MLS Cup

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
MLS Cup
Dados gerais
Organização Major League Soccer
Edições 22
Local de disputa  Estados Unidos
 Canadá
Sistema Jogo único
Soccerball current event.svg Edição atual
editar

MLS Cup é a Final da Major League Soccer (MLS), liga americana de Futebol. O vencedor é coroado campeão da mesma maneira que em outras ligas esportivas norte-americanas (ou seja, através de um playoff após uma temporada regular). Isso difere de outras ligas de futebol em todo o mundo, que consideram, como campeão, o clube com mais pontos no final da temporada. A equipe vencedora se classifica à Liga dos Campeões da CONCACAF do ano seguinte.[1][2]

Teve sua primeira edição em 20 de outubro de 1996, com a MLS Cup '96. Atualmente, é normalmente realizada no início de dezembro, entre os vencedores da Conferência Leste e Conferência Oeste. O Los Angeles Galaxy é o maior vencedor, com 5 títulos.

Durante sua história, a MLS Cup foi entregou três troféus diferentes: o Alan I. Rothenberg Trophy (1996-1998), o Alan I. Rothenberg Trophy redesenhado (1999-2007), e o Philip F. Anschutz Trophy (2008-atualmente)[3].

História[editar | editar código-fonte]

O Domínio Inicial do D.C. United

As raízes da MLS Cup remontam à fundação da Major League Soccer, quando a liga decidiu ter um formato de campeonato semelhante às ligas esportivas norte-americanas contemporâneas, ao ter a temporada culminando em um torneio de pós-temporada para determinar o campeão da liga.

Em suas primeiras edições, a MLS Cup foi dominada pelo D.C. United, que apareceu nas quatro primeiras finais, vencendo três delas. A MLS Cup '96 foi a primeira edição, disputada entre D.C. United e Los Angeles Galaxy. O Galaxy abriu o placar no primeiro tempo, e dobrou no início do segundo tempo. No entanto, Tony Sanneh reduziu a desvantagem aos 27 minutos da etapa complementar. Nove minutos depois, Shawn Medved empatou a partida, levando à prorrogação. Aos quatro minutos da prorrogação, Eddie Pope deu ao D.C. United a vitória no gol de ouro.

Em 1997, a MLS Cup foi disputada no Robert F. Kennedy Memorial Stadium, o D.C. United sagrou-se bicampeão, um feito que não seria realizado por mais uma década, quando o Houston Dynamo venceu em 2006 e 2007. O D.C. United venceu o Colorado Rapids por 2x1. Jaime Moreno foi declarado Homem do Jogo pelo seu gol aos 37 minutos de jogo. Esta temporada foi a primeira vez em que o vencedor da MLS Cup venceu o Supporters 'Shield.

Sua terceira aparição seguida na MLS Cup, em 1998, foi marcada pela derrota frente ao Chicago Fire por 2x0. Entretanto, no ano seguinte, o D.C. United repetiu o seu feito de 1997, e faturou a MLS Cup e o Supporters 'Shield. Desta vez, derrotou o Los Angeles Galaxy por 2x0.

A Ascensão do California Clásico

Pela primeira vez desde 1997, a MLS Cup foi disputada por um time que nunca havia chegado a final. O Kansas City Wizards venceu sua primeira MLS Cup com uma vitória por 1x0 sobre o Chicago Fire, repetindo o acontecido em 1997, quando o estreante em finais sagrou-se campeão.

De 2001 a 2004, a MLS Cup viu a ascensão do California Clásico, quando os rivais estaduais Los Angeles Galaxy e San Jose Earthquakes se enfrentaram na final de 2001. A partida também contou com o "surgimento" de Landon Donovan, que marcou o segundo gol da vitória por 2x1 do San Jose Earthquakes sobre o Los Angeles Galaxy.

Na MLS Cup de maior público até aquele momento, New England Revolution e Los Angeles Galaxy se enfrentaram na final de 2002. Compareceram ao Gillette Stadium mais de 61 mil torcedores para assistir à final. No segundo tempo da prorrogação, o Los Angeles Galaxy venceu sua primeira MLS Cup, e provocou o início de uma série de derrotas do New England Revolution na MLS Cup.

A final de 2003 colocou frente a frente os melhores colocados de cada conferência. Dois antigos vencedores da MLS Cup, o San Jose Earthquakes e o Chicago Fire, disputaram a final daquele ano. Os dois clubes tiveram as melhores campanhas da temporada regular, com o Chicago Fire ganhando seu primeiro Supporters 'Shield, enquanto o San Jose Earthquakes foi o melhor colocado na Conferência Oeste, além de ter a segunda melhor campanha da temporada regular. Em uma disputa acirrada, o San Jose Earthquakes venceu com a seu segundo título com uma vitória por 4x2.

Depois de uma ausência de quatro anos, o D.C. United fez sua quinta viagem à MLS Cup, jogando contra o Kansas City Wizards pela MLS Cup 2004. A partida teve quatro gols marcados nos primeiros 25 minutos, com o D.C. United alcançado uma vantagem de 3x1. Aos 13 minutos do segundo tempo, o Kansas City Wizards teve um pênalti a seu favor. Josh Wolff marcou para o Kansas City, diminuindo a desvantagem. O D.C. United conseguiu manteve a vantagem, e conquistou seu quarto título.

