Listeriose

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Listeriose
Listeria monocytogenes
Classificação e recursos externos
CID-10 A32
CID-9 027.0
DiseasesDB 7503
MedlinePlus 001380
eMedicine med/1312 ped/1319
Star of life caution.svg Aviso médico

Listeriose é uma infecção bacteriana provocada pela Listeria monocytogenes[1] , que é um bacilo móvel gram positivo. Outros listerias causam infecções apenas em animais.

Causa[editar | editar código-fonte]

Carnes e queijos contaminados foram responsáveis pelo surto de 2009 no Chile, que resultou em 16 mortes.

Listeria monocytogenes é comumente encontrado no solo e na água. Os animais domésticos e selvagens podem carregar a bactéria sem parecerem doentes. A bactéria pode ser encontrada em alimentos, tais como[2] :

  • Carnes mal cozidas (como carne mal passada, carnes finas e cachorros-quentes);
  • Leite não-pasteurizado, bem como seus derivados (especialmente queijos macios);
  • Frutos do mar defumados;
  • Frutos e vegetais irrigados com água contaminada ou fertilizado com fezes de animais infectados.

A bactéria morre se o alimento é bem cozido. Vegetais e frutas devem ser bem lavados. Pessoas saudáveis raramente ficam doentes. Pode crescer e espalhar dentro da geladeira a outros alimentos.[3]

O período de incubação varia de 3 a 70 dias. Pode ser encontrado em patês de origem animal, cachorro-quente, carnes finas, queijos frescos Feta, Brie, Camemberte e outros alimentos prontos para consumo. Pode ser evitado cozinhando bem os alimentos.[4]

Grupos vulneráveis[editar | editar código-fonte]

Afeta principalmente recém nascidos, grávidas, em idosos e pessoas com imunidade baixa. Pode passar de mãe para o feto através da placenta e causar aborto, nascimento prematuro ou resultar natimorto.[5]

Sinais e sintomas[editar | editar código-fonte]

Pode ser diagnosticado em cultura feita a partir de uma amostra de sangue ou de líquido cefalorraquídeo.

Em pessoas saudáveis que consomem alimentos contaminado causa apenas uma infecção alimentar leve poucos dias após o consumo do alimento infectado. Os sintomas gastrointestinais incluem[6] :

Por outro lado, se a infecção atinge o cérebro ou meninges causa[7] :

Durante a gravidez, além dos sintomas já listados também causa[6] :

  • Perda de apetite;
  • Irritabilidade;
  • Vômitos;
  • Fatiga.
Outras formas de infecção[8]

Epidemiologia[editar | editar código-fonte]

Ocorreram vários surtos nos EUA e Canadá entre 1998 e 2011. Nos EUA, cerca de 1600 casos são diagnosticados e resultaram e causam 260 mortes por ano. Quando uma mulher grávida é infectada a mortalidade do feto é de 20 a 30%.[9] Na Europa a incidência é de 2 a 5 casos para cada milhão de habitantes.[10]

Apesar de casos de meningites e abortos por listeriose já terem sido identificados no Brasil, a doença segue sub-diagnosticada e sub-notificada. Em estudo de Porto Alegre de 10 placentas de aborto e partos prematuros 50% foram por listeriose. Parece ser mais comum no Sul e Sudeste, por seus hábitos alimentares, ou pode ser apenas mais diagnosticado nessas regiões e não notificado nas outras.[11]

Tratamento[editar | editar código-fonte]

Star of life caution.svg
Advertência: A Wikipédia não é consultório médico nem farmácia.
Se necessita de ajuda, consulte um profissional de saúde.
As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento.

Caso o paciente seja vulnerável é tratado com antibióticos, como ampicilina ou trimetoprim com sulfametoxazol, sendo que as doses e combinações de medicamentos variam dependendo do local afetado. Pessoas saudáveis com problemas gástricos não precisam de tratamento antibiótico, os sintomas desaparecem em poucas semanas. [12] Em caso de endocardite, pode-se administrar-se uma penicilina associada com tobramicina. Conjuntivites podem ser tratadas com eritromicina.A penicilina geralmente cura a listeriose. Se a infecção tiver afectado as válvulas cardíacas, pode também administrar-se um segundo antibiótico, como a tobramicina. As infecções oculares também podem ser tratadas com eritromicina oral.[13]

Referências

  1. Ryan KJ; Ray CG (editors). Sherris Medical Microbiology. 4ª ed. ed. [S.l.]: McGraw Hill, 2004. ISBN 0-8385-8529-9
  2. http://www.cdc.gov/listeria/sources.html
  3. http://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/listeria-infection/basics/definition/con-20031039
  4. http://www.foodsafety.gov/poisoning/causes/bacteriaviruses/listeria/
  5. Hof H. Listeria Monocytogenes in: Baron's Medical Microbiology (Baron S et al, eds.). 4ª ed. ed. [S.l.]: Univ of Texas Medical Branch, 1996. (via NCBI Bookshelf) ISBN 0-9631172-1-1
  6. a b http://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/listeria-infection/basics/symptoms/con-20031039
  7. http://www.cdc.gov/listeria/definition.html
  8. http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/spanish/ency/article/001380.htm
  9. http://www.cdc.gov/listeria/statistics.html
  10. Smittskyddsinstitutet –Statistik för listeriainfektion
  11. CRUZ, C.D.; MARTINEZ, M.B.; DESTRO, M.T. Listeria monocytogenes: an infectious agent scarcely known in Brazil. Alim.Nutr., v. 19, n. 2, p. 195-206, abr./jun. 2008.
  12. http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/spanish/ency/article/001380.htm
  13. http://www.manualmerck.net/?id=203&cn=1625