Escola Superior de Teatro e Cinema

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Escola Superior de Teatro e Cinema (ESTC) do Instituto Politécnico de Lisboa, sucessora do Conservatório Nacional de Lisboa fundado por Almeida Garrett, é uma escola de ensino superior politécnico vocacionada para o ensino, a nível superior, do Teatro e do Cinema e atualmente instalada na cidade da Amadora.

Novo edifício da Escola Superior de Teatro e Cinema na Amadora, obra do arquiteto Manuel Salgado e inaugurado em 1998.

História[editar | editar código-fonte]

Diário do Governo de 17 de Novembro de 1836.

O Conservatório Geral de Arte Dramática foi fundado em 1836 por Decreto[1] da rainha D. Maria II de Portugal, no âmbito de um plano para a fundação e organização de um Teatro Nacional proposto por João Baptista de Almeida Garrett. Este estava então dividido numa Escola Dramática ou de Declamação, numa Escola de Música e numa Escola de Dança, Mímica e Ginástica Especial.

Litografia de Almeida Garrett por Pedro Augusto Guglielmi (Biblioteca Nacional de Portugal).

Incorporou-se neste estabelecimento o Conservatório de Música, criado na Casa Pia por Decreto de 1835.

A Escola de Teatro apenas começaria a funcionar em 1839[2].

Em reformas posteriores, o nome do Conservatório foi alterado para Conservatório Real de Lisboa e o da Escola Dramática ou de Declamação para Escola de Arte de Representar, já depois da implantação da República, quando o Conservatório passou a ser designado por Conservatório Nacional.

Por Decreto de 4 de julho de 1914 foi concedida, pela primeira vez, à Escola de Arte de Representar autonomia administrativa.

Nesta Escola foi criado, por Decreto de 19 de maio de 1914, o curso de cenografia e decoração teatral (cujo ensino seria ministrado no salão grande de pintura do Teatro Nacional Almeida Garrett, o qual, considerado como dependência da Escola de Arte de Representar ficava “exclusivamente destinado ao serviço e oficinas do respectivo professor”) e, por Decreto de 6 de agosto de 1914, o curso de indumentária prática teatral.

Toda esta tradição foi sendo mantida e desenvolvida nas reformas posteriores do ensino da área do Teatro e transparece hoje nos cursos ministrados na Escola Superior de Teatro e Cinema.

Edifício do Conservatório Nacional em Lisboa.

No que ao Cinema se refere, o respetivo curso só foi introduzido no Conservatório Nacional, como experiência pedagógica, a partir de 1971, no âmbito do processo de reforma empreendido por Madalena Perdigão, sendo ministro José Veiga Simão.

Foi então criada a Escola Piloto para a Formação de Profissionais de Cinema, cujo curso se iniciou em 1973 e teve, desde o princípio, a preocupação de aliar à transmissão de conhecimentos técnicos inerentes à prática das profissões do Cinema uma vertente mais artística.

O curso que a Escola Superior de Teatro e Cinema hoje ministra é ainda o resultado de uma evolução radicada naquele primeiro curso de cinema que, aliás, foi pioneiro no ensino superior público português.

Em 1983, o Decreto-Lei n.º 310/83 de 1 de Julho determina o seguinte:"Art. 19.º O Conservatório Nacional será reconvertido nos termos previstos nos artigos seguintes, sucedendo-lhe, para todos os efeitos legais, os estabelecimentos de ensino agora criados, considerando-se extinto a partir de data a fixar por portaria do Ministro da Educação (...). Art. 20.º - 1 - São criadas em Lisboa as Escolas Superiores de Música, de Dança e de Teatro e Cinema"[3].

Pelo Decreto do Governo n.º 46/85, de 22 de novembro[4], a Escola Superior de Teatro e Cinema que até então funcionara sob a dependência da Direcção-Geral do Ensino Superior e fora dirigida desde 1983 por uma Comissão Instaladora composta pelos professores Jorge Listopad, como presidente, e José Bogalheiro, como vogal, é integrada no Instituto Politécnico de Lisboa, estabelecimento de ensino superior politécnico público criado pelo Decreto–Lei nº 513-T/79, de 26 de Dezembro.

