Juvenal Lino de Matos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Juvenal Lino de Matos
Nascimento 28 de março de 1904
Ipaussu
Morte 4 de junho de 1991
São Paulo
Cidadania Brasil
Ocupação político

Juvenal Lino de Matos (Ipaussu, 28 de março de 1904São Paulo, 4 de junho de 1991) foi um político brasileiro.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Antes de ingressar na política, foi contabilista, economista e professor. Foi deputado estadual (eleito em 1947 e reeleito em 1950), secretário da Educação do Estado de São Paulo (em 1951) e senador por dois mandatos: de 1955 a 1963 - eleito pelo PSP - e de 1963 a 1971 - eleito pelo PTN.[1]

Elegeu-se prefeito de São Paulo em 1955, pelo PSP, tomando posse do cargo em julho do mesmo ano. Tão logo iniciou o seu mandato, previsto para terminar em abril de 1957, foi proposta a cassação de seu mandato de senador, ao qual ele não renunciara, por não ser necessário. Quando foi proposta alteração da legislação que obrigaria Lino de Matos a optar por um dos dois mandatos, este, temeroso de perder a ambos os cargos, renunciou à prefeitura em abril de 1956, passando o cargo a Wladimir de Toledo Piza.[2]

Em 1970, pelo MDB, tentou a reeleição ao Senado, ficando em terceiro lugar, perdendo para Franco Montoro e Orlando Zancaner. Após deixar o Senado, presidiu a seção paulista do MDB.[1]

Referências

  1. a b c Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. «Juvenal Lino de Matos». Fundação Getúlio Vargas. Consultado em 12 de maio de 2020 
  2. LOVATO, Amilton (2014). Adhemar – Fé em Deus e pé na tábua. [S.l.]: Geração Editorial. p. 205. ISBN: 9788581302454 

Precedido por
William Salem
Prefeito de São Paulo
19551956
Sucedido por
Wladimir de Toledo Piza

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.