Mudanças de Formato

Até 2005, as finais haviam sido dominados por clubes que haviam vencido ou chegado perto de vencer o Supporters 'Shield. Na MLS Cup 2005, o jogo foi vencido pelo Los Angeles Galaxy, que teve a 9ª melhor campanha da temporada regular.[4] Enquanto, o Kansas City Wizards que apesar de uma campanha melhor, mas não se qualificou para os playoffs, pois terminou em 5º na Conferência Leste, apesar do 8º lugar no geral.[4] O resultado levou a MLS a criar novos wild cards que foram usados a partir de 2006, onde apenas um certo número de clubes por conferência poderia se qualificar, e as melhores equipes no geral, independentemente da conferência, também se qualificariam. Isso por si só provocou debates sobre a mudança da liga para uma tabela única e um calendário balanceado. A tabela única foi instituída, mas em 2010 a liga instituiu um calendário balanceado.[5] Durante a temporada de 2012, a liga retomou um calendário desbalanceado.

A Era Scudetto

No início da temporada de 2006, a MLS criou sua versão do scudetto (italiano para "pequeno escudo"), um símbolo usado na camisa pela equipe que venceu a Serie A da temporada anterior.

O scudetto da MLS era originalmente um emblema triangular curvo, com um pano de fundo da bandeira americana por trás de uma réplica do Alan I. Rothenberg Trophy. Utilizado pela primeira vez pelo Los Angeles Galaxy em 2006, após o título da MLS Cup de 2005[6], o Houston Dynamo usou os mesmos scudettos triangulares em 2007 e 2008, durante o bicampeonato. Foi redesenhado após a temporada de 2008, após a mudança do troféu da MLS Cup. Se tornou um distintivo oval preto com o Philip F. Anschutz Trophy ao centro. O scudetto da MLS é usado pela equipe vencedora na temporada seguinte à conquista. É somente durante a temporada subsequente (dois anos após vencer o campeonato), que a equipe adiciona uma estrela - comumente utilizado no futebol para simbolizar os títulos conquistados - acima do logo da equipe. A equipe pode exibir a estrela em outros itens ao lado de sua camisa no ano após vencer, mas somente se o scudetto não for mostrado. O Columbus Crew foi o primeiro time a usar o scudetto redesenhado. O Real Salt Lake usou o scudetto em 2010 depois de vencer sua primeira MLS Cup em 2009. O Colorado Rapids também utilizou o scudetto após as conquistas de 2010 e 2011. O Los Angeles Galaxy usou o scudetto depois de vencer a MLS Cup em 2011, ironicamente, seria a última equipe a usar o scudetto redesenhado. Após a temporada de 2012, a MLS decidiu não usar o scudetto para a próxima temporada, e em vez disso os campeões da MLS Cup teriam uma estrela de ouro acima de uma ou mais estrelas de prata indicando conquistas anteriores, que seria trocada por uma estrela de prata na temporada seguinte. O Los Angeles Galaxy foi o primeiro a receber a estrela de ouro acima de outras três estrelas de prata da equipe na temporada de 2013.

O "Buffalo Bills da MLS"

Enquanto o Los Angeles Galaxy ganhou sua segunda MLS Cup e o Houston Dynamo conquistou o bicampeonato, o New England Revolution chegou a disputa do título durante os três anos consecutivos, perdendo todas elas. Duas de suas três derrotas foram na prorrogação, enquanto a outra foi perdida nos pênaltis. A infâmia deu ao clube o título de "Buffalo Bills da MLS", em referência as idas do Buffalo Bills (um time de futebol americano da NFL) ao Super Bowl no início dos anos 90, nos quais foi derrotado em quatro aparições consecutivas.[7] Na final de 2005, o New England Revolution foi, novamente, derrotado pelos Los Angeles Galaxy, em uma revanche de 2002. Realizado no Pizza Hut Park (agora Toyota Stadium) em Frisco, Texas, o Los Angeles Galaxy derrotou o New England Revolution por 1x0, graças a um gol aos 15 minutos do primeiro tempo da prorrogação do guatemalteco Guillermo Ramírez. O gol de Ramírez selou o conquista do segundo título do Los Angeles Galaxy, enquanto o New England Revolution amargou outra derrota na final.

Em 2006, o jogo foi novamente jogado em Frisco no Pizza Hut Park. Desta vez, o New England Revolution enfrentou o Houston Dynamo. Ambas equipes tiveram boa campanha na temporada regular, entretanto ficaram aquém da conquista do Supporters' Shield. Um público de 22.427 pessoas acompanharam a partida, e viram Taylor Twellman, atacante do Revolution, abrir placar aos 13 minutos do segundo tempo da prorrogação. No entanto, o capitão e atacante do Dynamo, Brian Ching, empatou o jogo. O jogo foi para as penalidades, em que o Houston Dynamo venceu por 4x3. Isso deixou o New England Revolution, pelo segundo ano consecutivo, como vice-campeão. Também foi a primeira vez, na história da liga, em que um clube foi derrotado em aparições seguidas na MLS Cup.

A final de 2007, contou com a revanche do ano anterior. Jogado em Washington, D.C., no RFK Stadium, 39,859 pessoas assistiram ao jogo. O New England Revolution teve uma temporada de sucesso, conquistando sua primeira U.S. Open Cup. O clube esperava, com a conquista da MLS Cup, ganhar o primeiro Double da história do clube. Houston, que esteve perto de vencer o Supporters 'Shield, estava determinado a defender seu título. O jogo iniciou favorável ao Revolution, como o capitão do time, Taylor Twellman, marcando aos 20 minutos do primeiro tempo. Todavia, Joseph Ngwenya empatou o jogo aos 16 minutos do segundo tempo, e Dwayne De Rosario virou o jogo aos 29 minutos. A conquista do Houston Dynamo representou o primeiro bi-campeonato da MLS Cup desde o D.C. United em 1996 e 1997.