A Escola Superior de Teatro e Cinema passou, assim, a constituir uma unidade orgânica do Instituto Politécnico de Lisboa (IPL) e manteve-se em regime de instalação, sob a direção da referida comissão instaladora, até à publicação dos seus Estatutos no Diário da República, 2ª série, n.º 15, de 18 de janeiro de 1995[5].

A construção na Amadora, dentro da zona da grande Lisboa, de um edifício de raiz para a Escola Superior de Teatro e Cinema, o primeiro destinado a uma escola de ensino superior artístico em Portugal, permitiu, finalmente, a transferência em 1998 das suas atividades do velho edifício do Convento dos Caetanos em Lisboa, onde Almeida Garrett instalara com carácter provisório em 1836 o Conservatório Geral de Arte Dramática, para umas instalações modernas, dotadas de espaços letivos adequados, de estúdios, de salas de espetáculos e de visionamento, de biblioteca e refeitório que possibilitam as melhores condições de trabalho para os alunos que a frequentam. As instalações da Escola Superior de Teatro e Cinema na Amadora são inauguradas oficialmente pelo então Ministro da Educação, Guilherme d'Oliveira Martins, no dia 10 de dezembro de 1999.

A estrutura bi-departamental da Escola, resultante da herança histórica das pré-existentes escolas de Teatro e de Cinema do Conservatório Nacional, levou a que os seus Departamentos sejam dotados de alguma autonomia pedagógico - científica interna, consagrada estatutariamente.

O Presidente da República, Jorge Sampaio, visita a ESTC e preside à sessão solene de abertura do ano letivo 2000-2001.

No ano letivo 2007/2008 foram introduzidos os primeiros mestrados na Escola e a partir de 2012/2013 deu-se início ao doutoramento em Artes, Artes Performativas e da Imagem em Movimento, numa colaboração com a Universidade de Lisboa, que confere o grau.

Em 2013 celebrou os 175 anos de existência da Escola de Teatro com uma homenagem a Manoel de Oliveira e a Luís Miguel Cintra, que receberam a Medalha de Conhecimento e Mérito do Instituto Politécnico de Lisboa.[6]

Em dezembro de 2013, Heiner Goebbels, compositor e encenador alemão de instalações performativas musico-teatrais, uma das mais importantes figuras da vanguarda musical contemporânea e da cena teatral, realiza uma conferência no Centro Cultural de Belém (CCB) e um encontro na Escola Superior de Teatro e Cinema, a convite da própria ESTC e da Universidade de Lisboa, nos quais fala da sua obra.[7]

A 10 de abril de 2014 a Escola Superior de Teatro e Cinema homenageia Alberto Seixas Santos, realizador, fundador da Escola de Cinema do Conservatório Nacional e antigo professor da ESTC (sucessora do Conservatório). Alberto Seixas Santos é distinguido com a medalha de Conhecimento e Mérito do Instituto Politécnico de Lisboa, ao qual a ESTC pertence e são exibidos excertos do documentário ''Refúgio e Evasão'', de Luís Alves de Matos, que aborda o olhar cinematográfico de Alberto Seixas Santos. A sessão conta ainda com as intervenções do sociólogo francês Jacques Lemière, especialista em cinema português, e do Diretor do Departamento de Cinema da ESTC, José Bogalheiro[8].

A Escola Superior de Teatro e Cinema tem vindo a afirmar-se, nacional e internacionalmente, como uma Escola de referência nos seus domínios, integrada em importantes organizações internacionais quer do âmbito do Teatro, como o ITI - International Theatre Institut, quer do âmbito do Cinema, como o CILECT – Centre International de Liaison des Écoles de Cinéma et Télévision, quer no das Artes em geral, caso da ELIA – European League of Institutes of the Arts.

Esta preocupação pela internacionalização fez também com que a Escola reforçasse a sua participação ativa em programas de intercâmbio de discentes e docentes com Escolas estrangeiras, no âmbito de programas específicos como o Sócrates/ Erasmus e o Leonardo Da Vinci, bem como através de programas bi-laterais com Universidades da América Latina (Brasil, Argentina, México)[9].

Os cursos[editar | editar código-fonte]

Na ESTC são lecionados quatro cursos: dois de licenciatura e dois de mestrado, que se dividem em ramos e especializações.

