Luís Gastão de Saxe-Coburgo-Gota

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Luís Gastão
Príncipe de Saxe-Coburgo-Gota
Duque de Saxe
Nascimento 15 de setembro de 1870
  Castelo de Ebenthal, Ebenthal, Áustria-Hungria
Morte 23 de janeiro de 1942 (71 anos)
  Innsbruck, Alemanha
Sepultado em St. Augustinkirche, Coburgo
Nome completo  
Luís Gastão Clemente Maria Miguel Gabriel Rafael Gonzaga de Saxe-Coburgo e Bragança
Cônjuge Matilde da Baviera (1900–1906)
Anna de Trauttmansdorff-Weinsberg (1907–1942)
Descendência Antônio
Maria Imaculada
Josefina
Casa Saxe-Coburgo e Bragança
Pai Luís Augusto de Saxe-Coburgo-Gota
Mãe Leopoldina do Brasil
Religião Catolicismo

Luís Gastão Clemente Maria Miguel Gabriel Rafael Gonzaga de Saxe-Coburgo e Bragança (em alemão: Ludwig Gaston Clemens Maria Michael Gabriel Raphael Gonzaga von Sachsen-Coburg und Gotha Braganza; 15 de setembro de 187023 de janeiro de 1942), foi um príncipe de Saxe-Coburgo-Gota, filho mais novo da princesa Leopoldina do Brasil e de seu marido, o príncipe Luís Augusto de Saxe-Coburgo-Gota.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Luís com seu irmão José e seu pai Luís Augusto

Luís Gastão nasceu em 15 de setembro de 1870 no Castelo de Ebenthal, Ebenthal, Áustria-Hungria. Era o quarto e último filho da princesa Leopoldina do Brasil, e de seu marido, o príncipe Luís Augusto de Saxe-Coburgo-Gota. Por meio de sua mãe, o príncipe é, portanto, neto do imperador Pedro II do Brasil e de sua esposa, a princesa Teresa Cristina das Duas Sicílias, enquanto, por meio de seu pai, era neto do príncipe Augusto de Saxe-Cobourgo-Gota e de sua esposa, a princesa Clementina d'Orléans. Diferente de seus irmãos mais velhos, ele não manteve nacionalidade brasileira.[2]

Após a morte de sua mãe de febre tifoide em 7 de fevereiro de 1871, um conselho de família é realizado para decidir o destino de José e seus irmãos órfãos. De acordo com os desejos de seus avós brasileiros, enquanto os dois mais velhos, Pedro e Augusto, se estabelecem, em Março de 1872 com os avós, no Brasil e são feitos príncipes do Brasil e herdeiros da coroa, os dois filhos mais novos, Luís e José, moram com o pai, que opta por ficar na Áustria.[3]

Luís estudou na Academia Militar Teresiana em Wiener-Neustadt, onde se formou em 1892. Ele foi então promovido ao posto de tenente do quarto regimento Tiroler Jäger do exército austro-húngaro em Lienz. Em maio de 1896, ele obtém a patente de primeiro tenente; em 29 de março de 1900, ele recebeu o comando do Tiroler Jäger-Regiment em Innsbruck e, em 1° maio de 1903, ele foi elevado ao posto de capitão. Ele deixa o exército em 8 de fevereiro de 1907.[4]

Casamentos e descendência[editar | editar código-fonte]

O príncipe Luís e sua esposa, a princesa Matilde da Baviera

Em 1 de maio de 1900, em Munique, Luís contrai uma união de prestígio ao se casar com a princesa Matilde da Baviera, sexta filha, terceira menina do rei Luís III da Baviera e de sua esposa, a arquiduquesa Maria Teresa da Áustria-Este. Eles tiveram dois filhos:

