Estação João Felipe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Professor João Felipe
Fachada da estação João Felipe
Uso atual Nenhum
Administração E.F. de Baturité (1873-1909)
Rede de Viação Cearense (1909-1975)
RFFSA (1975-1997)
CBTU/Metrofor (1997-2014)
Governo do estado do Ceará (2014-Atualmente)
Sigla EJF
Posição Superfície
Plataformas 2
Serviços Nenhum
Informações históricas
Nomes antigos Estação Central
Estação Fortaleza
Inauguração 09 de junho de 1880 (138 anos)
Fechamento 13 de janeiro de 2014 (4 anos)
Localização
Endereço Rua Dr. João Moreira, 532-560 - (Centro)
Município Bandeira de Fortaleza.svg Fortaleza

A estação Professor João Felipe também conhecida como João Felipe é uma estação ferroviária localizada no centro da cidade de Fortaleza inaugurada em 9 de junho de 1880 e fechada em 13 de Janeiro de 2014 para as obras do metrô de Fortaleza.[1]

Histórico[editar | editar código-fonte]

Fachada da estação João Felipe vista de outro angulo.

A historia da estação João Felipe é diretamente ligada a historia das ferrovias no Ceará se iniciando com a construção da Estação de Fortaleza da Estrada de Ferro de Baturité.

Em 20 de janeiro de 1872 se deu o início da construção da primeira estrutura da estação sendo usado o terreno onde ficavam o Morro do Croatá (antiga base militar do século XVII e que em 1859 foi construído o observatório astronômico da Comissão científica idealizada por D. Pedro II, apelidada de “Comissão das Borboletas”) e o Campo da Amélia (onde existia um jardim de 1830 construído para homenagear a II Imperatriz do Brasil, D. Amélia Leuchtthemberg). A inauguração do primeiro prédio foi em 30 de novembro de 1873. A locomotiva Hunslet nº 01, carinhosamente chamada de “A Fortaleza” foi a primeira a andar sobre os trilhos da cidade. As primeiras locomotivas do Ceará foram trazidas de Leeds, na Inglaterra. Depois de desembarcadas no Poço da Dragas (antigo porto de Fortaleza), foram arrastadas por tração animal e trilhos portáteis para a estação que não havia sido terminada ainda.[2]

No terreno ocupado atualmente pela estação João Felipe, na praça da estação, funcionou o cemitério de São Casimiro. A partir de 1865, o campo santo ficou em completo abandono até que, em 1877 foi decidido sua demolição. As autoridades da época mandaram exumar alguns restos e os recolher ao cemitério de São João Batista. Em 1878 já estava tudo em ruínas: grades quebradas, túmulos destruídos, ossadas espalhadas pelo chão e animais pastando tranquilamente. A estação central foi construída sobre esses túmulos antigos.[3] Projetada e construída com planta do engenheiro Henrique Foglare, no local do antigo cemitério de São Casemiro praticamente com mão-de-obra dos retirantes da seca de 1877 em terreno que pertencia à sesmaria de Jacarecanga, de procedência da família Torres que fez doação a uma sociedade de oficiais do exército para o exercício de soldados. A Confraria de São José declarou-se dona da região e mais tarde a aforou à via férrea de Baturité. A obra, teve sua pedra fundamental lançada em 30 de novembro de 1873, mas somente foram iniciadas as obras em 1879, sendo, assim, inaugurada em 9 de junho de 1880.[4] Em 1946, quando era Presidente da República o Dr. José Linhares, cearense de Baturité, a Estação Central da RVC passou a ser chamada com o nome de Professor João Felipe, em homenagem ao ilustre engenheiro ferroviário cearense, nascido em Tauá, em 23 de março de 1861.

No dia 13 de janeiro de 2014, após anos funcionando como ponto final das linhas sul (Esta encerrou suas atividades em 2009 na estação João Felipe para dar continuidade as obras da linha sul do metrô) e oeste do sistema de trens urbanos de Fortaleza a estação foi desativada para das seguimento as obras da Linha Leste do metrô de Fortaleza.[5][6]

Características[editar | editar código-fonte]

A edificação se desenvolveu em um único pavimento, e domina completamente o espaço urbano da praça Praça Castro Carreira (Conhecida popularmente como Praça da Estação). A fachada do bloco central possui colunas sobre pedestal encimado por frontão triangular, e escadaria demarcando o acesso ao interior do edifício. As fachadas contíguas possuem fenestração com aberturas em arco pleno, arrematadas superiormente por cornijas e platibandas.

Referências

  1. «Estação João Felipe será desativada - Cidade - Diário do Nordeste». Diário do Nordeste. Consultado em 3 de fevereiro de 2018. 
  2. «Estação Professor João Felipe». PATRIMÔNIO PARA TODOS. 11 de agosto de 2010 
  3. «Estação João Felipe». www.fortalezaemfotos.com.br. Consultado em 3 de fevereiro de 2018. 
  4. «Praça da Estação». www.fortalezanobre.com.br. Consultado em 3 de fevereiro de 2018. 
  5. «Estação João Felipe é desativada para embarques e desembarques | O POVO». www20.opovo.com.br. Consultado em 11 de março de 2018. 
  6. «Estação João Felipe». www.fortalezaemfotos.com.br. Consultado em 11 de março de 2018.