A licenciatura em Teatro divide-se em quatro ramos: Atores, Design de Cena, Dramaturgia e Produção, e apenas existem algumas unidades curriculares (cadeiras) comuns entre estes ramos, especialmente as teóricas. Já na licenciatura em Cinema, o primeiro ano é comum, sendo que no segundo ano os alunos optam por um destes seis ramos: Argumento, Produção, Realização, Imagem, Som ou Montagem.

O acesso às licenciaturas é realizada através de um concurso local de acesso, o que significa que os candidatos terão de efetuar a sua candidatura na própria escola e realizar uma série de provas de seleção. Normalmente, as candidaturas são abertas em meados de maio e terminam a meio de junho.

No que diz respeito ao mestrado em Teatro, o mesmo divide-se em cinco especializações: Artes Performativas, Design de Cena, Encenação, Produção e Teatro e Comunidade. No caso das Artes Performativas existem quatro vertentes: Escritas de Cena, Interpretação, Teatro do Movimento e Teatro-Música. O mestrado em Desenvolvimento de Projeto Cinematogrático tem três especializações: Narrativas Cinematográficas, Dramaturgia e Realização e Tecnologias de Pós-Produção.

A partir do ano letivo 2012/2013 deu-se início ao doutoramento em Artes, Artes Performativas e da Imagem em Movimento, numa colaboração com a Universidade de Lisboa, que concede o grau. Neste doutoramento estão envolvidas 7 instituições:

Os alunos[editar | editar código-fonte]

Entre os alunos que frequentaram a ESTC estão nomes como:

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • Álvaro Correia, ator e encenador
  • Carlos J. Pessoa, ator e encenador
  • Carlos Cardoso Lamego, enc, inv. e prof. de teatro/exp.dramática
  • Guilherme Filipe, ator, encenador, investigador e professor de teatro

Cinema[editar | editar código-fonte]

Associação de Estudantes[editar | editar código-fonte]

A ESTC possui uma Associação de Estudantes, a Associação de Estudantes da Escola Superior de Teatro e Cinema (AEESTC).

Alunos Atuais Destacados[editar | editar código-fonte]

  • Mariana Lavier
  • Guilherme Mendonça
  • Diogo Sampaio(atualmente professor)
  • Henrique Matos
  • Francisco Azevedo
  • Luis Bivar
  • Jonnas Pierr
  • Mariana Monteiro,
  • Perdo Hilfigher
  • João Matos
  • São Xavier,
  • Benedita Henriques
  • Lourenço Teto
Grande Auditório da Escola Superior de Teatro e Cinema.

Os professores[editar | editar código-fonte]

Entre os professores que lecionaram na ESTC, destacam-se:

Teatro[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Divisão por áreas:

Realização

  • Ana Luísa Guimarães
  • Graça Castanheira
  • Joaquim Sapinho
  • Luís Fonseca
  • Vítor Gonçalves

Produção

  • Fátima Chinita
  • Isabel Machado
  • Isabel Silva
  • João Milagre
  • Nuno Fonseca
  • Paulo Leite

Argumento

Montagem

Imagem

  • Iana Ferreira
  • Leonardo Simões
  • Rosário de Oliveira

Som

  • Filipe Oliveira
  • Emídio Buchinho
  • João Lisboa

Estudos

  • Fátima Chinita
  • João Lopes
  • João Maria Mendes
  • José Bogalheiro
  • Luís Fonseca
  • Marta Mendes

Os presidentes / diretores[editar | editar código-fonte]

Como Escola Superior de Teatro e Cinema:

  • 2015-2018 - João Maria Mendes (Presidente)
  • 2012-2014 - António Lagarto (Presidente)
  • 2011 - Carlos J. Pessoa (Presidente)
  • 2007-2010 - Filipe Oliveira (Presidente do Conselho Diretivo)
  • 2004-2006 - Paulo Morais Alexandre (Presidente do Conselho Diretivo)
  • 2001-2003 - Daniel Del-Negro (Presidente do Conselho Diretivo)
  • 1998-2000 - João Mota (Presidente do Conselho Diretivo)
  • 1995-1997 - Filipe Oliveira (Presidente do Conselho Diretivo)
  • 1983-1995 - Jorge Listopad (Presidente da Comissão Instaladora)

Como Conservatório:

Órgãos de direção atuais[editar | editar código-fonte]

(2015-2018)

