General Pushkin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
General Pushkin
Personagem da série James Bond
Jrd002.jpg
Organização KGB
Categoria Aliado de James Bond
Interpretado(a) por John Rhys-Davies
Filmes 007 Marcado para a Morte (1987)

General Leonid Pushkin é um personagem do filme 007 Marcado para a Morte, décimo-quinto da série cinematográfica de James Bond e primeiro com Timothy Dalton no papel do espião. Foi interpretado nas telas pelo ator britânico John Rhys-Davies.

Características[editar | editar código-fonte]

Pushkin é o substituto do General Gogol no comando da KGB. Criativo, cabeça-dura,formal e sério, ele tem um lado espirituoso e engraçado. Homem de palavra, depois que Bond salva sua vida ele diz ao espião que lhe devia a dele, quando salva a de Bond.[1]

Filme[editar | editar código-fonte]

Chefe da KGB, a agência de segurança e espionagem soviética, Pushkin é um empecilho para os planos do vilão General Koskov e seu associado, o mercador de armas e ex-militar norte-americano Brad Whitaker. Quando Koskov foge para o Ocidente - uma farsa - faz questão de incriminar Pushkin a seus interrogadores do MI-6, como sendo o líder da SMERSH, uma organização terrorista soviética destinada a eliminar espiões ocidentais. Um oficial de alto escalão que se tornou um lunático. Com isso espera que 007 seja enviado para matá-lo.[2]

Koskov entretanto não convence James Bond, desconfiado de sua deserção. Depois de um encontro secreto com o chefe da KGB em que discutem suas lealdades ideológicas e ele se convence de que Koskov mente, Bond arma uma morte falsa de Pushkin, na frente do capanga do vilão, Necros. Com a 'morte' do maior empecilho, Koskov se sente livre para levar adiante seu plano de trocar armas de Whitaker por ópio do Afeganistão, então invadido pela URSS, tornando-se o maior exportador mundial da droga.

Depois da morte de Whitaker no enfrentamento final com Bond, Pushkin, aliado do MI-6 nesta trama, aparece na villa do americano em Tânger, e prende um chocado Koskov, mandando-o de volta para Moscou, não pelas próprias pernas, mas pela mala diplomática, uma sentença de morte.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «James Bond multimedia:John Rhys-Davies (General Leonid Pushkin)». Consultado em 10 de abril de 2011 
  2. «filmsite The Living Daylights (1987)». Consultado em 10 de abril de 2011