Candidíase

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Candidíase
Candidíase oral
Classificação e recursos externos
CID-10 B37
CID-9 112
DiseasesDB 1929
MedlinePlus 001511
eMedicine med/264 emerg/76 ped/312 derm/67
MeSH D002177
Star of life caution.svg Aviso médico

A candidíase é uma infecção causada pelo fungo Candida albicans e que ataca qualquer parte da pele humana. Ela assume particular importância clínica em infecções da boca (candidíase oral), sendo chamada popularmente de sapinho (nesse caso não trata-se de DST), em torno dos olhos (candidíase ocular) e mucosa vaginal benignas (candidíase vaginal), e em infecções sistêmicas malignas em doentes com SIDA/AIDS.

Candida albicans[editar | editar código-fonte]

As cândidas são leveduras ovais com cerca de 5 micrômetros que se multiplicam sexuadamente e assexuadamente por gemulação. Por vezes existem simultaneamente formas de micélios típicos com hifas, ou pseudomicélios, que são formas coloniais sem hifas verdadeiras.

A Candida albicans é o patógeno da espécie mais frequente, causando mais de dois terços das infecções, mas outros como Candida tropicalis, Candida kefyr, Candida glabrata ou Candida parapsilosis também são responsáveis por casos de candidíase.

Cabe ressaltar que a C. albicans faz parte da microbiota normal da vagina. Sua proliferação é que está normalmente relacionado com a manifestação da candidíase vaginal.

A candidíase pode ser manifestada por imunidade baixa, isto é, baixa defesa do organismo; podendo estar relacionada ao estresse, e a doenças como diabetes e Lúpus eritematoso sistêmico.

Epidemiologia[editar | editar código-fonte]

Existente em todo o mundo. As leveduras se aproveitam de debilidade ou imunodeficiência para se multiplicar e disseminar além dos níveis normais.

Sintomas da candidíase[editar | editar código-fonte]

Os sintomas mais frequentes da candidíase oral são a dor e vermelhidão da boca e mucosa, podendo também haver manchas brancas ou placas na mucosa da língua e bochecha. Já a candidíase nos órgãos genitais são frequentes a comichão (coceiras), vermelhidão e irritação da região exterior da vagina, bem como uma secreção branca e espessa no caso das mulheres e o inchaço, vermelhidão do pênis e prepúcio no caso dos homens.

Diagnóstico e tratamento[editar | editar código-fonte]

Cultura de Candida albicans

A candidíase pode afetar vários tecidos humanos. Na boca é popularmente chamado de "sapinho", acometendo principalmente crianças. Pode ocorrer na pele, mucosas genitais (candidíase vulvovaginal), ou mais raramente tecidos internos, particularmente em imunodeprimidos (SIDA, quimioterapia).

A presença de hifas e leveduras observadas ao microscópio é diagnóstica, assim como a cultura com crescimento do fungo embora ambas não tenham sensibilidade muito elevada. A sorologia, com detecção de anticorpo específicos também é disponível, porém pouco útil na prática clínica pela baixa acurácia.

O tratamento das infecções sistêmicas pode ser realizado com medicações endovenosas ou orais com antifúngico como anfotericina B, caspofungina ou com derivados de azol, como fluconazol e itraconazol, enquanto o das infecções superficiais é feito pela aplicação de antimicóticos tópicos como nistatina, clotrimazol, miconazol,tinidazol+nitrato de miconazol,entre outros.

Existem ainda tratamentos naturais que utilizam o carvacrol em alta concentração, substância presente no orégano, em forma de óleo. Este tipo de tratamento funciona como um paliativo durante crises, mas apresenta resultados muito contundentes na manutenção da saúde de pessoas com predisposição à infecção vaginal.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Candidíase