Topa Tudo por Dinheiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Tudo por Dinheiro redireciona para este artigo. Para o filme norte-americano de 1998, veja Tudo por Dinheiro (filme).
Topa Tudo Por Dinheiro
Logotipo do programa
Informação geral
Formato Programa de auditório
Duração 120 minutos (2 horas)
Criador(es) Silvio Santos
País de origem  Brasil
Produção
Apresentador(es) Silvio Santos
Tema de abertura "Banjo Billy", Pete Ross-Winslow
Tema de encerramento "The Hustle", Van McCoy (1991-1993) "Ritmo de Festa" (1993-2001)
Exibição
Emissora de televisão original Brasil SBT
Transmissão original 5 de maio de 1991 - 16 de dezembro de 2001

Topa Tudo Por Dinheiro foi um programa de televisão do Brasil exibido nas noites de domingos, veiculado pelo SBT e apresentado pelo empresário e animador Silvio Santos.

"Quem quer dinheiro?" foi um jargão muito utilizado por Silvio durante a exibição do programa.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A estreia do programa foi em 5 de maio de 1991, no horário das 17h30, ao vivo. Em meados de setembro, começou a ser exibido entre 20h e 22h, horário até então ocupado pelo programa Show de Calouros.

As Câmeras Escondidas[editar | editar código-fonte]

Uma das atrações mais marcantes do Topa Tudo Por Dinheiro foram as câmeras escondidas ou pegadinhas.

Os principais atores das pegadinhas foram: Ivo Holanda, Gibe, Ruth Romcy, Fernando Benini e Carlinhos Aguiar. Outros atores foram: Celso Portiolli, Lucélia Machiavelli, Cristina Cairo, Edson Melhorança, Fernanda Spadotti, Rubens Felix, Andréia, Wanderley Baptista, Rogério, Montanha, Dalita, Pedrinho Tonelada, Salvador de Barros, Maurício Sydiney, Paulo Porto Maria Clara, entre outros.

Formato e detalhes[editar | editar código-fonte]

O formato do programa é de origem estrangeira, licenciado ao SBT, que precisa pagar pelo uso e seguir regras rígidas. Com relação às pegadinhas ou câmeras escondidas, os membros do auditório tinham de observar e Silvio fazia uma pergunta a algum selecionado do auditório para que ganhasse prêmios em dinheiro.[2]

Audiência[editar | editar código-fonte]

Em pouco tempo, o programa alcançou popularidade. Após a mudança de horário para as 20h, o Topa Tudo passou a concorrer diretamente com o Fantástico, da Rede Globo, e aos poucos foi aumentando sua audiência. Em 8 de setembro de 1991, veio a primeira vitória em cima do concorrente liderando por 30 minutos; no dia 15 de setembro do mesmo ano, a audiência do programa encostou na do Fantástico com um placar de 32 a 34 pontos. Em 22 de setembro, o programa superou o Fantástico com 36 e picos de 40 pontos no Ibope contra 31. Na semana seguinte, venceu de novo, com 37 pontos e picos de 41 contra 29,[3] em 27 de agosto de 1995, quando o Topa Tudo era exibido entre 21h e 23h30, o programa registrou 30 pontos de audiência contra 23 da Rede Globo.[4] Em março de 1996, a Rede Globo estreou o humorístico Sai de Baixo, como forma de combater a audiência do Topa Tudo, e então, o programa não conseguiu a liderança novamente até a derrocada do Sai de Baixo no início de 2000.

Em 5 de novembro de 2000, registrou média de 22 pontos, com picos de 27.[5]

Término[editar | editar código-fonte]

A última edição do Topa Tudo foi ao ar em 16 de dezembro de 2001, após a final da primeira edição do reality show Casa dos Artistas, neste dia o programa foi ao ar das 0h35 às 1h43 e liderou na audiência com 24 pontos de média. O programa ficou fora do ar durante a exibição do reality, quando sua exibição era às 23h.[6]

Uma parte do programa retornou ao ar em 1º de junho de 2008, dentro do Programa Silvio Santos, em que houve o retorno das pegadinhas e englobando também quadros dos já extintos programas Qual é a Música e Hot Hot Hot.[7][8]

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]