Gangrena gasosa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde dezembro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Gangrena gasosa
Fotografia de um paciente com gangrena gasosa em sua perna direita, antes de ser amputada.
Classificação e recursos externos
CID-10 A37.0
CID-9 040.0
DiseasesDB 31141
eMedicine med/843 emerg/211 med/394
MeSH D005738
Star of life caution.svg Aviso médico

Gangrena gasosa é uma forma grave de gangrena (necrose tecidual) causada por uma infecção pela bactéria Clostridium perfringens, que produz gás entre os tecidos. Trata-se de uma emergência médica.

Nomes alternativos[editar | editar código-fonte]

  • Infecção clostrídica dos tecidos
  • Mionecrose clostrídica
  • Infecção de tecidos por Clostridium

Causa[editar | editar código-fonte]

A gangrena gasosa resulta de infecção por Clostridium perfringens, espécie bacteriana que em condições anaeróbicas (sem oxigênio), produz toxinas que causam necrose do tecido e sintomas associados. A gangrena gasosa geralmente ocorre nos locais traumatizados ou em ferida cirúrgica recente, iniciando-se repentinamente e tem caráter grave.

Quadro clínico[editar | editar código-fonte]

A inflamação começa apresentando um inchaço tecidual no local da infecção, extremamente doloroso, de cor pálida passando para um vermelho-acastanhado. Pressionando-se a área inchada, pode-se sentir uma sensação crepitante, revelando a presença do gás no tecido. As beiradas da área infectada expandem-se em poucos minutos, de forma tão rápida que as alterações são visíveis. O tecido afetado fica completamente destruído.

As espécies de Clostridium produzem diversos tipos de toxinas, quatro das quais (alfa, beta, ípsilon e jota) são fatais. Causam também necrose tecidual, destruição dos glóbulos vermelhos do sangue (hemólise), diminuição da circulação local (vasoconstrição) e infiltração nos vasos sangüíneos (aumento da permeabilidade vascular). Essas toxinas são responsáveis tanto pelo destruição dos tecidos locais, como pela sintomatologia sistêmica (sintomas gerais).

Os sintomas sistêmicos se manifestam desde o início da infecção e consistem em sudorese, febre e ansiedade. Se o paciente não receber tratamento, manifestam-se: choque, síndrome caracteriza por queda da pressão sangüínea (hipotensão), insuficiência renal, coma e por fim, óbito.

Tratamento[editar | editar código-fonte]

A gangrena gasosa pode ser tratada através de desbridamento cirúrgico, antibióticos ou através de medicina hiperbárica.