Azarões Chegam à Gloria

Realizado no CenturyLink Field em Seattle (então Qwest Field), o Real Salt Lake derrotou o L.A. Galaxy na MLS Cup de 2009 para ganhar seu primeiro título.

No início da temporada de 2008, a liga anunciou que a final retornaria ao Home Depot Center. Durante toda a temporada regular, o campeonato foi dominado pelo Columbus Crew, que terminou com 57 pontos, e garantiu o Supporters' Shield com três de antecedências ao início dos playoffs. Tradicionalmente, os vencedores do Supporters' Shield raramente chegavam a disputa do título, apesar de, geralmente, serem os favoritos dos playoffs. No entanto, pela primeira vez em oito anos, o campeão da temporada regular chegou à final da MLS Cup. O clube liderado por Sigi Schmid, junto com seus adversários, o New York Red Bulls, chegaram a primeira vez à disputa do título. As expectativas em relação ao Columbus Crew, nos playoffs, eram altas, visto que foram o melhor time da temporada regular. Em contraponto, a chegada do New York Red Bulls a fina, era vista como "zebra", pois disputaram uma vaga para os playoffs até o último dia da temporada. A final foi dominada pelo Columbus Crew, que derrotou o New York Red Bulls, com facilidade, por 3x1. A diferença de pontos entre os dois clubes foi a maior da história, e o resultado entre os dois clubes o levou à maior margem de vitória na história da MLS Cup.

O campeonato seguinte viu dois clubes de uma mesma conferência se encontrarem na final pelo segundo ano consecutivo, desta vez em Seattle no Qwest Field (autal CenturyLink Field).O melhor time da temporada regular e representante da Conferência Oeste, o Los Angeles Galaxy enfrentou o Real Salt Lake, que terminou em quinto na temporada regular. O Real Salt Lake conquistou a pior campanha dos times classificados para os playoffs, terminando em quinto na Conferência Oeste. Diante disso, representam a Conferência Leste nos playoffs, já que apenas três equipes da Conferência Leste se classificaram. Embora a diretoria do Seattle Sounders tenha, originalmente, planejado limitar os assentos disponíveis no Qwest Field para 35.700 espectadores, a crescente demanda levou à liberação de mais 10.000 assentos, expandindo a capacidade total para, aproximadamente, 45.700 pessoas. O público anunciado foi de 46.011 pessoas. Foi a primeira final desde 2002 a atrair mais de 45.000 espectadores. Foi a primeira MLS Cup a ser transmitida pela ESPN; as treze primeiras foram televisionadas pela ABC. Aos 41 minutos, o atacante do Galaxy, Mike Magee, marcou, e, apenas, aos 16 minutos do segundo tempo, Robbie Findley empatou o jogo. O empate persistiu na prorrogação, exigindo cobranças de pênalti para determinar o vencedor. Graças a cobrança de Robbie Russel, Real Salt Lake conquistou seu primeiro título. Ao vencer o campeonato, a equipe se classificou para a disputa da Liga dos Campeões da CONCACAF de 2010/11. Na qual chegou à final, sendo derrotada pelo Monterrey do México.

Ao final da temporada regular de 2010, seis equipes da Conferência Oeste se classificaram para os playoffs, enquanto apenas dois clubes da Conferência Leste se classificaram, tornando-se a maior disparidade entre as duas conferências na história da liga. A disposição das vagas nos playoffs, colocou frente aos dois classificados da Conferência Leste, New York Red Bulls e Columbus Crew, as duas piores equipes classificadas da Conferência Oeste, San Jose Earthquakes e Colorado Rapids. Avançaram as semifinais da Conferência Leste, ironicamente, San Jose Earthquakes e Colorado Rapids. Na final, o Colorado Rapids enfrentou o FC Dallas, vencendo 2x1 na prorrogação.

A Dinastia Galática

Capitão do L.A. Galaxy, Robbie Keane, foi o MVP da MLS Cup de 2014.

Entre os campeonatos de 2011 e 2014, o L.A. Galaxy apareceu em três finais, vencendo todas, tendo o maior sucesso em um curto período de tempo, na MLS Cup, desde a dinastia do final dos anos 90 do D.C. United. Apenas em 2013 o L.A. Galaxy não chegou a disputa do título, uma vez que foram derrotados pelo o eventual vice-campeão, Real Salt Lake. Durante esse tempo, o Galaxy se tornou a primeira franquia da MLS a conquistar cinco MLS Cup, quando conquistou o título de 2014. Estas equipas continham vários jogadores de alto nível, incluindo Landon Donovan, Robbie Keane, Gyasi Zardes, David Beckham e Omar Gonzalez.

Alguns afirmam que a dinastia começou em 2009, quando chegaram aos playoffs e as finais pela primeira vez desde 2005, perdendo, nos pênaltis, para o Real Salt Lake. Em 2010 e 2011, o Galaxy venceu consecutivamente o Supporters 'Shield, tendo em 2011 vencido a temporada regular e a MLS Cup. Foi a primeira vez que isso aconteceu desde 2008, quando o Columbus Crew realizou tal façanha. Na final da MLS Cup de 2011, o Galaxy derrotou o Houston Dynamo por 1 a 0, com o gol de Donovan aos 27 minutos da etapa complementar. A final de 2012 foi disputada por Galaxy e Dynamo, novamente, tornando-se, desde 2007, a primeira MLS Cup a contar com uma revanche da final anterior. Mais uma vez, o Galaxy venceu a final, desta vez derrotando o Dynamo por 3x1. Foi o último jogo na MLS de Beckham.

