Betty Grable

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Betty Grable
Betty Grable em 1951.
Nome completo Elizabeth Ruth Grable
Outros nomes The Girl With the Million Dollar Legs
The Pin-Up Girl
Nascimento 18 de dezembro de 1916
St. Louis, Estados Unidos Missouri
Morte 2 de julho de 1973 (56 anos)
Santa Monica, California,  Estados Unidos
Ocupação Atriz
Cônjuge Jackie Coogan (1937 - 1940)
Harry James (1943 - 1965)
Atividade 1930 - 1955
IMDb: (inglês)


Elizabeth Ruth Grable (St. Louis, 18 de Dezembro de 1916Santa Monica, 2 de Julho de 1973) foi uma dançarina, cantora e atriz estadunidense.

Grable começou sua carreira no cinema em 1929, aos doze anos, ganhou destaque no musical da Broadway Du Barry Was a Lady (1939), que chamou a atenção da 20th Century-Fox. Ela substituiu Alice Faye em Serenata Tropical (1940), seu primeiro grande filme em Hollywood, e se tornou a maior estrela da Fox ao longo da década restante. A Fox lançou Betty Grable em uma sucessão de musicais em Technicolor, co-estrelando com Victor Mature, Don Ameche, John Payne e Tyrone Power.

Em 1947, ela foi a artista mais bem paga nos Estados Unidos. Dois de seus maiores sucessos no cinema foram o musical ...E os Anos Passaram (1947) e a comédia Como Agarrar um Milionário (1953) , um de seus últimos filmes. Grable se aposentou em 1955, depois do fim de seu contrato com a Fox, embora continuasse se apresentando no palco e na televisão.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Elizabeth Ruth Grable, atriz, cantora e bailarina, nasceu em dezembro de 1916, em St Louis (EUA), mas ficou conhecida por Betty Grable. Sua mãe nunca mediu esforços para que sua filha ficasse famosa, falsificou sua identidade para arranjar um contrato e, aos 13 anos, a menina já atuava em Happy Days, com o rosto cheio de maquiagem e cabelos de loiro platina, cabelo que usou por toda sua vida. Ela fez pequenas aparições em mais de 50 filmes, mas foi na década de 1940 que sua carreira ganhou destaque transformando-se em uma das estrelas dos filmes em Technicolor da 20th Century Fox. Sua fama foi tanta que ganhou um dos maiores salários de Hollywood, sendo topo de bilheteria por mais de 10 anos. Sua foto em traje de banho, olhando para trás por sobre o ombro direito, transformou-a na maior das pin-ups durante a II Guerra Mundial. A imagem foi posteriormente incluída numa lista compilada pela revista LIFE, 100 Photographs that Changed the World (As 100 Fotos que Mudaram o Mundo).[2] [3] Grable era mais conhecida por suas pernas esculturais, mostradas em todos os musicais nos quais ela trabalhou para a FOX e que foram seguradas pelo Lloyd's de Londres em US$ 1.000.000 por perna.

Seu primeiro papel de destaque foi em Serenata Tropical, logo em seguida vieram, A Vida é uma Canção (1940), Sob o Luar de Miami (1941), Minha Secretária Brasileira com Carmen Miranda (1942), Turbilhão (1943), A Preferida ( 1944 ), As Irmãs Dolly (1945) e ... E os Anos Passaram (1947).

Em 1950, Grable participou de dois grandes sucessos, Noiva que não Beija e A Cegonha Demora-se ao lado de Dan Dailey. No final de 1952, Betty Grable estrelaria com Jane Russell uma versão cinematográfica da Fox de uma comédia musical da Broadway chamado Gentlemen Prefer Blondes. No entanto, a Fox decidiu usar em seu lugar, a recém-chegada Marilyn Monroe. Ela foi chamada então para participar do filme A Vida É uma Canção (1953), com Dale Robertson, um fracasso de bilheteria e crítica. Em 1953, estrelou ao lado de Lauren Bacall e Marilyn Monroe o filme, Como Agarrar Um Milionário.[4] O último papel de Grable no cinema foi na comédia Como Usar as Curvas (1955) com a recém-chegada Sheree North, o personagem de Sheree havia sido oferecido a Marilyn Monroe, que recusou queixando-se do roteiro que seria "pobre demais". Depois do filme, Grable disputou o papel de Miss Adelaide em Guys and Dolls (1956), mais perdeu para Vivian Blaine.

