Conservadorismo socialista

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

As designações Socialismo Conservador ou Conservadorismo Socialista[nota 1] denotam pontos de convergências entre as ideologias socialistas e conservadoras.

História[editar | editar código-fonte]

Um dos primeiros auto-proclamado proponente do "socialismo conservador" foi o político austríaco Klemens von Metternich já em 1847. Os monarquistas começaram a usar o "socialista" como uma antítese do "laissez-faire burguês" indicando confiança em uma "consciência social". "em oposição ao individualismo puro. Metternich dizia que os objetivos de um socialismo tão conservador eram "pacíficos, harmonizadores de classe, cosmopolitas, tradicionais".[1] O "socialismo monárquico" promoveu o paternalismo social retratando o monarca como tendo o dever "paternal" de proteger seu povo dos efeitos das forças econômicas livres. [2]O "socialismo conservador" de Metternich via o liberalismo como formas de ditadura de classe média sobre as massas e o nacionalismo como emancipador no caso de Guilherme I.[3]

Johann Karl Rodbertus, um latifundiário conservador monarquista e advogado que brevemente serviu como ministro da educação na Prússia em 1848, promoveu uma forma de socialismo de estado liderada por uma monarquia iluminada que apoiava a regulação estatal da economia[4]. Rodbertus apoiou a eliminação da propriedade privada da terra, com o estado no controle do "capital nacional" em vez da redistribuição do capital privado. Na década de 1880, o socialismo conservador de Rodbertus foi promovido como uma alternativa não revolucionária à democracia social e um meio para justificar a aceitação das políticas sociais de Bismarck.

No Brasil, o socialismo teve início com sua vertente conservadora e não marxista, como José Inácio de Abreu e Lima e Antônio Pedro de Figueiredo.

Agenda política e principais ideias[editar | editar código-fonte]

Como em outras vertentes do conservadorismo, o conservadorismo socialista não possui uma ideologia político-social unificada. Antes, propõe a avaliação de cada mudança, respeitando o que já foi conquistado. Porém, em comum com os movimentos socialistas, possui como programa e objetivo a adoção de políticas que valorize mais o social que o individualismo.

Dentre os vários programas defendidos por um ou outro grupo conservador socialista incluem:

Principais representantes[editar | editar código-fonte]

Personalidades

Partidos

Notas

  1. Também pode ser chamado de Conservadorismo Paternalista e Socialismo de Direita

Referências

  1. Viereck, Peter. Conservative thinkers: from John Adams to Winston Churchill. New Brunswick, New Jersey, US: Transaction Publishers, 2006
  2. Viereck, Peter. Conservative thinkers: from John Adams to Winston Churchill. New Brunswick, New Jersey, US: Transaction Publishers, 2006
  3. Viereck, Peter. Conservative thinkers: from John Adams to Winston Churchill. New Brunswick, New Jersey, US: Transaction Publishers, 2006
  4. Marshall S. Shatz. Jan Waclaw Machajski: A Radical Critic of the Russian Intelligentsia and Socialism. Pittsburgh, Pennsylvania, US: University of Pittsburgh Press, 1989, p. 86.
Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.