James McGill Buchanan Jr.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de James M. Buchanan)
Ir para: navegação, pesquisa
James McGill Buchanan Jr
Nascimento 3 de outubro de 1919
Murfreesboro, Tennessee
Morte 9 de janeiro de 2013 (93 anos)
Blacksburg, Virgínia
Nacionalidade Estados Unidos estadunidense
Alma mater Universidade de Chicago
Universidade do Tennessee
Prêmios Nobel prize medal.svg Alfred Nobel de Economia (1986)

Medalha Nacional de Humanidades (2006)

Instituições Universidade George Mason, Universidade da Virgínia
Campo(s) Economia

James McGill Buchanan Jr. (Murfreesboro, 3 de Outubro de 19199 de Janeiro de 2013[1]) foi um economista e jurista estadunidense. Suas ideias têm elementos da escola econômica Austríaca e da Escola de Chicago. Foi laureado com o Prémio de Ciências Económicas em Memória de Alfred Nobel de 1986.

Vida e obra[editar | editar código-fonte]

Buchanan nasceu em Nashville, Tennessee, filho mais velho de James e Lila (Scott) Buchanan. Ele é neto de John P. Buchanan, que serviu como governador do Tennessee, em 1890. Ele se formou na Middle Tennessee State Teachers College, agora conhecido como Middle Tennessee State University, em 1940. Buchanan completou seu MS da Universidade do Tennessee, em 1941. Ele passou os anos da guerra na equipe do Almirante Chester Nimitz em Honolulu, e é durante esse tempo, ele conheceu e se casou com sua esposa Anne.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Fundador e principal expoente da teoria da Escolha Pública (Public Choice), professor do Instituto Politécnico de Virgínia, Buchanan retoma a tradição de explicação da sociedade via o artífico do contrato social (utilizado na idade moderna por pensadores como Hobbes, Locke, Rousseau e Kant), e por isso é tido, além de um pensador liberal, como pensador neocontratualista, junto com nomes como Robert Nozick e John Rawls. Foi graças ao desenvolvimento das bases para uma teoria contratualista e constitucional da tomada de decisão econômica e política que Buchanan ganhou o prêmio Nobel de economia de 1986. Dentre suas principais obras estão The Calculus of consent: logical foundations of constitutional democracy (O cálculo do consenso: a fundação lógica da democracia constitucional, 1962), escrita em parceria com Gordon Tullock, e The limits of liberty: between anarchy and leviathan (Os limites da liberdade: entre a anarquia e o Leviatã, 1975).

Principais trabalhos[editar | editar código-fonte]

A teoria do contrato de Buchanan parte de um estado de natureza hobbesiano, ou seja, uma situação de guerra de todos contra todos, explicado em função do caráter racional maximizador de utilidades que o autor pressupõe como constituinte da natureza humana, e da ausência de um poder coator. Após os indivíduos alcançarem um estado de "equilíbrio natural", em que não há mudanças significativas de posições e os custos para manter seus bens supera a utilidade marginal do seu usufruto, os indivíduos acham racional discutir os termos sobre o qual se fundará a sociedade, até firmarem um contrato social. Firmado tal contrato a política (que segue os mesmos princípios dos mercados, ou seja, troca de equivalentes; e a política nada mais é do que a ação individual potencializada) é divida em duas esferas: constitucional, onde leis formais versam sobre regras decisórias, e que requer a aprovação por consenso ou algo próximo a, como ops 5/6 propostos por Wicksell, e a quotidiana, esfera na qual são discutidos os interesses mais imediatos dos indivíduos.

A influência do pensamento de James Buchanan na América Latina é muito grande, via prescrição de medidas sociais e políticas do Banco Mundial, desde que uma seguidora da sua teoria, Anne Krueger, assume o cargo de economista-chefe da instituição, no início da década de 1980.

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Kasper, Sherryl. The Revival of Laissez-Faire in American Macroeconomic Theory: A Case Study of Its Pioneers (2002) ch 6
  • Buchanan, James M. Better than Plowing and Other Personal Essays (Chicago: University of Chicago Press, 1992)
  • Pittard, Homer. The First Fifty Years (Murfreesboro, TN: Middle Tennessee State College, 1961) pp. 136,173
  • Anthony B. Atkinson, 'James M. Buchanan's Contributions to Economics', The Scandinavian Journal of Economics, 1987, Vol. 89, No. 1, pp. 5–15.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Autores liberais:

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Franco Modigliani
Prémio de Ciências Económicas em Memória de Alfred Nobel
1986
Sucedido por
Robert Solow