  • Presidente - João Maria Mendes
  • Diretor do Departamento de Teatro - Álvaro Correia
  • Diretor do Departamento de Cinema - José Bogalheiro
  • Presidente do Conselho Técnico-Científico - David Antunes
  • Presidente do Conselho Pedagógico - Fátima Ribeiro
  • Presidente do Conselho de Representantes - Jean Paul Bucchieri

Prémios[editar | editar código-fonte]

Escola[editar | editar código-fonte]

Em agosto de 2008, o Conselho Ibero-americano para a Qualidade Educativa, no seu 4.º encontro realizado na cidade de Guayaquil, no Equador distinguiu a Escola Superior de Teatro e Cinema com o prémio excelência educativa 2008. Este prémio tinha por objetivo realçar o esforço e dedicação dos profissionais da ESTC em prol da melhoria do desenvolvimento da educação iberoamericana. Deste prémio faziam parte as seguintes distinções: troféu de honra e excelência educativa 2008, título e medalha de "doutor honoris causa", título e medalha de "master" em Gestão Educativa.

Cinema[editar | editar código-fonte]

Filmes premiados produzidos na Escola Superior de Teatro e Cinema:

2008

- A Tigela, de Tiago Sousa: Prémio IPJ no Estoril Film Festival.[11]

2009

- Deixar Cair a Noite, de Jorge Jácome: Prémio Meo de Melhor Curta-Metragem - Menção Honrosa no Estoril Film Festival.[12]

2011

- Lugar do Tempo, de Manuel Guerra: vencedor da categoria Património Imaterial do 6.º Concurso de Vídeo da Fundação INATEL.[13]

2012

- Rhoma Acans, de Leonor Teles: vencedor da categoria Património Imaterial do 7.º Concurso de Vídeo da Fundação INATEL.[14]

- Do Mundo, de Manuel Guerra: prémio Take One! (competição de filmes de escola) na 20.ª edição do Curtas Vila do Conde.[15]

- Lugar do Tempo, de Manuel Guerra: prémio PrimeirOlhar dos XII Encontros de Viana.[16]

2013

- Primária, de Hugo Pedro: vencedor da categoria Património Imaterial do 8.º Concurso de Vídeo da Fundação INATEL.[17]

- O Corpo Maior, de Marta Moreno: Prémio Vo'Arte no Festival InShadow.[18]

- Primária, de Hugo Pedro: prémio de Prémio Melhor Curtas-Metragens Meo no Lisbon & Estoril Film Festival.[19]

- Primária, de Hugo Pedro: prémios de Melhor Curta Nacional e Prémio do Público no Córtex - Festival de Curtas-Metragens de Sintra.[20]

- Rhoma Acans, de Leonor Teles: menção honrosa no Córtex - Festival de Curtas-Metragens de Sintra.[21]

- 5040, de Inês Teixeira: prémio Novos Talentos da 1.ª edição do Arquiteturas Film Festival.

- Depois dos Nossos Ídolos, de Ricardo Penedo: prémio In My Shorts (competição de curtas-metragens de escola) na 17.ª edição do QueerLisboa.[22]

- Rhoma Acans, de Leonor Teles: prémio Take One! (competição de filmes de escola) na 21.ª edição do Curtas Vila do Conde.[23]

- Rhoma Acans, de Leonor Teles: menção honrosa do Prémio Árvore da Vida para Filme Português da 10.ª edição do IndieLisboa - Festival Internacional de Cinema Independente.[24]

2014

- O Corpo Maior, de Marta Moreno: Prémio Melhor Documentário na 11.ª edição da MIFEC - Mostra Internacional de Filmes de Escolas de Cinema.[25]

- Poço das Almas, de Filipa Pinto: menção honrosa no Prémio Meo no Lisbon & Estoril Film Festival.[26]

- Fúria, de Diogo Baldaia: Prémio Melhor Ensaio Fnac no Festival Caminhos do Cinema Português.[27]

- Poço das Almas, de Filipa Pinto: vencedor da categoria Património Imaterial do 9.º Concurso de Vídeo da Fundação INATEL.[28]

Relações internacionais[editar | editar código-fonte]

A ESTC está filiada:

