Política da Guiné-Bissau

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Guiné-Bissau
Emblem of Guinea-Bissau.svg

Este artigo é parte da série:
Política e governo da
Guiné-Bissau



Outros países · Atlas

A Política da Guiné-Bissau ocorre em um contexto multi-partidário de uma república semi-presidencial em uma democracia representativa em transição, por meio do qual o presidente é chefe de estado e o primeiro-ministro é chefe de governo . O poder executivo é exercido pelo governo, enquanto o poder legislativo é investido tanto pelo governo quanto pela Assembleia Nacional Popular. Desde 1994, o sistema partidário é dominado pelos socialistas do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde e do Partido para Renovação Social. O Poder Judiciário é independente do executivo e legislativo.

Apesar do quadro democrático e constitucional, os militares têm exercido parcela substancial do poder e interferiram várias vezes na liderança civil desde que eleições multipartidárias foram instituídas em 1994. Nos últimos 16 anos, Guiné-Bissau sofreu dois golpes de Estado, uma guerra civil, uma tentativa de golpe, e um assassinato presidencial pelos militares. Nenhum presidente atuou um período de 5 anos completo[1]

Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou seção está a ser traduzido de en. Ajude e colabore com a tradução.

Referências

Bandeira da Guiné-Bissau Guiné-Bissau
Bandeira • Brasão • Hino • Culinária • Cultura • Demografia • Desporto • Economia • Geografia • História • Portal • Política • Subdivisões • Imagens
Ícone de esboço Este artigo sobre a Guiné-Bissau é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.