Partido Conservador do Canadá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Partido Conservador do Canadá
Conservative Party of Canada
Parti conservateur du Canada
Líder Candice Bergen[1]
Presidente Robert Batherson
Fundadores Stephen Harper
Peter MacKay
Fundação 7 de dezembro de 2003 (18 anos)
Sede Ottawa,  Canadá
Ideologia Conservadorismo
Liberalismo econômico
Facções:
Blue Tory
Red Tory
Espectro político Centro-direita[2] a direita[3]
Antecessor Partido Progressista Conservador do Canadá
• Aliança Canadiana
Membros (2020) Aumento 600,000[4]
Afiliação internacional União Internacional Democrata
Afiliação europeia Aliança dos Reformistas e Conservadores Europeus (parceiro regional)
Senado
16 / 105
Câmara dos Comuns
119 / 338
Cores      Azul
Página oficial
conservative.ca

O Partido Conservador do Canadá (em inglês: Conservative Party of Canada, CPC; em francês: Parti Conservateur du Canada, PCC) é um dos maiores partidos políticos do Canadá, tendo sido fundado em 2003, resultante da fusão entre o Partido Progressista Conservador do Canadá e a Aliança Canadiana, sendo este último o sucessor do Partido Reformista do Canadá.[5] No espectro político convencional, o partido está entre a centro-direita e a direita, acolhendo diferentes vertentes do conservadorismo.[6][7]

O Partido Conservador é o descendente de diversos partidos conservadores e de direita que existiram ao longo da história no Canadá,[8] como o Partido Conservador do Canadá que durou até 1942 e liderou diversos governos nacionais.[9] A partir de 1942, o partido de direita de maior relevância passou a ser o Partido Progressista Conservador do Canadá, que chegou, pela primeira vez, à liderança do governo canadiano em 1957[10] e, a partir daí, liderou diversos governos até o início da década de 1990.[11] Em 1993, os históricos conservadores progressistas sofreram uma grave derrota diante do forte desempenho do Partido Reformista do Canadá nas eleições.[12] Em 2003, os dois partidos se uniram, dando origem ao atual Partido Conservador.[5]

De 2006 a 2015, enquanto líder do governo, o PCC reduziu impostos sobre vendas e impostos comerciais, equilibrou o orçamento nacional, criou a conta de poupança livre de impostos e o Benefício Universal de Assistência à Criança. Nas políticas socioculturais, eliminou o direito ao registro de armas longas, introduziu penas mínimas obrigatórias para crimes violentos, aumentou a idade de consentimento para 16 anos, permitiu a construção de vários oleodutos e retirou o Canadá do Protocolo de Quioto. Também nomeou vários senadores eleitos, apoiou o Estado de Israel, negociou o Acordo Integral de Economia e Comércio e a Parceria Transpacífica.[13][14][15][16]

Liderado por Stephen Harper, o PCC rapidamente se tornou influente na política canadiana e chegou ao poder em 2006, apenas 3 anos depois de sua fundação.[17] Em 2011, conseguiu formar governo maioritário[18] mas voltou à oposição ao sofrer uma clara derrota frente ao forte ressurgimento do Partido Liberal do Canadá em 2015, o que levou à demissão de Stephen Harper.[19]

Ideologia[editar | editar código-fonte]

O Partido Conservador histórico identificou-se fortemente com o Império Britânico e teve como objetivo moldar as instituições políticas canadianas depois que as políticas britânicas se opuseram ao Partido Liberal que favorecia o nacionalismo canadiano e a independência política da Grã-Bretanha, bem como políticas econômicas continentalistas, como livre comércio e maior integração com os EUA, em vez de maiores laços políticos e econômicos com o Império Britânico e depois com a Comunidade das Nações. A reversão ocorreu sob a direção de Brian Mulroney, quando o partido enfatizou as forças do mercado na economia e alcançou um marco no acordo de livre comércio com os EUA em 1988.[20]

Sendo relativamente jovem e tendo uma herança política e história mista, o Partido Conservador atual é frequentemente descrito como um "partido pega-tudo",[21] abrangendo membros e eleitores com uma variedade de filosofias, ideias e posições, embora esteja entre a centro-direita e a direita no espectro político.[22][23] No geral, é definido como praticante do modelo canadiano de conservadorismo e conservadorismo fiscal. Outras facções menores do partido são descritas por comentaristas da mídia como conservadoras liberais, socialmente conservadoras, populistas de direita e conservadoras libertárias.[24]

