Saltar para o conteúdo

Diferenças entre edições de "Dolores Ibárruri"

375 bytes adicionados ,  16h53min de 25 de janeiro de 2009
sem resumo de edição
Em [[1920]] nasce seu filho Rubén, e em [[1923]] dá a luz a trigêmeas, das quais apenas uma sobrevive, Amaya. Alguns anos depois separa-se de seu marido, um marido e pai ausente pela sua militância no Partido Comunista Espanhol, do qual era um dos principais dirigentes.
 
Ela distinguiu-se durante a [[Guerra Civil Espanhola]] ([[1936]]-[[1939]]), naao oposiçãoinstigar aoos republicanos contra as tropas do [[Francisco Franco|General Franco]] com a frase: ''"É melhor morrer de pé do que viver de joelhos! Eles não passarão!"''. Exilou-se na [[União das Repúblicas Socialistas Soviéticas|URSS]] após a vitória de Franco, e regressou a [[Espanha]] em [[1977]], após a morte do general. Foi eleita para o Parlamento e permanece líder honorária do Partido Comunista até morrer, em 1989.<ref>"Nosso Tempo". Turner Publishing, Inc. e Century Books, Inc. Volume II; pg. 566. Editora Klick. 1995</ref>
 
Sua morte em [[1989]] coincide com o ano em que caiu o [[muro de Berlim]].
 
{{ref-section}}
 
{{Prêmio Lenin da Paz}}
14 510

edições