Durante a temporada de 2013, a chance do Galaxy de chegar a três finais consecutivas foi frustrada pelo Real Salt Lake. O Real Salt Lake derrotou o Galaxy por 2x1 no agregado dos dois jogos, e avançou à final da MLS Cup, onde acabou perdendo para o Sporting Kansas City.

Na temporada seguinte, em 2014, o Galaxy atingiu, novamente, a final da MLS Cup, na qual enfrentou o New England Revolution, tornando-se uma revanche das finais de 2002 e 2005. Na prorrogação, o gol de Robbie Keane levou o Galaxy a conquista de sua quinta MLS Cup.

Campeões Inéditos

Osvaldo Alonso, do Seattle Sounders F.C., levantando o troféu da MLS Cup em dezembro de 2016.

O Portland Timbers venceu a MLS Cup de 2015 ao derrotar o Columbus Crew por 2x1. Diego Valeri, de Portland, marcou o gol mais rápido da história da MLS Cup aos 27 segundos, após um erro do goleiro da equipe adversária.[8]

O Seattle Sounders F.C. enfrentou o Toronto F.C. na MLS Cup de 2016, disputada no BMO Field, em Toronto, na noite de 10 de dezembro de 2016. A temperatura no início da partida era de -6 ° C, com sensação térmica de -12 ° C, com fortes ventos vindos do Lago Ontário. O gramado foi regado pouco antes do jogo, o que resultou em uma fina camada de gelo. O Seattle Sounders F.C. derrotou o Toronto F.C., por 5 a 4 na disputa de pênaltis, após um jogo sem gols. O Sounders não registrou um único chute certo ao gol, tornando-se o primeiro clube da MLS a fazê-lo em uma partida. O Sounders, apesar de um início muito ruim de temporada, trocou de técnico no meio desta, e tornou-se o segundo time do Noroeste do Pacífico a vencer o título, depois do Portland Timbers em 2015.

Na MLS Cup de 2017, o Toronto F.C. e o Seattle Sounders F.C. se enfrentaram em uma revanche da edição anterior, também no BMO Field. O Toronto F.C. venceu a partida por 2 a 0 e se tornou a primeira equipe canadense a conquistar a MLS Cup, e a primeira equipe da MLS a conquistar a Tríplice Coroa, depois de vencer o Campeonato Canadense e o Supporters 'Shield.[9]

Exibição pirotécnica durante a cerimônia de entrega do troféu da MLS Cup de 2018 ao Atlanta United.

O Atlanta United, em sua segunda temporada, venceu a MLS Cup de 2018 ao derrotar o Portland Timbers por 2x0. A partida, realizada em Atlanta no Mercedes-Benz Stadium, contou com 73.019 espectadores e quebrou o recorde de público da MLS Cup de 2002.[10] Com a conquista, o clube tornou-se o segundo mais jovem a ganhar uma MLS Cup, atrás do Chicago Fire de 1998, e levou o primeiro campeonato de esportes profissionais para a cidade de Atlanta desde 1995.[11][12]

Direitos de Transmissão[editar | editar código-fonte]

As treze primeiras finais da MLS Cup foram transmitidas pela ABC. A ESPN recebeu os direitos de 2008 até 2015. Todos os jogos do playoff da MLS Cup são televisionados pela ESPN, Fox Sports e Univision. A UniMás transmite duas partidas exclusivas do playoff, enquanto a ESPN e suas redes afiliadas dividem o restante das transmissões - incluindo a MLS Cup - com a Fox Sports. A Univision também exibe a MLS Cup em espanhol.[13]

A edição de 2016 da final foi a primeira a ser exibida pela Fox Sports.

Formato[editar | editar código-fonte]

Ao longo da história dos playoffs da MLS Cup, vários formatos foram utilizados.

De 1996/1999 e de 2003/2006, as quatro melhores equipes por conferência se classificaram para os playoffs.

Em 2000 e 2001, os três vencedores de divisão mais e as cinco melhores equipes na classificação geral (excluindo-se os campeões de divisão), independentemente da conferência, se classificaram para os playoffs.

Em 2002, as 8 melhores equipes na classificação geral se classificaram para os playoffs, independentemente da conferência.

Em 2007, as duas melhores equipes de cada conferência, e as quatro equipes com mais pontos na classificação geral (excluindo-se as equipes classificadas pelo critério anterior) se qualificaram.

No final da temporada de 2008, as três melhores equipes de cada conferência e as duas equipes com mais pontos na classificação geral (excluindo-se as equipes classificadas pelo critério anterior), independentemente da conferência, se classificaram para os playoffs. Na primeira rodada deste torneio eliminatório, o critério de gols somados nos dois jogos realizados entre as equipes era o que determinava quem avançava; as finais de conferência foram em jogo único, com o vencedor de cada conferência avançando para a MLS Cup. Em todas as rodadas, o método de desempate foi prorrogação de dois tempos de 15 minutos, seguidos de cobranças de pênalti, se necessário. A regra do gol qualificado não foi usada.