Buscando estabelecer uma plataforma coesa após sua criação, declarou que suas filosofias e princípios fundamentais são responsabilidade fiscal, defesa dos direitos e liberdades individuais, monarquismo constitucional, parlamentarismo, democracia, apoio às forças de defesa nacional, à lei e ordem, às tradições do Canadá e ao tratamento igual para todos os cidadãos.[25]

O partido quer manter o "balanço fiscal" que introduziu em seu orçamento de 2007 (quando liderou o governo) e eliminar a dívida nacional. Além disso, oferece suporte a simplificação de códigos tributários, controles sobre gastos governamentais e reduções de impostos pessoais e empresariais. Também apoia a abolição do imposto sobre emissões de carbono.[26] Em sua convenção de março de 2021, os delegados votaram 54% a 46% para rejeitar uma proposta de expandir as políticas de combate a mudanças climáticas existentes do partido para incluir uma declaração de que as mudanças climáticas são reais, proclamar que os conservadores estão "dispostos a agir" sobre a questão e pedir por mais inovações na tecnologia ambiental.[27]

O PCC é a favor do envolvimento do Canadá na OTAN e nos acordos comerciais internacionais, incluindo o acordo CANZUK que permitiria a mobilização de bens, comércio e pessoas entre Canadá, Austrália, Nova Zelândia e Reino Unido. Também é amistoso com Israel, com certos membros seus tendo apoiado a mudança da embaixada do Canadá de Tel Aviv para Jerusalém e a suspensão da contribuição do Canadá para a Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina no Próximo Oriente.[28] Por outro lado, é crítico de países como Rússia, Coreia do Norte, Irã e China, chegando a defender uma postura dura contra o Partido Comunista Chinês e prometer que impediria que a China entrasse nas redes 5G do Canadá. Ademais, pede ao Canadá que incentive outras nações ocidentais a impedirem que corporações apoiadas pelo governo chinês acessem e assumam o controle de importantes infraestruturas relacionadas a mídia, energia, internet, defesa e segurança.[29][30][31]

Atualmente, o PCC pede um sistema de imigração que encoraje a imigração baseada no mérito e a atração de trabalhadores qualificados que impulsionem a economia, ao mesmo tempo que não tolera a imigração clandestina e exige que os imigrantes falem inglês ou francês. Seus membros também querem agilizar o processo de concessão de cidadania a crianças nascidas no exterior adotadas por cidadãos canadianos, acelerar a validação de pedidos de refúgio e ajudar minorias perseguidas, garantindo que aqueles que não cumprem o status de refugiado sejam escoltados para fora do o país. Também propõe a eliminação da cidadania por nascimento, a menos que um dos pais de uma criança nascida no Canadá tenha residência permanente ou cidadania canadiana.[32]

Às vezes, o PCC é considerado pelo seus críticos como sendo semelhante ao Partido Republicano dos EUA e ao Partido Conservador do Reino Unido, mesmo que existam diferenças em muitas questões e os partidos só estejam alinhados com a participação no fórum internacional de partidos conservadores, a União Democrata Internacional.

Programa partidário e políticas[editar | editar código-fonte]

Desde 2013, as políticas do partido passaram a incluir:[33]

  • Bilinguismo;
  • Multiculturalismo;
  • Gestão de suprimentos para determinadas indústrias agrícolas;
  • Extração de petróleo;
  • Livre-comércio;
  • Direito de possuir propriedade privada;
  • Aumento dos os gastos militares para 2% do PIB;
  • Formação do CANZUK e filiação ao mesmo;
  • Participação na OTAN;
  • Participação na ONU;
  • Fim da ajuda ao financiamento de aborto internacionalmente;
  • Apoio a Israel;
  • Formação do senado por meio de eleição;
  • Descentralização;
  • Federalismo;
  • Monarquismo constitucional;
  • Saúde pública;
  • Pensões públicas;
  • Serviços governamentais simplificados;
  • Legislação orçamentária equilibrada;
  • Reembolso da dívida;
  • Redução de subsídios para empresas;
  • Direito de indivíduos licenciados a possuir armas de fogo;
  • Pena mínima obrigatória para crimes violentos;
  • Liberdade aos deputados para votarem no aborto como quiserem;
  • Oposição ao suicídio assistido;
  • Simplificação tributária;
  • Redução de impostos de renda;
  • Redução de impostos comerciais;
  • Redução de impostos sobre ganhos de capital;
  • Oposição à taxa sobre emissão de carbono.

