Chevrolet 3100

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Chevrolet Brasil 3100)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Chevrolet “Marta Rocha” (1955-1959)[editar | editar código-fonte]

A série Task Force, mais conhecida como Chevrolet 3100 Marta Rocha sucedeu à série Advance Design, apelidada no Brasil de Chevrolet Boca de Sapo e Chevrolet Boca de Bagre. Introduzida no decorrer do ano de 1955, trazia um design mais moderno, seguindo a tendência do mercado americano que aos poucos preconizara linhas retilíneas em detrimento das longas curvas comuns nos veículos até então.

A série que se estendeu até 1959, foi a primeira a oferecer nas camionetes Chevrolet motores v8, fazendo frente com a concorrente Ford, que já oferecia tal motorização a mais tempo. Além dos motores v8 GM Small Block 265 (1955-1957) e 283 (1957-1958), também continuava disponível o tradicional seis cilindros em linha Thriftmaster 235. As transmissões oferecidas eram as manuais (com ou sem overdrive) de 3 velocidades na coluna, 4 velocidades no assoalho e a automática Hydramatic. Ademais, o sistema elétrico foi atualizado para 12 volts.

No interior, modificações no sentido de torná-la mais parecida com os carros de passeio visavam ampliar o mercado das camionetes para além dos setores de serviços e rural. Opcionais como estofamento mesclando courvin e tecido, vidro traseiro panorâmico, ar quente além do arrojado painel em forma de V agregavam conforto e luxo na experiência de dirigir uma caminhonete GM.

No Brasil, a série foi apelidada de Marta Rocha, em referência a Miss Brasil de 1954 Martha Rocha, que embora favorita a ganhar o Miss Universo do mesmo ano, apenas abarcou o segundo lugar, perdendo para a vencedora, segundo a lenda, por duas polegadas a mais no quadril. Em 1955, a nova camionete Chevrolet, quando vista de frente, possuía um marcante sobressalto de seus paralamas em relação a largura da cabine, algo próximo das famosas 2 polegadas de Martha Rocha, que junto das ainda presentes curvas em sua lataria, justificaram tal apelido.

Um marco para a indústria automobilística foi o lançamento da série Cameo Carrier, com inovador desing desenhado por Chuck Jordan, que acrescentou paralamas mais retos feitos em fibra de vidro no lugar dos paralamas Stepside, e vários opcionais na cabine padrão, sendo uma alternativa para consumidores mais abastardos que procuravam um utilitário mais requintado e exclusivo. 10320 Cameos foram produzidas entre os anos de 1955 e 1958.

Quanto a numeração 3100, é uma referência ao tipo e tamanho das carrocerias, sendo confundida de maneira equivocada com a motorização dos veículos. A camionete era oferecida também modelos com carroceria entendida (Long-Bed) com entre eixos maior que o modelo 3100, compondo um modelos que constituíam a série 3000. Para diferenciar os vários modelos dessa série, o último número fazia referência ao modelo, como por exemplo, o furgão Panel tem como referência o número 3105 e a Cameo Carrier tem a referência 3124. Além desses, a série ainda disponibilizava o modelo Suburban Carryall, 3600 e 3800.

Em 1958 e 1959 as desing das picapes sofreram consideráveis modificações, recebendo o nome Apache. Vincos mais salientes no capô e paralamas e 4 faróis são exemplos do que mudou. Além disso carrocerias maiores que a Stepside passaram a ser oferecidas, sendo chamadas de Fleetside.

A GM do Brasil no ano de 1956 passou a oferecer aos concessionários uma camionete com preço mais acessível comparado àquela americana, pois importava dos Estados Unidos apenas a cabine sem muitos acessórios e os paralamas traseiros, sendo montado no país o centro da carroceria e a cabine de maneira rústica, utilizando por exemplo setas “orelha de padre”.

