Eleazar de Carvalho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Estátua de Eleazar de Carvalho em Gramado, Rio Grande do Sul

Eleazar de Carvalho (Iguatu- Ceará, 28 de junho de 1912São Paulo, 12 de setembro de 1996) foi um importante regente brasileiro. Seus pais eram Manuel Afonso de Carvalho e Dalila Mendonça.

Transferiu-se ainda jovem para o Rio de Janeiro, tocando tuba na Banda do Batalhão Naval. Teve sua primeira ópera, O Descobrimento do Brasil, estreada no Teatro Municipal do Rio de Janeiro em 1939, recebendo, no ano seguinte, o diploma de maestro. Foi para os EUA em 1946. Em 1963 tornou-se doutor em música pela Washington State University, nos Estados Unidos. Fez doutorado em Letras e Humanidades, pelo Hofstra College, em Hampstead.

Nos Estados Unidos, estudou regência com Sergey Koussevitzky, no Berkshire Music Center, em Massachusetts. Em 1947 dividiu com Leonard Bernstein a função de assistente do maestro Koussevitzky, a quem sucedeu após a morte, ficando no Berkshire até 1965. Foi diretor Musical da Saint Louis Symphony Orchestra . Estreou em 1950, na Europa, no Palais Beaux-Arts em Bruxelas.

Atuou longamente como Regente Titular na Orquestra Sinfônica Brasileira, no Rio de Janeiro. Foi Diretor Artístico e, Regente Principal da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre. Foi Diretor Artístico e Regente da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo . Fundador da cadeira número 32 da Academia Brasileira de Música. Foi Diretor Musical da Saint Louis Symphony Orchestra.

Teve relevante atuação pedagógica tanto nos Estados Unidos quanto no Brasil, onde seu nome é indissociável do Festival de Inverno de Campos do Jordão.

Em seu tempo de vida, Eleazar de Carvalho era conhecido por seu temperamento forte e pelo vigor de seu fazer musical, respeitado tanto no repertório tradicional quanto em dois campos que ele sempre se empenhou divulgar: a música contemporânea e a brasileira.

Eleazar foi casado com Jocy de Oliveira, também musicista, e era pai do economista Eleazar de Carvalho Filho. Seu segundo casamento foi com Sonia Muniz. O casal teve um filho, Sergei Eleazar de Carvalho, que recebeu este nome em homenagem ao maestro Koussevitzky.

Eleazar de Carvalho assumiu a coordenação musical do festival de inverno de Campos do Jordão em 1973 e continuou com ele até a sua morte, o festival acontece até hoje todo mês de julho e o maestro sempre é lembrado.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Tulio Belardi e Arlindo Teixeira
Diretor Artístico, Regente Principal, Orquestra Sinfônica de Porto Alegre
1991–1992
Sucedido por
David Machado
Precedido por
David Machado
Diretor Artístico, Regente Principal, Orquestra Sinfônica de Porto Alegre
1981–1987
Sucedido por
Flávio Chamis
Precedido por
Alceo Bocchino
Diretor Artístico, Regente Titular, Orquestra Sinfônica Brasileira
1966–1969
Sucedido por
Isaac Karabtchevsky
Precedido por
Edouard van Remoortel
Diretor Musical, Saint Louis Symphony Orchestra
1963–1968
Sucedido por
Walter Susskind
Precedido por
?
Diretor Artístico, Regente Titular, Orquestra Sinfônica Brasileira
1960–1962
Sucedido por
Alceo Bocchino
Precedido por
Lamberto Baldi
Diretor Artístico, Regente Titular, Orquestra Sinfônica Brasileira
1952–1957
Sucedido por
?


Portal A Wikipédia possui o
Portal da Música Erudita
Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.