No final da temporada de 2009 e 2010, as duas melhores equipes de cada conferência fizeram os playoffs e as quatro equipes com mais pontos na classificação geral (excluindo-se as equipes classificadas pelo critério anterior), independentemente da conferência, se classificaram para os playoffs. Na primeira rodada deste torneio eliminatório, o critério de gols somados nos dois jogos realizados entre as equipes era o que determinava quem avançava; as finais de conferência foram em jogo único, com o vencedor de cada conferência avançando para a MLS Cup. Em todas as rodadas, o método de desempate foi prorrogação de dois tempos de 15 minutos, seguidos de cobranças de pênalti, se necessário. A regra do gol qualificado não foi usada.[14]

No final da temporada de 2011, as três melhores equipes de cada conferência se classificaram para as semifinais de conferência. O wild card foi formado pelo quarto e quinto colocados de cada conferência, onde o quarto de uma conferência enfrentou o quinto da outra conferência. O novo formato foi montado de modo que a equipe com a campanha mais fraca a se classificar para as rodadas de wild card tivesse que enfrentar o vencedor do Supporters' Shield. Enquanto a outra equipe enfrentou o outro campeão de conferência.[15]

A primeira rodada foi realizada em jogos únicos, com o mando de campo à favor da equipe com a melhor campanha na temporada regular. As semifinais de conferência foram jogos de ida e volta.[15]

As finais de conferência foram realizadas em jogos únicos, com o mando de campo à favor da equipe com a melhor campanha na temporada regular; a final da MLS Cup foi disputada em um local predeterminado.[15]

De 2012 até 2014, novamente, a estrutura dos playoffs foi modificada. Enquanto o número de equipes classificadas aos playoffs permaneceu inalterado (10 equipes), os wild cards desapareceram. Em vez disso, as cinco melhores equipes de cada conferência se qualificaram. A equipe com a quarta melhor campanha, em cada conferência, recebeu a quinta melhor campanha, em jogo único por uma vaga nas semifinais de conferência contra o time de melhor campanha de sua respectiva conferência. As semifinais e finais de conferência foram jogos de ida e volta. A final da MLS Cup foi realizada na casa do finalista com a melhor campanha da temporada regular. De 2014 a 2018, a regra do gol qualificado foi usada, mas não se aplicou a prorrogação. [16]

Da temporada de 2015 até 2018, as seis melhores equipes de cada conferência qualificam-se para os playoffs (12 equipes no total). Na primeira rodada dos playoffs de cada conferência, o time com a terceira melhor campanha recebia a sexta melhor campanha, e a quarta melhor campanha recebia a equipe com a quinta melhor campanha. Nas semifinais de conferência, a equipe com a melhor campanha da temporada enfrentava o time de pior campanha remanescente, enquanto o time com a segunda melhor campanha enfrentava o time restante.

A partir da temporada de 2019, as sete melhores equipes de cada conferência se qualificarão para os playoffs (14 equipes no total), e todas as rodadas serão jogos únicos. A equipe de melhor campanha em cada conferência não jogará a primeira rodada.[17][18]

Campeões[editar | editar código-fonte]

O vencedor da MLS Cup, a última partida dos playoffs da MLS Cup, determina o campeão da temporada. Os playoffs começam logo após o fim da temporada regular, em um formato similar ao de outras ligas esportivas profissionais norte-americanas.

A primeira final da MLS Cup foi disputada em 20 de outubro de 1996. Desde 2016, o maior campeão é o Los Angeles Galaxy, com cinco conquistas. O maior vice-campeão é o New England Revolution, com cinco derrotas na história. O campeonato foi ganho pela mesma equipe em dois ou mais anos consecutivos em três ocasiões.

Resultados[editar | editar código-fonte]

Temporada Data Campeões Placar Vice-Campeões Local Público
1996 20 de outubro D.C. United  †3–2 * Los Angeles Galaxy Foxboro Stadium 34,643
1997 26 de outubro D.C. United 2–1 Colorado Rapids RFK Memorial Stadium 57,431
1998 25 de outubro Chicago Fire 2–0 D.C. United Rose Bowl 51,350
1999 21 de novembro D.C. United 2–0 Los Angeles Galaxy Foxboro Stadium 44,910
2000 15 de outubro Kansas City Wizards 1–0 Chicago Fire RFK Memorial Stadium 39,159
2001 21 de outubro San Jose Earthquakes 2–1 * Los Angeles Galaxy Crew Stadium 21,626
2002 20 de outubro Los Angeles Galaxy  †1–0 * New England Revolution Gillette Stadium 61,316
2003 23 de novembro San Jose Earthquakes 4–2 Chicago Fire Home Depot Center 27,000
2004 14 de novembro D.C. United 3–2 Kansas City Wizards Home Depot Center 25,797
2005 13 de novembro Los Angeles Galaxy  †1–0 * New England Revolution Pizza Hut Park 21,193
2006 12 de novembro Houston Dynamo  †1–1 New England Revolution Pizza Hut Park 22,427
2007 18 de novembro Houston Dynamo 2–1 New England Revolution RFK Memorial Stadium 39,859
2008 23 de novembro Columbus Crew 3–1 New York Red Bulls Home Depot Center 27,000
2009 22 de novembro Real Salt Lake  †1–1 Los Angeles Galaxy Qwest Field 46,011
2010 21 de novembro Colorado Rapids  †2–1 * FC Dallas BMO Field 21,700
2011 20 de novembro Los Angeles Galaxy 1–0 Houston Dynamo Home Depot Center 30,281
2012 1 de dezembro Los Angeles Galaxy 3–1 Houston Dynamo Home Depot Center 30,510
2013 7 de dezembro Sporting Kansas City  †1–1 Real Salt Lake Sporting Park 21,650
2014 7 de dezembro Los Angeles Galaxy 2–1 * New England Revolution StubHub Center 27,000
2015 6 de dezembro Portland Timbers 2–1 Columbus Crew Mapfre Stadium 21,747
2016 10 de dezembro Seattle Sounders 0–0 Toronto FC BMO Field 36,045
2017 9 de dezembro Toronto FC 2–0 Seattle Sounders BMO Field 30,584
2018 8 de dezembro Atlanta United FC 2–0 Portland Timbers Mercedes-Benz Stadium 73,019
Legenda
* Partida decidida na prorrogação
Partida decidida nos pênaltis após prorrogação
Negrito Equipe venceu o MLS Supporters' Shield
Itálico Equipe venceu o U.S. Open Cup ou o Campeonato Canadense

