Edgardo Andrada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Edgardo Andrada
Edgardo Andrada
Andrada na década de 1960
Informações pessoais
Nome completo Edgardo Norberto Andrada
Data de nasc. 2 de janeiro de 1939
Local de nasc. Rosário, Argentina
Falecido em 4 de setembro de 2019 (80 anos)
Local da morte Rosário, Argentina
Altura 1,78
Apelido El Gato
Informações profissionais
Posição Goleiro
Clubes de juventude
Rosário Central
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1960–1969
1969–1975
1976
1977–1982
Rosário Central
Vasco da Gama
Vitória
Colón
Seleção nacional
1961–1969 Argentina 0020 0000(0)

Edgardo Norberto Andrada (Rosário, 2 de janeiro de 1939 – Rosário, 4 de setembro de 2019), mais conhecido como Andrada ou El Gato, foi um goleiro argentino.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Andrada em uma partida contra o Boca Juniors, 1960.

O goleiro começou a carreira em 1960, no seu país, defendendo o Rosario Central. Em 1969, o Vasco da Gama comprou o seu passe e ele mudou-se para o Brasil. Foi no clube carioca que Andrada viveu a melhor fase da sua carreira, conquistando títulos e prêmios pessoais.

Após seis anos no clube, Andrada mudou-se para a Bahia para defender o Vitória. A sua passagem pelo rubro-negro baiano durou apenas um ano e, em 1977, o goleiro regressou ao seu país natal para defender o Colón onde ficou até 1982, quando encerrou a carreira.

Milésimo gol de Pelé[editar | editar código-fonte]

Numa quarta-feira, 19 de novembro de 1969 (ano em que chegou ao Vasco da Gama), Andrada teve à sua frente Pelé que perseguia a marca de 1000 gols na carreira. O estádio do Maracanã recebeu 65.157 pessoas que queriam ver o jogador alcançar a marca histórica, mas Andrada não queria entrar para história como o goleiro que sofreu o milésimo gol de Pelé. Ou como o "Goleiro do Rei" como foi chamado pela mídia, mas, provavelemente, não muito propalado pela maneira não muito agradável como Andrada encarou na época essa situação.

O argentino esforçou-se para não sofrer o gol, mas ao 33 minutos do segundo tempo houve um pênalti a favor do Santos e era a grande oportunidade de Pelé marcar. Todos no estádio gritavam o nome de Pelé. Andrada saltou para o lado certo e tocou na bola, mas não foi suficiente para evitar que Pelé marcasse o milésimo gol.

Em 2008 o goleiro foi acusado de ter sido um agente do serviço de inteligência da ditadura militar argentina entre 1976 e 1983.[2]

Vínculo com a Ditadura militar[editar | editar código-fonte]

Após deixar o futebol, atuou como funcionário da Secretaría de Inteligencia durante a Ditadura militar argentina.[3] Chegou a ser acusado de participação no sequestro e morte de dois militantes peronistas em maio de 1983, mas por falta de provas não foi levado a julgamento.[4]

Faleceu em 4 de setembro de 2019 aos 80 anos de idade.[4]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Vasco

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Danilo Casaletti (26 de Março de 2007). «O mito do milésimo gol». Consultado em 24 de Março de 2008 
  2. Adriana Küchler (15 de Fevereiro de 2008). «Ex-repressor acusa goleiro de laço com ditadura argentina». Consultado em 24 de Março de 2008 
  3. Adriana Küchler (15 de Fevereiro de 2008). «Ex-repressor acusa goleiro de laço com ditadura argentina». Consultado em 24 de Março de 2008 
  4. a b «Murió el Gato Andrada, un símbolo de Central en los años 60» (em espanhol). La Capital. 4 de setembro de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]