Foice e martelo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Foice e martelo são símbolos que representam a classe trabalhadora - o trabalho agrícola e o trabalho industrial, respectivamente. Entretanto, o emblema é mais conhecido por ter sido incorporado à bandeira vermelha da União Soviética, bem como a cada uma de suas repúblicas constituintes. A foice e o martelo cruzados ou entrelaçados sob um fundo vermelho (ASCII ☭), geralmente representam o comunismo e os partidos políticos comunistas - na simbologia comunista a foice e o martelo representam duas categorias operárias cuja aliança é considerada fundamental para o advento de uma revolução.

Uso dos símbolos[editar | editar código-fonte]

Atual bandeira de Angola.

Em diversos países do mundo, a foice e martelo são utilizados quase que exclusivamente por partidos políticos comunistas, sendo que a simbologia da foice e do martelo cruzados foi adotada pela imensa maioria deles. Entretanto, alguns partidos comunistas abandonaram ou nunca utilizaram tais símbolos — notavelmente, o Partido Comunista Francês, o Partido Comunista Cubano e o Partido Comunista Mongol.

No Brasil, os únicos partidos com registro eleitoral a utilizarem a foice e martelo em sua simbologia são o Partido Comunista do Brasil (PCdoB) e o Partido Comunista Brasileiro (PCB). Os partidos de extrema-esquerda PSTU e PCO, adotam a foice e martelo, apesar de não mais a utilizarem em suas bandeiras, mas suas organizações internacionais (LIT-QI E CRQI, respectivamente) ainda os utilizam. Já os partidos PCBR, PCR e PCML adotam a foice e martelo, mas não têm registro junto à Justiça Eleitoral brasileira.

Em maio de 2016, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, eleito pelo PSC do Rio de Janeiro, anunciou que protocolou um Projeto Lei que criminaliza o símbolo da foice e do martelo em todo o território nacional, a exemplo do que ocorre em determinados países europeus como a Ucrânia.[1]

União Soviética[editar | editar código-fonte]

A foice e martelo tal como na bandeira soviética

Desde 1917, com a Revolução Russa, a foice e martelo (em russo, серп и молот, serp i molot) tornou-se um dos símbolos da República Socialista Soviética Federada da Rússia (RSFSR). Inicialmente, era utilizada apenas no brasão da república, já que a união entre operários e camponeses fora declarada a base do Estado, e nos símbolos do Exército Vermelho (criado em 1918).

Mais tarde, foi incorporado à bandeira da União Soviética, adotada em 1923 e oficializada na Constituição Soviética de 1924, bem como nas bandeiras das repúblicas soviéticas a partir de 1924. Antes disso, as bandeiras das repúblicas soviéticas geralmente eram apenas vermelhas, com o nome da respectiva república escrito em dourado no canto superior esquerdo, como estabelecido pelo artigo 90 da Constituição Soviética de 1918.

Os partidos comunistas afiliados ao Komintern e ao Kominform (que seguiam a orientação de Moscovo), e ainda os que se alinhavam a Pequim após o cisma sino-soviético, tendem a usar a foice e martelo ou emblemas similares em suas simbologias. Entretanto, até mesmo partidos comunistas opostos tanto às diretrizes da União Soviética quanto da China frequentemente usavam a foice e martelo como símbolo (apesar de, por vezes, fazerem leves modificações estilísticas no desenho). Assim, a foice e martelo se tornou símbolo universal do comunismo, a despeito da orientação da tendência ideológic

Símbolos similares[editar | editar código-fonte]

Brasão de armas da Áustria

O Brasão de armas da Áustria exibe uma águia segurando uma foice em uma garra e um martelo na outra, sem cruzá-los. Apesar de não ter nenhuma relação com o comunismo, o desenho foi feito para representar operários e camponeses, as duas principais classes sociais na sociedade austríaca na época de sua concepção.

Alguns outros símbolos comunistas guardam semelhança estilística ou formal com a foice e martelo, sem necessariamente representarem uma foice e um martelo. Por exemplo, tais símbolos aparecem na bandeira de Angola, no logo do Partido Comunista Português, do Partido Comunista dos EUA, e em algumas representações do logo da central sindical britânica Transport and General Workers Union.

Outras variações sobre o mesmo tema de ferramentas cruzadas incluem o símbolo do Partido dos Trabalhadores da Coreia (martelo, pincel e foice), o antigo símbolo do Partido Trabalhista britânico (espada, tocha e enxada), e o símbolo do machado e fuzil da Albânia comunista.

As correntes ideológicas trotskistas, principalmente as organizadas sob a Quarta Internacional e a Liga Quarta-internacionalista, utilizam uma versão invertida (espelhada) da foice e martelo, de forma que o símbolo se assemelhe a um algarismo quatro na forma indo-arábica (4).

Em 1990, depois que Nelson Mandela foi libertado da prisão, ele fez um discurso para os sul-africanos na Cidade do Cabo, do alto de uma tribuna decorada com uma bandeira com a foice e martelo.

A bandeira do Partido Comunista de Guadalupe usa uma letra "G" emulando uma foice e martelo.

No Unicode, o símbolo "foice e martelo" é obtido pelo código U+262D ().

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]