Frédéric Joliot-Curie

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Frédéric Joliot-Curie
Nascimento 19 de março de 1900
Paris
Morte 14 de agosto de 1958 (58 anos)
Paris
Nacionalidade França Francês
Alma mater Escola Superior de Física e Química Industrial de Paris
Prêmios Medalha Matteucci (1932), Nobel prize medal.svg Nobel de Química (1935), Medalha Hughes (1947)
Campo(s) Física

Jean Frédéric Joliot-Curie (Paris, 19 de março de 1900 — Paris, 14 de agosto de 1958) foi um físico francês.[1]

Recebeu o Nobel de Química de 1935.

Irène Curie + Frédéric Joliot (1934)

Casou com Irène Joliot-Curie, cujo apelido de solteira, Curie, já era famoso, devido a seus pais, Pierre Curie e Marie Curie.

Trabalhou toda a sua vida com sua mulher no campo da física nuclear e da estrutura do átomo. Juntos demonstraram a existência do nêutron e descobriram a radioatividade artificial em 1934, o que lhes valeu o Nobel de Química de 1935.

Onze anos mais tarde, foi nomeado alto comissário para a energia atômica, e através deste cargo dirigiu a construção da primeira usina atômica, em 1948.

Recebeu o Prêmio Lênin da Paz, em 1950.

Referências

  1. «Jean Frédéric Joliot-Curie». Consultado em 20 de setembro de 2010  Texto " UNIVERSIDADE DE COIMBRA " ignorado (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Franco Rasetti
Medalha Matteucci
1932
com Irène Joliot-Curie
Sucedido por
Wolfgang Pauli
Precedido por
Harold Clayton Urey
Nobel de Química
1935
com Irène Joliot-Curie
Sucedido por
Petrus Josephus Wilhelmus Debye
Precedido por
John Randall
Medalha Hughes
1947
Sucedido por
Robert Watson-Watt