Facções internas[editar | editar código-fonte]

Historicamente, o partido é divido em duas grandes facções principais que datam da fundação do Canadá:[6]

Uma outra facção menor é intitulada de:

  • Pink Tory: facção dos "conservadores rosa"; mais culturalmente liberais, eles são defensores da união civil entre pessoas do mesmo sexo e do direito ao aborto. São considerados representantes desta ala do ex-primeiro-ministro de Ontário, Bill Davis, e o ex-candidato a primeiro-ministro Ernie Eves.[39]

Resultados Eleitorais[editar | editar código-fonte]

Eleições legislativas[editar | editar código-fonte]

Data Líder Cl. Votos % +/- Deputados +/- Status Notas
2004 Stephen Harper 2.º 4 019 498
29,63 / 100
99 / 308
Oposição Oposição oficial
2006 1.º 5 374 071
36,27 / 100
Aumento 6,64
124 / 308
Aumento 25 Governo Governo minoritário
2008 1.º 5 209 069
37,65 / 100
Aumento 1,38
143 / 308
Aumento 19 Governo Governo minoritário
2011 1.º 5 832 401
39,62 / 100
Aumento 1,97
166 / 308
Aumento 23 Governo Governo maioritário
2015 2.º 5 613 633
31,91 / 100
Baixa 7,71
99 / 338
Baixa 67 Oposição Oposição oficial
2019 Andrew Scheer 2.º 6 239 227
34,34 / 100
Aumento 2,52
121 / 338
Aumento 22 Oposição Oposição oficial
2021 Erin O'Toole 2.º 5 747 410
33,74 / 100
Baixa 0,60
119 / 338
Baixa 2 Oposição Oposição oficial

