Gero Camilo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde fevereiro de 2017).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde maio de 2012) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Paulo Rogério da Silva redireciona para este artigo. Para o jogador de futebol, veja Paulo Rogério Reis Silva.
Gero Camilo
Gero Camilo em abril de 2011.
Nome completo Paulo Rogério da Silva[1]
Nascimento 18 de dezembro de 1970 (46 anos)
Fortaleza, Ceará
Nacionalidade Brasil Brasileiro
Ocupação Ator, cantor, diretor e dramaturgo

Gero Camilo, nome artístico de Paulo Rogério da Silva, (Fortaleza, 18 de dezembro de 1970), é um poeta, ator, diretor, cantor, compositor e dramaturgo brasileiro.[1]

Teve suas primeiras aulas de teatro no Theatro José de Alencar em Fortaleza, aos 19 anos.[1] Mudou-se para São Paulo, com 23 anos, para cursar a EAD (Escola de Arte Dramática da USP). Para passar no vestibular usa na prova de interpretação sua primeira peça autoral "A Procissão" escrita em 1993. Na EAD, enquanto cursava a escola, Gero escreve peças, contos e poemas. Embora fosse uma escola de formação de atores, Gero desenvolve conjuntamente nesses quatro anos de curso, sua produção literária. Ao se formar, em 1998, estreia profissionalmente em São Paulo o monólogo que escreveu e dirigiu "A Procissão", o mesmo que tinha usado para passar no vestibular. Em 2000 começa sua trajetória no cinema, fazendo vários dos grandes filmes brasileiros, entre eles, Bicho de Sete Cabeças, Carandiru, Narradores de Javé, Cidade Deus, Chamas da Vingança entre outros (ver lista à baixo). Em 2002 lança o Livro A Macaúba da Terra - contos e peças. Torna-se uma referencia dramatúrgica no teatro Brasileiro, encenando seus próprios textos. Um dos mais aclamados é Aldeotas, peça que faz desde 2004, sucesso sempre de publico e critica, tanto quanto "A Procissão" que também encena desde 1998. Suas peças geralmente voltam sempre aos palcos, um repertório vivo de Obras que segue dialogando com seu tempo. Apaixonado pela vida e obra de Van Gogh, vai para Amsterdam pesquisar o artista e escreve a peça "A Casa Amarela", mais um sucesso de público e crítica. Em 2015 é convidado para encenar um texto seu em Portugal, nessa ocasião, dirige conjuntamente com a portuguesa Luisa Pinto a peça "Caminham Nus Empoeirados". Em 2016 funda, junto com o parceiros, o ator Victor Mendes e a produtora Flávia Correa, a Companhia Tertúlia de Acontecimentos. Final de 2016 início de 2017 estréia "Razão Social" peça escrita e dirigida por Gero e Victor Mendes, obra que fala do samba e do golpe militar de 1964. Paralelo a sua carreira de autor e ator, lança dois discos de canções, na maioria próprias e mais algumas parcerias. Lança primeiro o CD Canções de Invent, em 2008. E o CD Megatamainho, em 2014.

Na televisão, entre outros trabalhos, Gero participou da minissérie Hoje é Dia de Maria, Brava Gente, Som & Fúria e do remake da novela Gabriela na Rede Globo.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Como autor[editar | editar código-fonte]

Livro e Peças de sua autoria

Ano

Título

1998 A Procissão Peça
2002 A Macaúba da Terra Livro de Contos e Peças
2003 As Bastianas Conto adaptado para Peça
2004 Entreatos Peça
Aldeotas Peça e Livro
2006 Cleide, Eló e as Pêras Peça
2011 A Casa Amarela Peça e Livro
2012 Cabaretfagia - Tristezas de Raimundo Conto adaptado para Peça
2015 Caminham Nus Empoeirados Peça
2016 Razão Social Peça / coautoria Victor Mendes
2016 Cajita de Monerías Livro de Poesia

Como músico[editar | editar código-fonte]

No cinema[editar | editar código-fonte]

Longas & Curtas-Metragens
Ano Título Papel Notas
2000 Cronicamente Inviável Motorista de ônibus
2001 Abril Despedaçado Reginaldo
Bicho de Sete Cabeças Interno Ceará
Domésticas (Indisponível)
2002 Cidade de Deus Paraíba
Madame Satã Agapito
2003 Narradores de Javé Firmino
Carandiru Sem Chance
2004 Chamas da Vingança Aurélio Rosa Sanchez
2007 Pequenas Histórias Zé Burraldo
Cinco Frações de Uma Quase História Vicente
2009 O Auto da Camisinha Anjo Curta-Metragem
Hotel Atlântico Sacristão
2011 Assalto ao Banco Central Tatu
Eu Receberia as Piores Notícias dos seus Lindos Lábios Viktor Laurence
2013 Os Pobres Diabos Zeferino
2015 Dá Licença de Contar Mato Grosso Curta

No teatro[editar | editar código-fonte]

Victor Mendes (esquerda) e Gero Camilo (direita) em cena da peça Aldeotas.

Como ator[editar | editar código-fonte]

Espetáculos como ator
Ano Título Papel
1990 O Fantástico Circo da Vida
1991 Simulacro: Uma História Sequestrada
1995 O Macaco Peludo Paddy
1996 Aquele que Diz Sim, Aquele que Diz Não
Prelúdico para Clowns e Guitarra
1997 Tartufo Damis
1998 A Cândida Erêndira e Sua Avó Desalmada
1999 A Procissão
2004 Aldeotas Levi
2006 Cleide, Eló e as Pêras Ernesto
2008 Navalha na Carne Veludo
2011 A Casa Amarela
2012 Cabaretfagia - Tristezas de Raimundo
2013 A Casa Amarela Van Gogh[2]
2014 Cartas À/De Pio Pio Lourenço Correa
2015 Caminham Nus Empoeirados
2016

2017

Razão Social Sabino

Como diretor[editar | editar código-fonte]

Espetáculos como diretor
Ano Título
1998 A Procissão
2004 Entreatos direção conjunta Ivan Andrade
2012 Cabaretfagia - Tristezas de Raimundo
2014 Cartas À/De Pio
2015 Caminham Nus Empoeirados direção conjunta Luisa Pinto
2016 Razão Social: direção conjunta Victor Mendes

Na televisão[editar | editar código-fonte]

Novelas, Séries & Minisséries

Ano

Título

Papel

Notas

Emissora

2000 Brava Gente (Indisponível) Ep. As Aventuras de Chico Norato Contra o Boto Vingativo Rede Globo
2005 Hoje é Dia de Maria Zé Cangaia Rede Globo
2009 O Amor Segundo Benjamim Schianberg Sávio TV Cultura
A Noiva João
Som & Fúria Naum Rede Globo
2011 Amor em quatro atos José[3] Rede Globo
2012 Gabriela Miss Pirangi Coadjuvante Rede Globo
2015 Felizes para Sempre? Carlos Rede Globo
2015 O Hipnotizador HBO

Referências

  1. a b c «Gero Camilo». Enciclopédia Itaú Cultural. Consultado em 21 de janeiro de 2017 
  2. «VERA MANTERO NA CASA DE CULTURA». 9 julho 2016 
  3. http://www.teledramaturgia.com.br/tele/amorem4atosq.asp

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre um ator ou atriz de cinema é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.