Elena Ferrante

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Elena Ferrante
Nascimento 5 de abril de 1943 (79 anos)
Nápoles (Reino de Itália)
Cidadania Itália
Etnia Italianos
Ocupação romancista, escritora, roteirista, tradutora
Obras destacadas L'amore molesto, The Days of Abandonment, The Lost Daughter, Frantumaglia: a Writer's Journey, The Lying Life of Adults, My Brilliant Friend, The Story of a New Name, Those Who Leave and Those Who Stay, The Story of the Lost Child
Religião ateísmo
Página oficial
https://elenaferrante.com

Elena Ferrante é o pseudônimo de uma escritora italiana, cuja identidade é mantida em segredo.[1] Especula-se que seja uma tradutora.

A autora concede poucas entrevistas, todas elas por escrito e intermediadas pelas suas editoras italianas. Nelas, explica que optou pelo anonimato para poder escrever com liberdade, e também para que a recepção de seus livros não seja influenciada por uma imagem pública. Especula-se, com base nas suas obras, que tenha nascido em Nápoles, uma vez que livros como a tetralogia "Série Napolitana", trazem uma descrição detalhada da cidade e de seus costumes. Através de suas obras, é possível perceber que Elena Ferrante apresenta um sólido conhecimento dos autores clássicos gregos e latinos.[2]

O escritor italiano Domenico Starnone — que já foi apontado como o autor das obras assinadas por Ferrante — nega as especulações.[3] Em outubro de 2016, o jornalista italiano Tommaso Debenedetti publicou um artigo polêmico em que revela que a escritora é, na verdade, uma tradutora chamada Anita Raja. Anita é filha de uma alemã que foi para Itália após do Holocausto. É casada com o escritor Domenico Starnone.[4] Em sua obra, alguns temas são recorrentes, como a infância, a maternidade, o casamento e as relações entre homens e mulheres.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Especula-se que nasceu em Nápoles, a mesma paisagem da maioria de seus romances e que seja casada com Domenico Starnone. Terá estudado literatura, crê-se que gosta da escrita tchekoviana e de Jane Austen.

Há uma certeza sobre Elena Ferrante: escreve desde 1991, ano em que publicou seu primeiro romance, L'amore molesto (Um Estranho Amor, em Portugal; Um Amor Incômodo, no Brasil), bem recebido pela crítica. O cineasta Mário Martone leu-o e converteu-o num filme memorável.[5] O livro A amiga genial — primeiro da "Série Napolitana" — foi adaptado para a TV pela HBO.

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

Tetralogia "Série Napolitana"[editar | editar código-fonte]

  • A amiga genial - no original L'amica geniale, 2011
  • História do novo nome (título em Portugal) ou História do novo sobrenome (título no Brasil) - no original Storia del nuovo cognome, 2012
  • História de quem vai e de quem fica (título em Portugal) ou História de quem foge e de quem fica (título no Brasil) - no original Storia di chi fugge e di chi resta, 2013
  • História da Menina Perdida - no original Storia della bambina perduta, 2014

Infantil[editar | editar código-fonte]

Não-ficção[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]