Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2010

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O Grande Prêmio Brasileiro de Cinema 2010 é a nona edição do Grande Prêmio Brasileiro de Cinema, organizado pela Academia Brasileira de Cinema, homenageando os melhores filmes em diversas categorias de 2009. A edição ocorreu dia 08 de junho de 2010, sediada no Teatro João Caetano (Niterói). [1] A Homenageada da noite foi a diretora cineasta Alice Gonzaga, filha de Adhemar Gonzaga.

Entre os mais indicados estão: A Mulher Invisível e Tempos de Paz com 10 indicações. Seguido de À Deriva e Se Eu Fosse Você 2 com 9.

Com 5 vitórias, o filme É Proibido Fumar é o campeão da noite de premiações, seguido pelo documentário Simonal - Ninguém Sabe o Duro que Dei com 4 vitórias.

Indicações[editar | editar código-fonte]

Vencedores estão com o texto em negrito. [2]

Melhor longa-metragem de ficção[editar | editar código-fonte]

  • Divã, de José Alvarenga Jr.. Produção: Iafa Britz, Marcos Didonet, Vilma Lustosa e Walkiria Barbosa. (Total Entertainment)

Melhor direção[editar | editar código-fonte]

Melhor ator[editar | editar código-fonte]

Melhor atriz[editar | editar código-fonte]

Melhor ator coadjuvante[editar | editar código-fonte]

Melhor atriz coadjuvante[editar | editar código-fonte]

Melhor direção de fotografia[editar | editar código-fonte]

Melhor direção de arte[editar | editar código-fonte]

Melhor figurino[editar | editar código-fonte]

Melhor efeitos visuais[editar | editar código-fonte]

Melhor maquiagem[editar | editar código-fonte]

Melhor roteiro original[editar | editar código-fonte]

Melhor roteiro adaptado[editar | editar código-fonte]

Melhor longa-metragem documentário[editar | editar código-fonte]

  • Cidadão Boilesen, de Chaim Litewski. Produção: José Carlos Asbeg, Chaim Litewski, Pedro Asbeg, Jorge Melo e Ojvind Kyro.

Melhor longa-metragem infantil[editar | editar código-fonte]

Melhor montagem ficção[editar | editar código-fonte]

  • Divã - Diana Vasconcellos

Melhor montagem documentário[editar | editar código-fonte]

Melhor som[editar | editar código-fonte]

  • À Deriva - Alessandro Laroca, Armando Torres Jr., Renato Calaça e Valéria Ferro
  • Besouro - Alessandro Laroca, Armando Torres Jr. e José Moreau Louzeiro
  • Budapeste - Branko Neskow, Leandro Lima, Miguel Lima e Vasco Pedroso

Melhor trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Melhor trilha sonora original[editar | editar código-fonte]

Referências