Socialismo islâmico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Socialismo islâmico é um termo cunhado por vários líderes muçulmanos, que procura dar uma forma mais espiritual ao socialismo. Os islâmicos ortodoxos acreditam que todos os socialistas são ateus e acusam o programa de confisco da propriedade privada dos meios de produção, como uma forma de opressão, que viola os ensinamentos islâmicos.

História[editar | editar código-fonte]

Abū Dharr al-Ghifārī, um companheiro do Profeta Muhammad, é creditado por muitos como o principal antecedente do socialismo islâmico.[1][2][3][4][5] Ele protestou contra a acumulação de riqueza pela classe dominante durante o califado de Uthman ibn Affan e instou o equitativa redistribuição da riqueza.

Em 2015, İhsan Eliaçık, dirigente da juventude do movimento Akıncı gençler (Jovens Cavaleiros), era considerado o ideólogo dos muçulmanos anticapitalistas na Turquia[6].

Referências

  1. John Esposito (1995). Oxford University Press, ed. Oxford Encyclopedia of the Modern Islamic World (em inglês). Nova Iorque: [s.n.] p. 19. ISBN 0-19-506613-8. OCLC 94030758 
  2. «Abu Dharr al-Ghifari». Oxford Islamic Studies Online. Oxfordislamicstudies.com  Parâmetro desconhecido |accssodata= ignorado (ajuda)
  3. And Once Again Abu Dharr. [S.l.]: Iranchamber.com. Consultado em 15 de agosto de 2011 
  4. Hanna, Sami A.; George H. Gardner (1969). E.J. Brill, ed. Arab Socialism: A Documentary Survey. Leiden: Books.google.com. p. 273–274. Consultado em 23 de janeiro de 2010 
  5. Hanna, Sami A. (1969). The Muslim World, ed. «Al-Takaful al-Ijtimai and Islamic Socialism» (em inglês). 59 (3-4): 275–286. doi:10.1111/j.1478-1913.1969.tb02639.x 
  6. Turquia: surgem os muçulmanos anticapitalistas, acesso em 19 de julho de 2016.
Ícone de esboço Este artigo sobre o Islamismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.