemática;

Campus Luziânia[editar | editar código-fonte]

Campus Uruaçu[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]