Recordes e Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Títulos da MLS Cup[editar | editar código-fonte]

Clube Títulos Vice-Campeonatos Anos das Conquistas Anos dos Vice-Campeonatos
Los Angeles Galaxy 5 4 2002, 2005, 2011, 2012, 2014 1996, 1999, 2001, 2009
D.C. United 4 1 1996, 1997, 1999, 2004 1998
Houston Dynamo 2 2 2006, 2007 2011, 2012
Sporting Kansas City 2 1 2000, 2013 2004
San Jose Earthquakes 2 0 2001, 2003
Chicago Fire 1 2 1998 2000, 2003
Columbus Crew 1 1 2008 2015
Real Salt Lake 1 1 2009 2013
Colorado Rapids 1 1 2010 1997
Portland Timbers 1 1 2015 2018
Seattle Sounders 1 1 2016 2017
Toronto FC 1 1 2017 2016
Atlanta United 1 0 2018
New England Revolution 0 5 2002, 2005, 2006, 2007, 2014
New York Red Bulls 0 1 2008
FC Dallas 0 1 2010

Finalistas da MLS Cup na CONCACAF Champions League[editar | editar código-fonte]

Legenda
Campeões Vice-Campeões Terceiros Colocados
  • FP1 = Primeira Rodada da Fase Preliminar
  • FP = Fase Preliminar
  • FG = Fase de Grupos
  • R16 = 16 avos de final
  • OF = Oitavas de Final
  • QF = Quartas de final
  • SF = Semi final
  • TER = Disputa de Terceiro Lugar
  • F = Final
Ano Campeões Resultado Vice-Campeões Resultado
1997 D.C. United TER Los Angeles Galaxy F
1998 D.C. United F Colorado Rapids FP1
1999 Chicago Fire TER D.C. United TER
2000 D.C. United TER Los Angeles Galaxy F
2002 Kansas City Wizards1 SF Não se classificou
San Jose Earthquakes QF Chicago Fire QF
2003 D.C. United SF Kansas City Wizards QF
2006 LA Galaxy QF New England Revolution QF
2007 Houston Dynamo SF Não se classificaram2
2008 Houston Dynamo SF
2008–09 Houston Dynamo QF New England Revolution FP
2009–10 Columbus Crew QF New York Red Bulls FP
2010–11 Real Salt Lake F Los Angeles Galaxy FP
2011–12 Colorado Rapids FG FC Dallas FG
2012–13 Los Angeles Galaxy SF Houston Dynamo QF
2013–14 Los Angeles Galaxy QF Houston Dynamo FG
2014–15 Sporting Kansas City FG Real Salt Lake FG
2015–16 LA Galaxy QF Não se classificaram3
2016–17 Portland Timbers FG
2018 Toronto FC4 F Seattle Sounders5 QF
2019 Atlanta United FC TBD TBD
Notas

1: A Copa dos Campeões da CONCACAF de 2001 foi cancelada, então tanto o vencedor da MLS Cup de 2000, Kansas City Wizards, quanto o vencedor da MLS Cup de 2001, San Jose Earthquakes, se classificaram para a Copa dos Campeões da CONCACAF de 2002.

2: A outra vaga foi para o vencedor do Supporters' Shield.

3: The runners-up berth was reallocated to the winner of the conference opposite that of the Supporters' Shield winner. A outra vaga foi realocada para o vencedor da conferência oposta e ao vencedor do Supporters' Shield.

4: O Toronto FC se classificou vencendo as edições de 2016 e 2017 do Campeonato Canadense.

5: O Seattle Sounders se classificou como vencedor da MLS Cup de 2016.

Troféus[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Philip F. Anschutz Trophy

Com a conquista do campeonato, a equipe vencedora é recebe um troféu, conhecido como Troféu Philip F. Anschutz, assim nomeado em homenagem a Philip Anschutz, devido suas contribuições e investimentos para o futebol (soccer) americano e MLS. Normalmente, a entrega do prêmio é realizada em um pódio no centro do campo, onde o comissário da liga premiará a equipe com a taça..

Antes da premiação do time vencedor, a equipe vice-campeã é premiada com medalhas de prata com o logotipo da liga impresso nelas. Os campeões são, então, premiados com medalhas de ouro, antes do troféu ser entregue ao capitão da equipe vencedora.

Em sua história, os campeões da MLS Cup foram premiados com três troféus diferentes. Nas três primeiras finais, a equipe vencedora foi premiada com o Troféu Alan I. Rothenberg, assim nomeado em homenagem a Alan I. Rothenberg, devido suas contribuições para o futebol (soccer) americano. A primeira versão do Troféu Alan I. Rothenberg era em ouro escuro que tinha duas alças ao redor de uma bola de futebol, com o logo da liga impresso na placa. Em 1999, o troféu foi redesenhado com uma bola de futebol colocada sobre uma baliza. Em 2008, o troféu foi, novamente, redesenhado e renomeado, passando-se a chamar Troféu Philip F. Anschutz.

