Bruno Covas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
Bruno Covas Lopes
53º. Prefeito de São Paulo
Período 6 de abril de 2018
até a atualidade
Vice-prefeito Nenhum
Antecessor(a) João Doria
Vice-prefeito de São Paulo
Período 1 de janeiro de 2017
até 6 de abril de 2018
Prefeito João Doria
Antecessor(a) Nádia Campeão
Sucessor(a) Cargo vago
Deputado federal por São Paulo
Período 1 de fevereiro de 2015
até 1 de janeiro de 2017
Secretário estadual de Meio Ambiente de São Paulo
Período 1 de janeiro de 2011
até 1 de janeiro de 2015
Governador Geraldo Alckmin
Antecessor(a) Pedro Ubiratan de Azevedo
Sucessor(a) Patricia Faga Iglesias
Deputado estadual de São Paulo
Período 1 de fevereiro de 2007
até 31 de janeiro de 2015
Dados pessoais
Nascimento 7 de abril de 1980 (38 anos)
São Paulo, SP, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Progenitores Mãe: Renata Covas Lopes
Pai: Pedro Mauro Lopes
Alma mater Universidade de São Paulo
PUC-SP
Cônjuge Divorciado
Partido PSDB
Religião Católico
Profissão Advogado e Economista
Website brunocovas.com.br

Bruno Covas Lopes (São Paulo, 7 de abril de 1980) é um advogado, economista e político brasileiro. Filiado ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), exerce o mandato de prefeito da cidade de São Paulo desde 6 de abril de 2018. Neto do ex-governador do estado de São Paulo, Mário Covas, foi secretário de Meio Ambiente do estado e presidente do Juventude do PSDB.[1]

Em 2015 foi sub-relator da Comissão Parlamentar de Inquérito da Petrobras e membro da Comissão Especial da Maioridade Penal.

Em outubro de 2016 foi eleito vice-prefeito da cidade de São Paulo, na chapa de João Doria Jr.[2]

Assumiu a prefeitura de São Paulo, em razão da renúncia do então prefeito da capital paulista, João Doria.[3][4][5]

Origem e formação[editar | editar código-fonte]

Neto do ex-governador de São Paulo Mário Covas, Bruno Covas foi desde criança ligado à política. Estudou nos colégios Carmo e Lusíadas em Santos. Em 1995, quando foi estudar em São Paulo, no Colégio Bandeirantes, teve a oportunidade de morar com o avô. É graduado em Direito, pela USP (1998-2002), e em Economia, pela PUC-SP (1998-2005).[6]

Política estudantil[editar | editar código-fonte]

Filiou-se em 1998 ao PSDB e em 1999, foi eleito o Primeiro Secretário da Juventude do Partido. Em 2003, foi eleito presidente estadual e já foi também presidente nacional da Juventude Tucana, em 2007, permanecendo no cargo até 2011.[7]

Carreira pública[editar | editar código-fonte]

A sua carreira começou em 2004, ano que que se candidatou a vice-prefeito de Santos na chapa de Raul Christiano pelo PSDB.

Nos anos de 2005 e 2006, foi assessor da liderança dos Governos de Alckmin e Cláudio Lembo na Assembleia Legislativa.

Em 2006, foi candidato a Deputado Estadual, sendo eleito com 122 312 votos, umas das maiores votações naquela eleição.

Em 2010, foi novamente candidato a Deputado Estadual agora sendo o mais votado do Estado com 239 150 votos, sendo mais de 131 mil só na capital paulista. Bruno Covas foi convidado por Geraldo Alckmin para assumir a Secretaria do Meio Ambiente, a partir do início de 2011, ocasião em que se licenciou do cargo de deputado estadual.

Deputado estadual[editar | editar código-fonte]

Eleito deputado estadual em 2006 com 122 312 votos,[8] foi considerado pelo Movimento Voto Consciente, o deputado mais atuante da legislatura (2007/2010).[9]

Foi presidente da Comissão de Finanças e Orçamento no primeiro biênio (2007-2008) e relator do Orçamento do Estado por dois anos consecutivos (2009-2010).

Integrou ainda as Comissões de Direitos Humanos e de Defesa dos Direitos do Consumidor e foi presidente da Frente Parlamentar de Apoio à Comunidade Luso-Brasileira e Coordenador da Frente DST-Aids.

Foi relator de mais de 180 projetos de lei, como a Nota Fiscal Paulista, que diminui a carga tributária e devolve tributo diretamente para o cidadão, e foi presidente da CPI do ECAD, relator da CPI da CDHU e membro da CPI da BANCOOP.

Secretário estadual do Meio Ambiente[editar | editar código-fonte]

Em 2011, assumiu a Secretaria do Meio Ambiente no novo governo de Geraldo Alckmin.[10]

Deputado federal[editar | editar código-fonte]

Foi eleito deputado federal em 2014, para a 55.ª legislatura (2015-2019). Votou a favor do Processo de impeachment de Dilma Rousseff.[11] Já durante o Governo Michel Temer, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[11]

Eleições 2016[editar | editar código-fonte]

Eleito em primeiro turno vice-prefeito de São Paulo pelo PSDB na chapa de João Doria.[12]

Vice-prefeito e Secretário[editar | editar código-fonte]

No inicio do mandato de Doria, Bruno assumiu além da vice-prefeitura a Secretaria das Prefeituras Regionais e também a Secretaria da Casa Civil.[13].[14].[15]

Referências

  1. «Alckmin anuncia secretários do Ambiente, Turismo e Saneamento». Terra 
  2. Câmara dos Deputados. «Deputado BRUNO COVAS - Câmara dos Deputados». Câmara dos Deputados. Consultado em 19 de agosto de 2015. 
  3. «Renúncia de Doria encerra estilo inovador e dá lugar à discrição». Jornal do Brasil 
  4. Pernambuco, Diario de (6 de abril de 2018). «Renúncia de Doria encerra estilo inovador e dá lugar à discrição». Diario de Pernambuco 
  5. «Um Covas de volta ao comando em SP - Política - Estadão». Estadão 
  6. Câmara dos Deputados. Conheça os Deputados: Biografia Bruno Covas - PSDB/SP
  7. «Bruno Covas é aclamado presidente da Juventude do PSDB». PSDB. 21 de novembro de 2007. Consultado em 9 de janeiro de 2017. 
  8. «Dep. Bruno Covas - ALESP». www.al.sp.gov.br. Consultado em 2 de janeiro de 2017. 
  9. «Perfil de Bruno Covas». brunocovas.com.br. 22 de dezembro de 2016. Consultado em 2 de janeiro de 2017. 
  10. «Bruno Covas assume a Secretaria do Meio Ambiente». Governo do Estado de São Paulo. Consultado em 9 de janeiro de 2017. 
  11. a b G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017. 
  12. «João Doria terá Bruno Covas como vice em disputa pela Prefeitura de SP». 21 de julho de 2016. Consultado em 27 de julho de 2016. 
  13. «Covas anuncia os primeiros 20 prefeitos regionais da gestão João Doria». 21 de dezembro de 2016. Consultado em 19 de março de 2018. 
  14. «Doria cria nova secretaria para acomodar Covas após tirá-lo do comando da zeladoria». 1 de novembro de 2017. Consultado em 19 de março de 2018. 
  15. «Doria troca Bruno Covas por simpatizante do MBL». 1 de novembro de 2017. Consultado em 19 de março de 2018. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Bruno Covas


Precedido por
Nádia Campeão
Vice-Prefeito de São Paulo
2017 — 2018
Sucedido por
Precedido por
João Doria
Prefeito de São Paulo
2018 — em exercício
Sucedido por