Gero Camilo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde maio de 2012). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes fiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde maio de 2012) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes fiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes fiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Gero Camilo
Gero Camilo em abril de 2011.
Nascimento 18 de dezembro de 1970 (43 anos)
Fortaleza, Ceará
Nacionalidade Brasil Brasileiro
Ocupação Ator, cantor e dramaturgo

Paulo Rogério da Silva mais conhecido como Gero Camilo (Fortaleza, 18 de dezembro de 1970) é um ator, cantor e dramaturgo brasileiro.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Aos dezenove anos, cursa os princípios básicos de teatro, no Teatro José de Alencar, em Fortaleza. Transfere-se para São Paulo, onde ingressa na Escola de Arte Dramática da USP, em 1994. Nas suas próprias palavras, é nítida a orientação de seu trabalho tanto de dramaturgo como de ator: "Sou desavergonhadamente poeta. Acho que todo intérprete está à mercê da poesia. Minha vontade é sempre trazer a poesia para este tempo". De fato, as primeiras encenações de suas obras para o teatro revelam um tom marcadamente lírico, cujo resultado positivo ante o público e a crítica se dá rapidamente. Como militante da Teologia da Libertação, Gero Camilo iniciou-se no Ceará, no teatro amador, com objetivos didáticos. Foi o teatro, mais especificamente a Escola de Artes Dramática da USP que trouxe o poeta, dramaturgo, ator e cantor Gero Camilo até São Paulo, em 1994. Nesse período, Gero Camilo integrou o elenco de montagens realizadas por alunos, que lhe valeram o contato com diretores como Cristiane Paoli-Quito, na improvisação "Prelúdico para Clowns e Guitarra"; e José Rubens Siqueira, em "Tartufo, ou O Impostor". Gero Camilo formou-se em 1998. No processo seletivo da EAD, Gero Camilo manifestou vocação dramatúrgica, apresentando sua primeira peça, o monólogo "A Procissão", escrita em julho de 1993 e encenada em 1998, com direção e interpretação do próprio Gero. Trata da luta de romeiros pela sobrevivência no sertão, narrada pela personagem Zé, em meio a um cenário composto por lampiões, cruzes e velas. Em 2004, encena a peça "Aldeotas", de sua autoria, dirigida por Cristiane Paoli-Quito. O espetáculo confirma a sensibilidade do autor e rende à diretora o Prêmio Shell. Trata-se da história de um poeta, Levi, que envia ao melhor amigo de infância, Elias, na véspera de seu reencontro depois de muitos anos, uma peça de teatro que rememora causos e casos compartilhados por eles. No mesmo ano, Ivan Andrade e o próprio dramaturgo dirigem "Entreatos", composto inicialmente por duas e depois por três peças que abordam temas cotidianos e que são extraídas de seu livro "A Macaúba da Terra", de 2002, que apresenta também contos, além de peças curtas. Em "Café com Torradas", um homem está com uma senha numa fila de espera e interage com o público; "Quem Dará o Veredicto?" conta a aflição de uma telefonista que não suporta mais sua rotina e decide não sair mais de casa; em "Um Quatro Cinco", há um encontro marcado pelo disque-amizade. A sua publicação independente, "A Macaúba da Terra", já tinha rendido em 2003 a montagem "As Bastianas" pela Companhia São Jorge de Variedades, com direção de Luís Mármora, baseada nos contos do livro. "Cleide, Eló e as Pêras", dirigido por Gustavo Machado, em 2006, constitui-se de mais três textos do mesmo "A Macaúba da Terra". Nas duas primeiras partes, as declarações de amor do vigia Ernesto por Cleide e de Isadora por um homem chamado Eló; na última, o encontro de Ernesto e Isadora. Mais uma vez, há o despojamento do cenário e a dramatização centrada nos atores, características que a dramaturgia de Gero Camilo demanda. Gero Camilo dedica-se também ao cinema. A trajetória no cinema começou ainda na EAD, com participações nos filmes "Cronicamente Inviável" e "Domésticas". Mas foi em "Bicho de Sete Cabeças", a primeira de muitas parcerias com Rodrigo Santoro, que Gero Camilo se tornou conhecido do grande público. Gero Camilo atuou, também, nos filmes "Abril Despedaçado", "Madame Satã", "Cidade de Deus", "Carandiru", "Narradores de Javé" e "Chamas da Vingança", esse último uma produção americana que conta com Denzel Washington, Mickey Rourke e Christopher Walken no elenco. Na televisão, entre outras coisas Gero Camilo participou da minissérie "Hoje é Dia de Maria", "Brava Gente", "Som & Furia" e do remake da novela "Gabriela" na Rede Globo.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Novelas, Séries & Minisséries
Ano Título Papel Notas Emissora
2000 Brava Gente (Indisponível) Ep. As Aventuras de Chico Norato Contra o Boto Vingativo Rede Globo
2005 Hoje é Dia de Maria Zé Cangaia Rede Globo
2009 O Amor Segundo Benjamim Schianberg Sávio TV Cultura
A Noiva João
Som & Fúria Naum Rede Globo
2011 Amor em quatro atos José[2] Rede Globo
2012 Gabriela Miss Pirangi Coadjuvante Rede Globo

Cinema[editar | editar código-fonte]

Longas & Curtas-Metragens
Ano Título Papel Notas
1999 Mantus (Indisponível)
2000 Cronicamente Inviável Motorista de ônibus
2001 Abril Despedaçado Reginaldo
Bicho de Sete Cabeças Interno Ceará
Domésticas (Indisponível)
2002 Cidade de Deus Paraíba
Madame Satã Agapito
2003 Narradores de Javé Firmino
Carandiru Sem Chance
2004 Chamas da Vingança Aurélio Rosa Sanchez
2007 Pequenas Histórias Zé Burraldo
Cinco Frações de Uma Quase História Vicente
2009 O Auto da Camisinha Anjo Curta-Metragem
Hotel Atlântico Sacristão
2011 Assalto ao Banco Central Tatu
Eu Receberia as Piores Notícias dos seus Lindos Lábios Viktor Laurence
2013 Os Pobres Diabos Zeferino

Teatro[editar | editar código-fonte]

Como ator
Espetáculos como ator
Ano Título Papel
1995 O Macaco Peludo
1996 Aquele que Diz Sim, Aquele que Diz Não
Prelúdico para Clowns e Guitarra
1997 Tartufo
1998 A Procissão
1999 A Cândida Erêndira e Sua Avó Desalmada
2004 Aldeotas
2006 Cleide, Eló e as Pêras
2008 Navalha na Carne
2011 A Casa Amarela
2012 Cabaretfagia - Tristezas de Raimundo
2013 A Casa Amarela Van Gogh[3]
Tropicália é Preciso! Ele Mesmo[4]
Como diretor
Espetáculos como diretor
Ano Título
1998 A Procissão
2004 Entreatos
2012 Cabaretfagia - Tristezas de Raimundo
2013 A Casa Amarela[5]
Como autor
Peças de sua autoria
Ano Título
1998 A Procissão
2002 A Macaúba da Terra
2003 As Bastianas
2004 Entreatos
Aldeotas
2006 Cleide, Eló e as Pêras
2011 A Casa Amarela
2012 Cabaretfagia - Tristezas de Raimundo

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre um ator ou atriz de cinema é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.