Carnaval de Olinda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde fevereiro de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Carnaval de Olinda
Bonecos de Olinda em meio aos foliões durante o Carnaval no Centro Histórico.
Local(is) Olinda, Pernambuco
 Brasil
Gênero(s) Frevo, Maracatu, Manguebeat, Ciranda, Coco, Caboclinhos

O Carnaval de Olinda, em Pernambuco, é reconhecido mundialmente pelos desfiles dos Bonecos de Olinda, bonecos de mais de dois metros, coloridos e de fácil localização, que saem às ruas junto com os foliões. É realizado no Centro Histórico de Olinda, ou Cidade Alta.

Reúne mais de um milhão de pessoas, durante o evento, com participação de mais de 500 grupos carnavalescos.[carece de fontes?]

A festa[editar | editar código-fonte]

Bloco de Maracatu Nação em Olinda.
Foliões nas ruas do Centro Histórico de Olinda.
Foliões nas ladeiras de Olinda.
Foliões no Carnaval de Olinda. Ao fundo o skyline da Zona Norte do Recife.

Inicialmente a abertura simbólica do carnaval de Olinda era feita pelo Cariri Olindense, quando o Velho do Cariri, símbolo do bloco, sai às 4h20 montado em um jumento e desce as ladeiras.[1] Foi assim até 1931, quando alguns de seus membros fundaram O Homem da Meia-Noite, que sai na meia noite do sábado de Zé Pereira e o domingo de rei Momo.[2] Então, a partir de 1932, O Homem da Meia-Noite abre o carnaval de Olinda. Anos depois os blocos se reconciliaram, e hoje o Homem entrega-lhe as chaves da cidade após o seu desfile.[1] [3]

Entre as suas atrações, ostenta dezenas de bonecos gigantes, sendo o mais conhecido deles é O Homem da Meia-Noite. Além dos tradicionais blocos e troças que percorrem suas ladeiras, embalados pelo ritmo do frevo. São exemplos destes a Pitombeira dos Quatro Cantos, fundada em 1947, quando um grupo de rapazes desfilou pelas ruas da Cidade Alta cantando e empunhando galhos de pitombeira; e o "Elefante de Olinda", fundado em 1952 por um grupo de rapazes da Cidade Alta, que durante o Carnaval saíram pelas ruas com um elefante de porcelana cantando uma música improvisada em homenagem ao animal. A grande concentração destes blocos e troças se dá na frente da Prefeitura Municipal, onde pode-se encontrar o maior número de foliões por metro quadrado.

Blocos[editar | editar código-fonte]

Dezenas de blocos desfilam pelas ruas de Olinda, tocando troças e portando estandartes e alguns são associados a algum boneco. Dentre estes, podemos citar:

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Homem da Meia-Noite entrega chave de Olinda à troça Cariri Olindense G1 PE (19-02-2012). Visitado em 26-02-2013.
  2. Gaspar, Lúcia (26-02-2007). O Homem da Meia-Noite Fundação Joaquim Nabuco. Visitado em 25-02-2013.
  3. Saraiva, Roberto (10-02-2013). Homem da Meia-Noite emociona Olinda Uol Carnaval 2013. Visitado em 25-02-2013.
  4. James Cimino (10-02-2013). Bloco Enquanto Isso na Sala de Justiça tem show de rapel com Homem-Aranha Uol carnaval 2013. Visitado em 22-02-2013.
  5. Bloco Mangue Beat suja todo mundo de 'lama' de argila, em Olinda G1 (09-02-2013). Visitado em 22-02-2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Carnaval de Olinda