  • Antônio Maria Luís Clemente Eugênio Carlos Henrique Augusto Leopoldo Francisco Wolfgang Pedro José Gastão Alexander Afonso Ignacio Aloísio Stanislaus de Saxe-Coburgo e Bragança (Innsbruck, 17 de junho de 1901 – Steyr, 1 de setembro de 1970). Casou-se em 14 de Maio 1938 com Luise Mayrhofer; sem descendência.[5]
  • Maria Imaculada Leopoldina Francisca Teresa Isabel Santa Angélica Nicoletta de Saxe-Coburgo e Bragança (Innsbruck, 10 de setembro de 1904 – Varese, 18 de março de 1940). Não se casou.[6]

Luís Gastão ficou viúvo em outubro de 1906. Em 30 de novembro de 1907, ele desposou morganaticamente a condessa Anna de Trauttmansdorff-Weinsberg, em Bischofteinitz, filha de Karl, 4º Príncipe de Trauttmansdorff-Weinsberg, e da marquesa Josefina de Pallaviciniová. Eles tiveram uma filha:

  • Josefina Maria Anna Leopoldina Amélia Clementina Luísa Teresa Gabriela Gonzaga de Saxe-Coburgo e Bragança (Schloss Vogelsang, 20 de setembro de 1911 – Stockdorf bei München, 27 de novembro de 1997). Casou-se em 12 de maio de 1937 com o barão Richard Friedrich de Baratta-Dragono, divorciou-se em 23 de fevereiro de 1945; com descendência.[7][8]

Morte[editar | editar código-fonte]

Luís Gastão morreu em Innsbruck, aos setenta e um anos. Foi sepultado na Igreja de Santo Agostinho (Coburgo).

Títulos e honras[editar | editar código-fonte]

Títulos e estilos[editar | editar código-fonte]

  • 15 de setembro de 1870 – 23 de janeiro de 1942: Sua Alteza Real, o Príncipe Luís Gastão de Saxe-Coburgo-Gota, Duque da Saxônia

Honrarias[editar | editar código-fonte]

  • D-SAX Sachsen-Ernestinischer Hausorden BAR.svg Grã-Cruz da Ordem da Casa Ernestina da Saxônia
  • Bavaria012.png Cavaleiro da Ordem de São Huberto

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Defrance 2007, p. 233-234-273-298-299.
  2. Enache 1999, p. 694.
  3. Huberty et Giraud 1976, p. 541.
  4. Tourtchine 1987, p. 71.
  5. «Antonius, Prinz von Sachsen-Coburg und Gotha, Herzog von Sachsen : Genealogics». www.genealogics.org. Consultado em 9 de maio de 2022 
  6. «Maria Immaculata, Prinzessin von Sachsen-Coburg und Gotha, Herzogin von Sachsen : Genealogics». www.genealogics.org. Consultado em 9 de maio de 2022 
  7. «Taufen - Duplikate 1911 - 106/1911 | Steyr - Stadtparre | Oberösterreich: Rk. Diözese Linz | Österreich | Matricula Online». data.matricula-online.eu. Consultado em 7 de dezembro de 2021 
  8. «Josefine, Prinzessin von Sachsen-Coburg und Gotha, Herzogin von Sachsen : Genealogics». www.genealogics.org. Consultado em 9 de maio de 2022 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Defrance, Olivier (2007). La Médicis des Cobourg: Clémentine d’Orléans. Bruxelas: Racine. 368 páginas. ISBN 2-87386-486-9 .
  • Nicolas Énache (1999). La descendance de Marie-Thérèse de Habsburg. Paris: Éditions L'intermédiaire des chercheurs et curieux. 795 páginas. ISBN 978-2-908003-04-8 
  • Michel Huberty; Alain Giraud (1976). L'Allemagne dynastique: HESSE-REUSS-SAXE (em francês). I. Le Perreux-sur-Marne: [s.n.] 597 páginas 
  • Jean-Fred Tourtchine (1987). Les Manuscrits du CEDRE: Le Royaume de Portugal - L'Empire du Brésil (em francês). III. Clamecy: Imprimerie Laballery. 192 páginas .
Ícone de esboço Este artigo sobre um nobre é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.