As cabines e chassis também foram utilizados pela a GMC, que ofereceu modelos com uma proposta mais luxuosa, com estética mais agressiva e pára-choques que remetiam as linhas da Cadillac. Chamada de Blue Chip Series (fichas mais valiosas do Pôquer), vinha equipada com motores maiores que a Chevrolet e opção pela suspensão RSD (Road Shock Damper), estofamento em courvin exclusivo, dentro outras exclusividades. Os motores seis cilindros oferecidos para as camionetes foram o 248 em 1955 e o 270 de 1956 a 1959. Surpreendida com o lançamento do small block que viria equipar os Chevrolet em 1955, a GMC teve que buscar na Pontiac (com quem compartilhava linhas de montagem e escritórios no Michigan) blocos v8 que justificassem a "superioridade" dos GMCs comparados à concorrência. Foram utilizados os blocos Pontiac nos tamanhos 287 (1955), 316 (1955-1956), 347 (1957) e 336 (1958-1959). A GMC, assim como a Chevrolet, também tinha disponibilizava de vários modelos como o 100 (similar ao 3100), o 150 (similar ao 150), o Panel, o Suburban Carryall e o Suburban Pickup (similar a Cameo Carrier).

Chevrolet Brasil[editar | editar código-fonte]

Chevrolet Truck 3100 Advanced Design
Visão Geral
Nomes
alternativos
Chevrolet Brasil
Chevrolet Brasil 3100
Produção 1958-1964
Fabricante Chevrolet, grupo General Motors
Modelo
Carroceria pick-up
Ficha técnica
Motor Janeiro a Dezembro de 1958: 3860cc (235)
Dezembro de 1958 a 1964: 4278cc (261)
Transmissão 3 Marchas (1ª seca)
Modelos relacionados Chevrolet Amazona
Chevrolet Alvorada
Chevrolet Corisco
Chevrolet 6500
Chevrolet 6100
Chevrolet Boca de Bagre
Chevrolet Marta Rocha
Chevrolet C-10
Cronologia
Chevrolet Marta Rocha
Chevrolet C-10

A Chevrolet Brasil, foi a primeira pick-up GM produzida no Brasil. Seu lançamento ocorreu em julho de 1958 e foi substituída em 1964 pela linha C-10.

Produzida na fábrica de São Caetano do Sul, no estado de São Paulo com indice de nacionalização de 54% do seu peso.

A versão brasileira possui estilo único, pois sua cabine só foi produzida no Brasil. Trata-se de uma mistura do modelo "Advanced Design" (cabine da pick-up 1954 e 1955 1ª série) com a frente americana da série "Task Force" (pick-up 1955 2ª série até 1959).

O nome Chevrolet Brasil se deve ao fato de ser o 1º modelo produzido no mercado brasileiro. Os logotipos do modelo traziam um mapa do Brasil em seu interior.

Equipada inicialmente com o motor Thriftmaster 235 (3860cc) da pick-up GM americana, ainda em fins de 1958 recebeu o motor Jobmaster 261 (4278cc), 6 cilindros em linha, fabricado em São José dos Campos, São Paulo.

Posteriormente foi lançada a versão cabine dupla, o Chevrolet Alvorada e a perua de passageiros denominada Chevrolet Amazona. Entrou em produção também um furgão, chamado Chevrolet Corisco.

Em fins de 1962 foi introduzida uma reestilização na dianteira, com nova grade e 4 faróis.

História[editar | editar código-fonte]

  • 1958: (07/58) É lançada a pick-up modelo 3104, também conhecida como Chevrolet Brasil. Capô dianteiro liso sem vincos; calotas da Marta Rocha 1957; (12/58) capacidade de carga elevada para 735 kg; o motor 235 americano é substituído pelo 261 nacional. Emblema "Chevrolet Brasil" nos paralamas dianteiros. Cabine toda pintada na cor branca, inclusive o teto.
  • 1959: (12/59) lançamento da perua Amazona, de três fileiras de bancos e capacidade de oito lugares. Capô dianteiro com dois vincos. Emblema "Chevrolet 3100" nos paralamas dianteiro. O teto passa a ser pintado na cor dos paralamas.
  • 1960: Câmbio Clark 260T nacional; eixo traseiro nacional Timken
  • 1961: Lançada a perua cabine dupla Alvorada
  • 1962: O carburador Rochester monojet importado dos EUA foi substituído pelo carburador DFV-228 nacional. O tanque de gasolina agora é externo, localizado embaixo da caçamba (anteriormente era dentro da cabine, atrás do banco)
  • 1963: Nova frente redesenhada, agora conta com faróis duplos. Novo desenho do teto da cabine. Vidros traseiros envolventes. Eliminada a luz direcional na coluna da porta (orelha de padre). Limpador de parabrisa agora descansa para o lado do passageiro.
Chevrolet Amazona do ano 1963.
Chevrolet Corisco.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Caminhões (pt-BR) ou Camiões (pt) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.