Traje típico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Alguns trajes típicos de diferentes países.

Um traje típico (também traje popular, traje regional, traje nacional, roupa tradicional) expressa uma identidade através traje, que é geralmente associada a uma área geográfica ou um período de tempo na história. Também pode indicar estado social, conjugal ou religioso. Se o traje é usado para representar a cultura ou identidade de um determinado grupo étnico, é geralmente conhecido como traje étnico (também vestido étnico, roupa étnica ou peça de vestuário étnico tradicional).[1] Esses trajes costumam ter duas formas: uma para ocasiões cotidianas, outra para festas tradicionais e roupas formais. As fantasias muitas vezes são usadas ou em ocasiões da vida cotidiana ou para festivais, como roupas formais.[2]

Exemplos de trajes nacionais incluem a Tricana, de Coimbra, Portugal, o quimono do Japão, o hanbok da Coreia do Sul, a Tracht da Alemanha, o sári (feminino) da Índia, o kilt da Escócia, as polleras das cholas da Bolívia e o traje dos gaúchos da Argentina, Uruguai e Brasil.[3]

Grupo de cholas bolivianas com trajes típicos durante uma festa rural.

Nos países árabes, o traje típico é um fez e dishdasha usado por homens e um hijab trajado por mulheres.[4] Outro exemplo é o pano da costa, utilizado historicamente por mulheres afro-brasileiras.[5]

Após a ascensão do nacionalismo romântico, o campesinato da Europa passou a servir de modelo para tudo o que parecia genuíno e desejável. Suas roupas se cristalizaram nas chamadas formas "típicas", e os entusiastas adotaram essas vestimentas como parte de seu simbolismo.[6]

Cada grupos étnicos da China têm o seu próprio traje.

Em áreas onde os códigos de vestimenta ocidentais se tornaram usuais, as vestimentas tradicionais são freqüentemente usadas em eventos ou celebrações especiais; particularmente aqueles ligados a tradições culturais, herança ou orgulho. Os eventos internacionais podem atender a participantes não ocidentais com um código de vestimenta composto, como "terno de negócios ou traje nacional".[6]

Nos tempos modernos, existem casos em que as vestimentas tradicionais são exigidas pelas leis suntuárias. No Butão, as roupas tradicionais no estilo tibetano de gho e kera para os homens e kira e toego para as mulheres devem ser usadas por todos os cidadãos, incluindo aqueles que não são de herança tibetana. Na Arábia Saudita, as mulheres também devem usar o abaya em público.[6]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Condra, Jill (9 de abril de 2013). Encyclopedia of National Dress: Traditional Clothing around the World [2 volumes] (em inglês). [S.l.]: ABC-CLIO 
  2. Editores do Aulete (2007). «Verbete «traje»». Dicionário Caldas Aulete. Consultado em 24 de fevereiro de 2014 
  3. «▷ Trajes típicos do mundo 🥇 pt.versiontravel.com». Consultado em 23 de dezembro de 2021 
  4. «Quais são os trajes típicos dos países islâmicos e o que representam?». Super. Consultado em 23 de dezembro de 2021 
  5. «"Pano-da-Costa: Arte afro-brasileira de tercer" SETEMBRO/2018 | Museu Afro-Brasileiro». www.mafro.ceao.ufba.br. Consultado em 23 de dezembro de 2021 
  6. a b c Condra, Jill (9 de abril de 2013). Encyclopedia of National Dress: Traditional Clothing around the World [2 volumes] (em inglês). [S.l.]: ABC-CLIO 
Ícone de esboço Este artigo sobre Cultura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.