Estádios das Finais[editar | editar código-fonte]

Na história da MLS Cup, sete partidas foram jogadas na área da Grande Los Angeles. A capital do País, Washington, D.C., recebeu três finais, todas disputadas no RFK Stadium, assim como Toronto, que realizou as três finais no BMO Field.

Desde a temporada de 2011, todas as finais foram disputadas em um local pré-determinado, ou seja, anunciadas antes dos participantes do playoff serem conhecidos. Um dia antes da final de 2011, a MLS anunciou que a partir de 2012, as finais seriam realizadas no estádio do participante com o maior número de pontos durante a temporada regular.[16]

Antes de 2012 e da mudança, apenas três equipes jogaram a partida em seu campo. Na final da MLS Cup de 1997, o D.C. United venceu o Colorado Rapids em seu estádio, o RFK Stadium. O mesmo ocorreu na final da MLS Cup de 2002, quando o Los Angeles Galaxy derrotou o New England Revolution por 1 a 0, no Gillette Stadium, do Revolution. Como resultado, as finais de 1997 e 2002 atraíram os maiores públicos da MLS Cup antes da mudança de 2012. Em 2011, o Los Angeles Galaxy venceu a MLS Cup em seu estádio, o Home Depot Center, quando derrotou, por 1 a 0, o Houston Dynamo. O Galaxy tornou-se o segundo time, o primeiro desde o D.C. United, em 1997, a conquistar a MLS Cup em casa.

Depois que a MLS adotou seu atual critério, as três primeiras finais foram vencidas pelos anfitriões. A final de 2012 viu uma revanche da anterior no mesmo local, com o Galaxy defendendo, com sucesso, o título com uma vitória por 3 a 1. Em 2013, o Sporting Kansas City tornou-se o terceiro time a conquistar a taça em seu estádio, o Children's Mercy Park, quando bateu o Real Salt Lake nos pênaltis.[19] Então, em 2014, o Galaxy derrotou o New England Revolution por 2 a 1, no StubHub Center, em uma partida que marcou o último jogo oficial do maior artilheiro da seleção norte-americana de todos os tempos, Landon Donovan.[20] O padrão foi quebrado em 2015, no entanto, quando o Portland Timbers derrotou o Columbus Crew no estádio do adversário.

Até a temporada de 2011, a MLS anunciava o local em que a final seria realizada antes do início de sua respectiva temporada, ou mesmo algumas semanas depois do início. Para a final de 2011, a liga selecionou o Home Depot Center em Carson, Califórnia, tornando-se a quarta vez em o estádio recebia a final.[21]

Até à data, a final mais fria da foi o jogo de 2013 disputado em Kansas City, Kansas, no Children's Mercy Park do Sporting Kansas City, onde a temperatura era de -7 ° C.[22] Enquanto a mais quente foi o jogo de 2005 disputado em Frisco, Texas, no Pizza Hut Park do FC Dallas, onde a temperatura era de 23 ° C.[23][24]

A edição de 2010 da MLS Cup foi a primeira final da história da liga a ser disputada fora dos Estados Unidos. O jogo foi disputado no Canadá no BMO Field em Toronto, estádio do Toronto FC.

Estádios[editar | editar código-fonte]

Pizza Hut Park, agora Toyota Stadium, recebeu as finais de 2005 e 2006.
Nome Localização Número de Finais Anos das Finais
StubHub Center Carson, California 6 2003, 2004, 2008, 2011, 2012, 2014
RFK Stadium Washington, D.C. 3 1997, 2000, 2007
BMO Field Toronto, Ontario 3 2010, 2016, 2017
MAPFRE Stadium Columbus, Ohio 2 2001, 2015
Toyota Stadium Frisco, Texas 2 2005, 2006
Foxboro Stadium Foxborough, Massachusetts 2 1996, 1999
CenturyLink Field Seattle, Washington 1 2009
Children's Mercy Park Kansas City, Kansas 1 2013
Gillette Stadium Foxborough, Massachusetts 1 2002
Mercedes-Benz Stadium Atlanta, Georgia 1 2018
Rose Bowl Pasadena, California 1 1998

Itálico indica o estádio está inativo.

Jogador Mais Valioso (MVP)[editar | editar código-fonte]

Após cada final, um jogador é premiado com o título de Jogador Mais Valioso (MVP). Normalmente, mas não necessariamente, o vencedor do prêmio é o jogador que marca o gol da vitória ou assiste o gol da vitória. Este é o caso dos vencedores de 2017, 2010, 2008 e 2007, que marcaram os gols da vitória, ou assistiram vários gols para o lado vencedor.

Exceções a isso ocorreram em 2000, 2009 e 2016, onde o prêmio foi para os goleiros Tony Meola, Nick Rimando e Stefan Frei, respectivamente. Estas, se devem a pênaltis defendidos.

