Estado islâmico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Estado islâmico (desambiguação).
Mapa-múndi dos países do mundo islâmico:
  Estados islâmicos
  Estados confessionais cuja religião oficial é o Islã
  Outros Estados com maioria muçulmana

Estado islâmico (em árabe: دولة إسلامية; transl.: dawlah islāmiyah) é um tipo de governo que se fundamenta na aplicação da lei religiosa islâmica, ou "charia". Desde o início do Islão que diversos governos foram fundados como islâmicos. Entre os primeiros Estados islâmicos, assinala-se aquele o próprio califado fundado pelo profeta Maomé e os sucessivos governos sob domínio de um califa (ou "sucessor" de Maomé).[1]

No entanto, desde o século XX que o termo "Estado islâmico" apresenta uma conotação específica, e cujo conceito moderno tem vindo a ser promovido por ideólogos como Abul Ala Maududi, Ruhollah Khomeini ou Sayyid Qutb. Tal como a anterior noção de califado, o Estado islâmico moderno tem por base a lei islâmica e é moldado de acordo com o governo de Maomé. No entanto, ao contrário dos antigos califados, que eram monarquias déspotas, um Estado islâmico moderno pode incorporar instituições políticas modernas, como a realização de eleições, parlamentos, poder judicial ou soberania popular.

Atualmente, diversos países islâmicos têm vindo a incorporar a lei islâmica nos seus sistemas jurídicos, total ou parcialmente. Alguns Estados muçulmanos declaram na constituição o Islamismo enquanto religião de Estado, embora não apliquem a lei islâmica nos tribunais. Os Estados islâmicos que não sejam monarquias são geralmente referidos como repúblicas islâmicas. Geralmente, não é obrigatório um Estado Islâmico unificar jurisprudências de processos a revelia da religião dos litigiosos, ter pautas de direita e defender um sectarismo religioso.[2]


O estado islâmico histórico[editar | editar código-fonte]

O primeiro Estado islâmico foi uma entidade política estabelecida por Maomé em Medina em 622 dC, sob a Constituição de Medina. Representava a unidade política do muçulmano Ummah (nação). Foi subseqüentemente transformado no califado pelos discípulos de Maomé, que eram conhecidos como os Califas Corretamente Guiados.

Referências

  1. Ashgar, Ali (2006). The State in Islam: Nature and the Scope. [S.l.]: Pinnacle Technology. p. 91. ISBN 9781618200822 
  2. Hezbollah’s New Political Platform Fawwaz Traboulsi, publicado originalmente em Z Net, 24 de janeiro de 2010

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre o Islamismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.