Eritrasma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Eritrasma
Bactéria causadora da lesão.
Classificação e recursos externos
CID-10 L08.1
CID-9 039.0
DiseasesDB 29630
MedlinePlus 001470
MeSH D004894
Star of life caution.svg Aviso médico

Eritrasma é uma Infecção cutânea crônica causada pela bactéria Corynebacterium minutissimum, uma bactéria Gram-positiva, comum em países tropicais e sub-tropicais que atinge cerca de 4% da população do mundo a cada ano, especialmente obesos, diabéticos, idosos, e quem tem má higiene. [1] [2]

Causa[editar | editar código-fonte]

Corynebacterium minutissimum é um bacilo gram-positivo normal na flora da pele, que não-forma esporo, aeróbio, que possui catalase e fermenta açucares. É mais comum em obesos, pessoas que suam muito, com má higiene, em países tropicais úmidos, com imunidade baixa, idosos e com diabetes.[3] É importante ressaltar que má higiene não significa só lavar-se pouco, lavar-se muito e usar álcool ou sabão bactericida também lesiona a pele e favorece o aparecimento de infecções mais resistentes.

Da mesma forma que uma infecção por fungos, é mais comum aparecer nas partes do corpo onde duas peles tem contatos entre si, como debaixo dos seios, nas axilas, nos espaços entre os dedos e na zona genital. As infecções podem formar placas irregulares e avermelhada que depois de um tempo, podem formar finas escamas pardas. Em algumas pessoas a infecção vai do tronco até à região anal[4] .

Diagnóstico[editar | editar código-fonte]

Os resultados através dos exames podem ser alcançados rapidamente, uma vez que a bactéria C. minutissimum tem um brilho fluorescente característico de cor vermelho coral quando observadas sob a luz ultravioleta[1] .

Tratamento[editar | editar código-fonte]

Star of life caution.svg
Advertência: A Wikipédia não é consultório médico nem farmácia.
Se necessita de ajuda, consulte um profissional de saúde.
As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento.

O tratamento desta doença é realizado através de antibióticos macrolídeos, como a eritromicina ou tetraciclina, em gel ou pílula, juntamente com o uso de um sabão antibactericida ou com uma pomada de ácido benzoico e ácido salicílico. Há uma grande chance da infecção voltar em 6 meses a 1 ano, sendo necessário um novo tratamento[1] .[5]

Link externo[editar | editar código-fonte]

Imagens das lesões: [1]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre Medicina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.