Vencedores[editar | editar código-fonte]

Ano Vencedor Posição Clube
1996 Bolívia Marco Etcheverry Meio Campo D.C. United
1997 Bolívia Jaime Moreno Atacante D.C. United
1998 Polónia Peter Nowak Meio Campo Chicago Fire
1999 Estados Unidos Ben Olsen Meio Campo D.C. United
2000 Estados Unidos Tony Meola Goleiro Kansas City Wizards
2001 Canadá Dwayne De Rosario Atacante San Jose Earthquakes
2002 Guatemala Carlos Ruiz Atacante Los Angeles Galaxy
2003 Estados Unidos Landon Donovan Atacante San Jose Earthquakes
2004 Estados Unidos Alecko Eskandarian Atacante D.C. United
2005 Guatemala Guillermo Ramírez Meio Campo Los Angeles Galaxy
2006 Estados Unidos Brian Ching Atacante Houston Dynamo
2007 Canadá Dwayne De Rosario Meio Campo Houston Dynamo
2008 Argentina Guillermo Barros Schelotto Meio Campo Columbus Crew
2009 Estados Unidos Nick Rimando Goleiro Real Salt Lake
2010 Estados Unidos Conor Casey Atacante Colorado Rapids
2011 Estados Unidos Landon Donovan Atacante Los Angeles Galaxy
2012 Estados Unidos Omar Gonzalez Defensor Los Angeles Galaxy
2013 França Aurélien Collin Defensor Sporting Kansas City
2014 República da Irlanda Robbie Keane Atacante Los Angeles Galaxy
2015 Argentina Diego Valeri Meio Campo Portland Timbers
2016 Suíça Stefan Frei Goleiro Seattle Sounders
2017 Estados Unidos Jozy Altidore Atacante Toronto FC
2018 Venezuela Josef Martínez Atacante Atlanta United

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Staff, SI com. «CONCACAF resolves qualifying problem for future CCL». SI.com (em inglês). Consultado em 16 de dezembro de 2018 
  2. Staff, MLS (21 de outubro de 2018). «2019 CONCACAF Champions League qualifying process clarified». Major League Soccer. Consultado em 16 de dezembro de 2018 
  3. «BREAKFAST AT TIFFANY'S: NEW MLS CUP TROPHY UNVEILED» (em inglês). 29 de outubro de 2008. Consultado em 16 de dezembro de 2018 
  4. a b Romero, José Miguel (13 de novembro de 2005). «MLS Cup History | Galaxy blanks Revs 1-0 to win 2005 title». The Seattle Times. Consultado em 16 de dezembro de 2018 
  5. «2010 MLS Schedule Released, Balance Reigns Supreme». web.archive.org. 6 de outubro de 2012. Consultado em 16 de dezembro de 2018 
  6. «MLSnet.com - News - 01/20/2006». web.archive.org. 20 de fevereiro de 2006. Consultado em 16 de dezembro de 2018 
  7. Felt, Hunter. «Can the Revolution ever thrive in the Boston sports market?». The Guardian. Consultado em 16 de dezembro de 2018 
  8. Staff, MLS Soccer (06 de dezembro de 2015). «Diego Valeri scores fastest goal in MLS Cup history as Portland Timbers take early lead». MLSsoccer.com. Consultado em 20 de dezembro de 2018  Verifique data em: |data= (ajuda)
  9. «Toronto beat Seattle to win MLS Cup». BBC Sport (em inglês). 9 de dezembro de 2017 
  10. Doug Roberson, The Atlanta Journal-Constitution. «Atlanta United sets MLS Cup attendance record». ajc (em English). Consultado em 20 de dezembro de 2018 
  11. https://www.facebook.com/SoccerInsider. «Atlanta United captures MLS Cup, beats Portland Timbers, 2-0». Washington Post (em inglês). Consultado em 20 de dezembro de 2018 
  12. taylor.denman@gwinnettdailypost.com, By Taylor Denman. «Atlanta United wins over the city and takes the MLS Cup in 2018». Gwinnett Daily Post (em inglês). Consultado em 20 de dezembro de 2018 
  13. Tannenwald, Jonathan. «MLS, U.S. Soccer officially announce new TV deal with ESPN, Fox, Univision». http://www.philly.com (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2018 
  14. «Playoff Format & Tiebreakers | Major League Soccer». web.archive.org. 28 de outubro de 2010. Consultado em 21 de dezembro de 2018 
  15. a b c Staff, MLS (23 de fevereiro de 2011). «MLS reveals expanded playoffs structure for 2011». MLS. Consultado em 20 de dezembro de 2016 
  16. a b Staff, MLS (20 de novembro de 2011). «Big changes for MLS Cup Playoffs format in 2012». MLS. Consultado em 20 de dezembro de 2018 
  17. Staff, MLS (17 de dezembro de 2018). «MLS announces new playoff format for 2019 season». MLS. Consultado em 20 de dezembro de 2018 
  18. «MLS overhauls playoff format, alters league schedule». SI.com (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2018 
  19. «¡Golazo! - Sporting Kansas City vs. Real Salt Lake». web.archive.org. 9 de dezembro de 2013. Consultado em 21 de dezembro de 2018 
  20. Staff, MLS (7 de dezembro de 2014). «HIGHLIGHTS: MLS CUP 2014 - LA Galaxy vs. New England Revolution | December 7, 2014». MLS. Consultado em 21 de dezembro de 2018 
  21. Staff, MLS (10 de maio de 2011). «Home Depot Center selected as MLS Cup 2011 host». MLS. Consultado em 21 de dezembro de 2018 
  22. Kaplan, Jonathan (7 de dezembro de 2013). «Recap: MLS Cup champions Sporting KC prevail in 10-round penalty shootout after 1-1 draw». SportingKC.com. Consultado em 21 de dezembro de 2018 
  23. «New England Revolution 54321». archive.revolutionsoccer.net. Consultado em 21 de dezembro de 2018 
  24. «The Year in American Soccer, 2005». homepages.sover.net. Consultado em 21 de dezembro de 2018