Marco Etcheverry

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Marco Etcheverry
Marco Etcheverry
Informações pessoais
Nome completo Marco Antonio Etcheverry Vargas
Data de nasc. 26 de setembro de 1970 (46 anos)
Local de nasc. Santa Cruz de la Sierra,  Bolívia
Altura 1,76 m
Apelido El Diablo
Informações profissionais
Equipa atual Sem clube
Posição Treinador (Ex-atacante)
Clubes de juventude
1984–1986 Bolívia Academia Tahuichi
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1986–1989
1990–1991
1992–1993
1994
1995
1996–2003
1997
1998
1999
2001
2004
Bolívia Destroyers
Bolívia Bolívar
Espanha Albacete
Chile Colo-Colo
Colômbia América de Cali
Estados Unidos D.C. United
Equador Barcelona (emp.)
Equador Emelec (emp.)
Equador Barcelona (emp.)
Bolívia Oriente Petrolero (emp.)
Bolívia Bolívar
81 (17)
99 (29)
15 (2)
28 (8)
21 (0)
190 (34)
13 (6)
6 (0)


7 (0)
Seleção nacional
1989–2003 Flag of Bolivia.svg Bolívia 71 (13)
Times/Equipas que treinou
2009
2009–2010
Equador Aucas
Bolívia Oriente Petrolero

Última atualização: quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Marco Antonio Etcheverry (Santa Cruz de la Sierra, 26 de setembro de 1970) é um ex-futebolista boliviano que atualmente é treinador. É considerado o maior jogador boliviano de todos os tempos.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Conhecido como El Diablo ("O Diabo" em espanhol), alcunha que ganhou durante os jogos eliminatórios para a Copa de 1994 devido ao seu grande talento. Nessa partida contra a seleção da Bolívia, em La Paz, a "seleção canarinho" sofreu sua primeira derrota em jogos eliminatórios para a Copa do Mundo. Se Etcheverry foi o herói das eliminatórias, tornou-se o vilão boliviano da Copa de 1994, disputada nos EUA: jogou apenas quatro minutos contra a Alemanha, pois foi logo expulso após cometer jogada violenta no astro alemão Lothar Matthäus.

Jogou em vários clubes da América do Sul (o Bolívar, de sua terra natal; o Colo-Colo do Chile; o América da Colômbia e o Barcelona e o Emelec (ambos do Equador) e no Albacete da Espanha (única equipe europeia que defendeu), mas foi na equipe estadunidense do D.C. United que obteve a consagração. Nessa equipe, El Diablo jogou durante oito anos obteve três títulos e ainda foi eleito o melhor jogador do campeonato em 1998. Jogou nesse clube até 2003, quando regressou à Bolívia para atuar no clube que o revelou, o Bolívar.

Encerrou sua carreira em 30 de março de 2006, aos 35 anos. A 12 de abril, é condecorado como "cidadão meritório" pela Câmara dos Deputados boliviana. Em 2009, fez sua estreia como treinador no Aucas, onde permaneceu por pouco tempo antes de voltar à Bolívia no mesmo ano, agora para treinar o Oriente Petrolero[1], também sem êxito.

Equipes[editar | editar código-fonte]

Como jogado
Como treinador

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador

Bolívia Bolívar

Chile Colo-Colo

Equador Barcelona

Bolívia Oriente Petrolero

Estados Unidos DC United

Notas[editar | editar código-fonte]

  • No D.C. United, Etcheverry jogou 191 partidas, marcou 34 gols, registrou 101 assistências. Os números de jogos e assistências são recordes ainda não batidos na equipe.
  • Em 2005, foi eleito por jornalistas e dirigentes um dos melhores jogadores da história da MLS, a liga de futebol dos EUA.
  • Em 12 de abril de 2006, foi condecorado Cidadão Meritório pela Câmara dos Deputados da Bolívia.
  • Em outubro de 2007, Etcheverry foi homenageado pelo DC United em uma partida comemorativa dos 10 anos do título de 1997 [2]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

Bandeira de BolíviaSoccer icon Este artigo sobre futebolistas bolivianos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.