Colangite ascendente

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Colangite ascendente
Classificação e recursos externos
CID-10 K83.9
CID-9 576.1
Star of life caution.svg Aviso médico

Colangite ascendente é uma colangite causada por uma infecção bacteriana. O termo colangite, por si só, refere-se a uma infecção do trato biliar[1] .

Sintomas[editar | editar código-fonte]

Os sintomas clínicos da colangite ascendente são dor, icterícia e febre (tríade de Charcot). Além disso, a presença de hipotensão e confusão mental (pêntade de Reynold) é sugestiva de septicemia grave. A apresentação clínica típica é presente somente em 50% dos casos.

Tríade de Charcot[editar | editar código-fonte]

A Colangite Aguda é uma doença grave que cursa com três sinais conhecidos como tríade de Charcot.

Pêntade de Reynolds[editar | editar código-fonte]

A colangite torna-se mais grave quando aparece a pêntade de Reynolds, que é a tríade de Charcot mais:

A pêntade de Reynolds sugere grande gravidade e necessidade de descompressão do colédoco com urgência. Esta descompressão pode ser feita por cirurgia ou por endoscopia. O uso de antibióticos de largo espectro deve ser iniciado precocemente. A colangite se desenvolve por infecção ascendente, isto é, as bactérias vão do intestino para as vias biliares. op

Icterícia[editar | editar código-fonte]

Manifestação provocada pela estase das vias biliares devido a obstrução do fluxo por impactação de cálculo ou outra causa. Dessa forma, ocorre um fluxo retrógado de bile das vias biliares em direção ao sangue, causando o acúmulo de bilirrubina no sangue e deixando o paciente com um aspecto amarelado, ictérico.

Dor Abdominal[editar | editar código-fonte]

Com a obstrução do fluxo biliar, ocorre um aumento da pressão e, consequentemente, dilatação das vias biliares e da vesícula. Por esse motivo o paciente irá referir dor abdominal no hipocôndrio direito. Essa manifestação pode estar relacionada com a ingestão de alimentos, principalmente os gordurosos, uma vez que a função da bile é emulsificar as gorduras, formando micelas que facilitam a digestão. Após as refeições, a vesícula e as vias biliares comprimem-se a fim de liberar a bile armazenada, intensificando a dor.

Febre[editar | editar código-fonte]

Com a colestase provocada pela obstrução, o fluxo das vias biliares diminui e fica mais propício à proliferação de microorganismos. As bactérias que se reproduzirem nesse local podem vir a produzir mediadores inflamatórios que desencadeiam a febre.

Causa[editar | editar código-fonte]

Resulta da estase biliar devido à obstrução crônica, geralmente por coledocolitíase. Isto facilita uma infecção bacteriana.

Os organismos infectantes são geralmente bacilos gram-negativos (eg, E. coli, Klebsiella, Pseudomonas e Enterococcus).

Diagnóstico[editar | editar código-fonte]

Amostra de sangue[editar | editar código-fonte]

Anaeróbios podem ser cultivados em 15% dos casos. Os exames laboratoriais demonstram colestase, níveis variáveis de transaminases, leucocitose e culturas sanguíneas positivas.

Ultrasom[editar | editar código-fonte]

Os achados no exame por ultrassom são os mesmos para a coledocolitíase.

Tratamento[editar | editar código-fonte]

Prognóstico[editar | editar código-fonte]

A colangite ascendente pode ser fatal se não for tratada.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. gpnotebook