Referências

  1. «O'Toole resigns as Conservative leader, will stay on as MP». CTV News (em inglês). 4 de fevereiro de 2022. Consultado em 11 de julho de 2022 
  2. Blais, André; Laslier, Jean-François; Van der Straeten, Karihine (2016). Voting Experiments (em inglês). [S.l.]: Springer International Publishing. pp. 25–26. ISBN 978-3-319-40573-5 
  3. Freedom House (2016). Freedom in the World 2015: The Annual Survey of Political Rights and Civil Liberties (em inglês). [S.l.]: Rowman & Littlefield Publishers. p. 130. ISBN 978-1-4422-5408-4 
  4. Paas-Lang, Christian; Tasker, John Paul. «Over 600,000 CPC members expected to be eligible to decide party's future: sources». CBC News (em inglês) 
  5. a b «Conservative Party of Canada». Encyclopædia Britannica (em inglês) 
  6. a b c d Gagnon, Alain-G.; Tanguay, A. Brian, eds. (2016). Canadian Parties in Transition, Fourth Edition (em inglês). [S.l.]: University of Toronto Press. p. 122. ISBN 978-1-4426-3470-1 
  7. Lewis, J. P.; Everitt, Joanna (2017). The Blueprint: Conservative Parties and their Impact on Canadian Politics (em inglês). [S.l.]: University of Toronto Press. p. 11. ISBN 978-1-4875-1403-7 
  8. Harrison, Trevor W. (16 de novembro de 2011). «Conservative Party». The Canadian Encyclopedia (em inglês) 
  9. «Quebec History». faculty.marianopolis.edu (em inglês). Marianopolis College. Consultado em 26 de junho de 2017 
  10. «The Federal Elections of 1957 and 1958». diefenbaker.usask.ca (em inglês). Universidade de Saskatchewan. Consultado em 26 de junho de 2017 
  11. Clippingdale, Richard T. (21 de fevereiro de 2008). «Joe Clark». The Canadian Encyclopedia (em inglês) 
  12. «Reform Party». canadahistory.com (em inglês). Consultado em 26 de junho de 2017 
  13. Maloney, Ryan (26 de agosto de 2016). «Harper's Legacy: 10 Ways The Ex-PM Left His Mark On Canada». HuffPost (em inglês). Consultado em 11 de julho de 2022 
  14. «The Harper legacy: Canadians praise cuts to GST, balanced budgets, condemn environmental record». Angus Reid Institute (em inglês). 30 de outubro de 2015. Consultado em 11 de julho de 2022 
  15. Dippel, Scott (26 de agosto de 2016). «As Stephen Harper leaves politics, record shows mixed results for Calgary». CBC News (em inglês). Consultado em 11 de julho de 2022 
  16. Payton, Laura (6 de janeiro de 2022). «Harper appoints 7 new senators». CBC News (em inglês). Consultado em 11 de julho de 2022 
  17. Heard, Andrew. «2006 Canadian Election Results». sfu.ca (em inglês). Universidade de Simon Fraser. Consultado em 26 de junho de 2017 
  18. «Kanada: Konservative erringen Sieg». WELT (em alemão). 4 de maio de 2011. Consultado em 26 de junho de 2017 
  19. Dehaas, Josh (19 de outubro de 2015). «Stephen Harper resigns as Conservative leader». CTV News (em inglês) 
  20. «Founding Principles». conservative.ca (em inglês). Consultado em 13 de julho de 2022. Cópia arquivada em 2 de março de 2012 
  21. Carty, R. Kenneth (2015). Big Tent Politics: The Liberal Party's Long Mastery of Canada's Public Life (em inglês). [S.l.]: UBC Press. pp. 16–17. ISBN 978-0-7748-3002-7  - (PDF copy - UBC Press, 2015)
  22. Bittner, Amanda; Koop, Royce (2013). Parties, Elections, and the Future of Canadian Politics (em inglês). [S.l.]: UBC Press. p. 300. ISBN 978-0-7748-2411-8 
  23. Baumer, Donald C.; Gold, Howard J. (2015). Parties, Polarization and Democracy in the United States (em inglês). [S.l.]: Taylor & Francis. pp. 152–. ISBN 978-1-317-25478-2 
  24. Perez, Andrew (10 de agosto de 2021). «O'Toole's Conservative Party fracturing on eve of a federal election» (em inglês). Consultado em 11 de julho de 2022 
  25. «Policy Declaration» (PDF) (em inglês). Conservative Party of Canada. Consultado em 11 de julho de 2022. Arquivado do original (PDF) em 27 de junho de 2019 
  26. «Policy Declaration» (PDF). cpcassets.conservative.ca (em inglês). Consultado em 11 de julho de 2022 
  27. Tasker, John Paul (20 de março de 2021). «Conservative delegates reject adding 'climate change is real' to the policy book». CBC News (em inglês). Consultado em 11 de julho de 2022 
  28. https://www.lemonde.fr/afrique/article/2019/10/02/canada-en-cas-de-victoire-face-a-trudeau-les-conservateurs-veulent-reduire-l-aide-internationale_6013900_3212.html
  29. McKenna, Peter (15 de outubro de 2020). «Peter McKenna: What would an Erin O'Toole foreign policy look like?». The Chronicle Herald (em inglês). Consultado em 11 de julho de 2022 
  30. Levitz, Stephanie (26 de fevereiro de 2018). «Scheer says Tories will recognize Jerusalem as Israel's capital if elected». CBC News (em inglês). Consultado em 11 de julho de 2022 
  31. Hepburn, Bob (7 de maio de 2018). «Israel policy the makings of a major blunder by Scheer». Toronto Star (em inglês). Consultado em 11 de julho de 2022 
  32. «Policy Declaration» (PDF). cpcassets.conservative.ca (em inglês). 25 de agosto de 2018. Consultado em 13 de julho de 2022 
  33. «Policy Declaration» (PDF). conservative.ca (em inglês). 2 de novembro de 2012. Consultado em 13 de julho de 2022. Arquivado do original (PDF) em 27 de junho de 2019 
  34. «Why Jews were Red Tories». Canadian Jewish News (em inglês). 4 de março de 2015. Consultado em 8 de agosto de 2019 
  35. MacCharles, Tonda (28 de maio de 2016). «Tories vote to accept same-sex marriage». Toronto Star (em inglês). Consultado em 13 de julho de 2022 
  36. Bellavance, Joël Denis (17 de janeiro de 2020). «"Le mariage gai est un succès", dit Pierre Poilievre». La Presse (em francês). Consultado em 13 de julho de 2022 
  37. «Here's where the parties stand on LGBTQ issues». CBC News (em inglês). 8 de agosto de 2019. Consultado em 13 de julho de 2022 
  38. Dart, Ron (18 de março de 2010). «Red Tory». The Canadian Encyclopedia (em inglês). Consultado em 6 de outubro de 2014 
  39. «Ontario Liberal leader takes aim at incoming premier». CBC News (em inglês). 25 de março de 2002. Consultado em 11 de fevereiro de 2018