Caboclinhos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Caboclinhos é uma dança folclórica executada durante o Natal , em Pernambuco, por grupos fantasiados de índios que, com vistosos cocares, adornos de pena na cinta e nos tornozelos, colares, representam cenas de caça e combate.

Os instrumentos musicais são a violão apito , duas maracas de zinco ou flandre e um surdo (bombo)de zinco coberto com couro de bode em ambos os lados.

As preacas são instrumentos de marcação em forma de arco e flecha, produzindo um som seco, em harmonia com o surdo; também o apito para os caboclos de frente, que puxam o cordão, tanto dos homens como das mulheres.

Os ritmos são guerra e baião, sendo o primeiro mais lento.

A dança é forte e rápida, exigindo destreza e desenvoltura dos participantes. Há passos em que se dança agachado, baixando-se e levantando-se rapidamente e ao mesmo tempo rodopiando, apoiando-se nas pontas dos pés e calcanhares, exigindo muita resistência física.

Os personagens do caboclinhos são:

  • Cacique e "cacica" (ou mãe da tribo), ambos usando tanga e saiote de plumas ou penas;
  • Porta-estandarte;
  • Conjunto de três tocadores (gaita, maracas e surdo);
  • Cordões (filas indianas) de caboclos e caboclas;
  • Grupo de crianças ou "curumins" (do tupi kuru´mi, menino).

História[editar | editar código-fonte]

Os caboclinhos historicamente têm relação com o culto da Jurema (árvore que produz o chá sagrado para os caboclos).

A Jurema é uma árvore nativa do Brasil, de caule tortuoso, cujas folhas, raízes e casca servem para uso medicinal e para o preparo de uma bebida que, nos cultos indígenas e caboclos, integra o ritual da Jurema Sagrada.

Os componentes de um grupo de caboclinhos que vivencia a religiosidade não desfilam no carnaval sem antes tomar a bebida de Jurema.

Inicialmente os integrantes de caboclinhos eram apenas homens, que durante o carnaval passavam de três a quatro dias fora de casa.

As fantasias eram confeccionadas com fibras de agave (sisal), penas de peru e de pato. Depois começaram a usar penas de pavão, de ema e plumas, exibindo um visual mais rico.

Alguns materiais tradicionais ainda são utilizados atualmente nas fantasias e nos instrumentos, principalmente o cipó, a madeira de jenipapo e o bambu.

A fantasia básica das mulheres é composta de vistosas tangas e sutiãs bordados, cocares ou leques, munhecas para os pulsos e atacas para os tornozelos.

Para os homens é a tanga, o peitoral, munhecas e atacas, cocar ou leque. Também usam como adorno machadinhas de madeira e pequenas cabaças amarradas no cipó aos braços ou na cintura.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Dança é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.