Após o período de guerra, ela seguiu fazendo musicais. Foram no total 25, em 13 anos. Depois disso só brigas com os estúdios, até que seu contrato foi suspenso. Ela ainda fez alguns trabalhos na TV, sem grande sucesso e estreou alguns musicais, como Hello Dolly! no teatro.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Foi casada duas vezes, primeiro com Jackie Coogan, e depois com Harry James, com quem teve dois filhos e de quem também acabou se divorciando.

Morte[editar | editar código-fonte]

Betty Grable morreu de câncer de pulmão, em 1973, com apenas 56 anos. Encontra-se sepultada no Inglewood Park Cemetery, Inglewood, Condado de Los Angeles, Califórnia no Estados Unidos.[5]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Grable em sua foto em traje de banho.
Marcas das mãos e assinatura de Betty Grable na Calçada da Fama do Teatro Chines.
Todos os títulos em Português dos filmes estrangeiros referem-se a exibições no Brasil.
  • (1929) Happy Days
  • (1930) A Caminho de Hollywood
  • (1930) Follies de 1930
  • (1930) Whoopee!
  • (1931) Kiki
  • (1931) O Homem do Outro Mundo
  • (1932) Cortesãs Modernas
  • (1932) Probation
  • (1932) The Age of Consent
  • (1932) Hold 'Em Jail
  • (1932) Meu Boi Morreu
  • (1933) Cavalcade
  • (1933) Anjo de New York
  • (1933) Cruzeiro dos Amores
  • (1933) O Preço da Inocência
  • (1933) The Sweetheart of Sigma Chi
  • (1934) A Alegre Divorciada
  • (1934) Folias de Estudante
  • (1934) By Your Leave
  • (1935) Na Pista da Viúva
  • (1935) No Rítmo do Jazz
  • (1936) Colégio do Sapequismo
  • (1936) Nas Águas da Esquadra
  • (1936) Os Reincidentes
  • (1936) Loucuras de Estudantes
  • (1937) Amor Entre Bastidores
  • (1937) Uma Só Vez na Vida
  • (1938) Jazz Academia
  • (1938) Quero um Marido
  • (1938) Caloura entre Calouros
  • (1939) O Terror dos Maridos
  • (1939) Ela Prefere os Atletas
  • (1939) Na Reta de Chegada
  • (1940) Serenata Tropical
  • (1940) A Vida é uma Canção
  • (1941) Sob o Luar de Miami
  • (1941) Um Yankee na R.A.F.
  • (1941) Quem Matou Vicki?
  • (1942) Canção de Havaí
  • (1942) Rapsódia da Ribalta
  • (1942) Minha Secretária Brasileira
  • (1943) Turbilhão
  • (1943) Rosa, A Revoltosa
  • (1944) Quatro Moças num Jipe
  • (1944) A Preferida
  • (1945) Mulheres e Diamantes
  • (1945) As Irmãs Dolly
  • (1946) A Professora Se Diverte
  • (1947) Sua Alteza, a Secretária
  • (1947) ...E os Anos Passaram
  • (1948) A Condessa Se Rende
  • (1948) When My Baby Smiles at Me
  • (1949) Esta Loira á um Demônio
  • (1950) Noiva que não Beija
  • (1950) A Cegonha Demora-se
  • (1951) Call Me Mister
  • (1951) Ao Cair do Pano
  • (1953) A Vida É uma Canção
  • (1953) Como Agarrar um Milionário
  • (1955) Aposenta-se um Marido
  • (1955) Como Usar as Curvas

Homenagens[editar | editar código-fonte]

Em 8 de fevereiro de 1960, foi homenageada com uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood.[6]

Referências

  1. Spero Pastos (09 de março de 1987). Picks and Pans Review: Pin-Up: the Tragedy of Betty Grable People. Visitado em 25 de julho de 2014.
  2. Betty Grable a eterna Pinup Bocaberta (26 de novembro de 2008). Visitado em 25 de julho de 2014.
  3. Claire Suddath (01 de setembro de 2010). Betty Grable's Legs TIME. Visitado em 25 de julho de 2014.
  4. Biografia: Betty Grable's Legs Cinema Clássico.
  5. Betty Grable (em inglês) no Find a Grave.
  6. Betty Grable: Walk of Fame Stars Calçada da Fama.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Betty Grable