Referências

  1. Diário do Governo de 17 de Novembro de 1836
  2. Vasques, Eugénia, "A Escola de Teatro do Conservatório (1839-1901). Contributo para uma História do Conservatório de Lisboa", Gradiva, Lisboa, 2012
  3. Diário da República de 1 de julho de 1983, n.º 149/83 Série I
  4. Diário da República de 22 de Novembro de 1985, n.º 269/85 Série I
  5. Diário da República de 18 de janeiro de 1995, n.º 15, Série II
  6. «Homenagem a Manoel de Oliveira e Luís Miguel Cintra». Jornal Diário de Notícias (site). 10 de janeiro de 2013. Consultado em 11 de janeiro de 2013 
  7. TVAmadora, 6 de dezembro de 2013 | http://www.tvamadora.com/Video.aspx?videoid=2341
  8. Site da ESTC | http://www.estc.ipl.pt/escola/arquivo/eventos/2013_14/homenagem_alberto_seixas_santos.html
  9. História e Missão da Escola Superior de Teatro e Cinema - Site da ESTC | http://www.estc.ipl.pt/escola/historia.html
  10. «João Estrada». IMDb. Consultado em 7 de julho de 2016 
  11. Jornal Expresso (site) | http://expresso.sapo.pt/cinema-filme-checo-vence-encontro-de-escolas-europeias-no-festival-do-filme-do-estoril=f457698 (19 de novembro de 2008). Página visitada em 29 de abril de 2013
  12. Ante-Cinema (blogue) | http://www.ante-cinema.com/estoril-film-festival-palmares/. (14 de novembro de 2009). Página visitada em 29 de abril de 2013
  13. INATEL (site) | http://www.inatel.pt/content.aspx?menuid=932&eid=1040. Página visitada em 29 de abril de 2013
  14. INATEL (site) | http://www.inatel.pt/content.aspx?menuid=42. Página visitada em 29 de abril de 2013
  15. Cinema 7.ª Arte (blogue) | http://www.cinema7arte.com/site/?p=5880 (14 de julho de 2012). Página visitada em 29 de abril de 2013
  16. Junta de Freguesia de Corroios (site)| http://www.jf-corroios.pt/cultura/noticias-c/703-documentario-lugar-do-tempo (5 de junho de 2012). Página visitada em 29 de abril de 2013
  17. INATEL (site) | http://www.inatel.pt/content.aspx?menuid=42. Página visitada em 2 de janeiro de 2014
  18. InShadow Festival (facebook) | https://www.facebook.com/photo.php?fbid=725820590762686&set=a.173805825964168.48966.173509209327163&type=1&theater. Página visitada em 2 de janeiro de 2014
  19. Jornal Público (site) | http://www.publico.pt/cultura/noticia/filme-iraniano-vence-edicao-2013-do-lisbon--estoril-1612997. Página visitada em 18 de novembro de 2013
  20. Jornal Público (site) | http://www.publico.pt/cultura/noticia/curtasmetragens-primaria-e-le-maillot-de-bain-vencem-cortex-1609034. Página visitada em 15 de outubro de 2013
  21. Jornal Público (site) | http://www.publico.pt/cultura/noticia/curtasmetragens-primaria-e-le-maillot-de-bain-vencem-cortex-1609034. Página visitada em 15 de outubro de 2013
  22. Jornal Público (site) | http://www.publico.pt/cultura/noticia/a-fold-in-my-blanket-e-o-vencedor-do-17%C2%BA-queer-lisboa-1607465. Página visitada em 30 de setembro de 2013
  23. Curtas Vila do Conde (site) | http://festival.curtas.pt/programa/2013/premios/lista/. Página visitada em 15 de julho de 2013
  24. IndieLisboa (site) | http://www.indielisboa.com/news_detail.php?lang=1&id=724 (29 de abril de 2013). Página visitada em 29 de abril de 2013
  25. Canal Superior (site) | http://informacao.canalsuperior.pt/cooltura/17912. Página visitada em 28 de maio de 2014
  26. Jornal Observador (site) | http://observador.pt/2014/11/16/amour-fou-venceu-premio-de-melhor-filme-lisbon-estoril-film-festival/. Página visitada em 17 de novembro de 2014
  27. Jornal HardMúsica (site) | http://www.hardmusica.pt/cultura/cinema/27987-para-me-de-repente-o-pensamento-vence-festival-caminhos-de-coimbra.html. Página visitada em 24 de novembro de 2014
  28. «INATEL (site)». Consultado em 16 de dezembro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]