Jean-Pierre Vernant

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jean-Pierre Vernant
História, antropologia
Nacionalidade França Francês
Nascimento 4 de janeiro de 1914
Local Provins
Morte 9 de janeiro de 2007 (93 anos)
Local Sèvres
Atividade
Campo(s) História, antropologia
Prêmio(s) Medalha de Ouro CNRS (1984)

Jean-Pierre Vernant (Provins, 4 de janeiro de 1914Sèvres, 9 de janeiro de 2007) foi um historiador e antropólogo francês, especialista na Grécia Antiga, particularmente na mitologia grega. Foi professor honorário do Collège de France.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Inicialmente prosseguiu os estudos em filosofia, e recebeu a sua admissão neste campo em 1937.

Como membro dos "jovens comunistas", juntou-se à Resistência Francesa durante a Segunda Guerra Mundial. Foi também membro da "Libération-Sud" fundada por Emmanuel d'Astier. Depois disso comandou as "Forças Francesas do Interior" (FFI) na Haute-Garonne sob o pseudónimo de "Colonel Berthier". Ele foi um "Companheiro da Libertação".

Depois da guerra permaneceu no Partido Comunista Francês. Foi membro do comité francês de patrocínio àe Década para a Promoção da Cultura de Paz e Não-Violência para as Crianças do Mundo. Ele financiou a organização Non-Violence XXI desde a sua criação em 2001.

Entrou no Centre national de la recherche scientifique (CNRS, "centro nacional de pesquisa científica") em 1948 e, sob a influência de Louis Gernet regressou aos estudos da antropologia da Grécia Antiga. Dez anos depois tornou-se director de estudos na École des hautes études en sciences sociales (EHESS, "escola para estudos avançados em ciências sociais"). Ele escreveu frequentemente em ambos sobre as semelhanças e as diferenças entre a Grécia Antiga e a moderna Sociedade Ocidental, com notável consideração pela prática da democracia.

Em 1971 foi professor no departamento de filosofia da Universidade de São Paulo, juntamente com François Châtelet[1] . Em razão da ditadura militar no Brasil, vários professores foram exilados, o que acabou gerando um risco de extinção do departamento de filosofia. Vernant se prontificou a ser professor do departamento, a fim de ajudar os colegas brasileiros e atrair maior atenção internacional à situação de exceção no país.

Foi galardoado com a Medalha de Ouro CNRS de 1984. Em 2002 recebeu um doutoramento "honoris causa" pela Universidade de Creta.

A sua interpretação do mito de Prometeu teve uma importante influência no filósofo Bernard Stiegler.

Condecorações[editar | editar código-fonte]

Condecorações e prémios[editar | editar código-fonte]

Doutoramentos "honoris causa"[editar | editar código-fonte]

Outras condecorações[editar | editar código-fonte]

Publicações selecionadas[editar | editar código-fonte]

  • Les origines de la pensée grecque (Paris), 1962 (= As origens do pensamento grego. São Paulo: DIFEL, 1986)
  • Mythe et pensée chez les Grecs: Etudes de psychologie historique (Paris), 1965 (= Myth and Thought among the Greeks, 1983)
  • With Pierre Vidal-Naquet: Mythe et tragédie en Grèce ancienne, 2 vols. (Paris), 1972, 1986 (= Tragedy and Myth in Ancient Greece, 1981; Myth and Tragedy in Ancient Greece, 1988)
  • Mythe et société en Grèce ancienne (Paris), 1974 (= Myth and Society in Ancient Greece, 1978)
  • Divination et rationalité, 1974
  • com Marcel Détienne: Les ruses de l'intelligence: La mètis des Grecs (Paris), 1974 (= Cunning Intelligence in Greek Culture and Society, 1977)
  • Religion grecque, religions antiques (Paris), 1976
  • Religion, histoires, raisons (Paris), 1979
  • com Marcel Détienne: La cuisine de sacrifice en pays grec (Paris), 1979 (= Cuisine of Sacrifice among the Greeks, 1989)
  • com Pierre Vidal-Naquet: Travail et esclavage en Grèce ancienne (Brussels), 1988
  • L'individu, la mort, l'amour: soi-même et l'autre en Grèce ancienne (Paris), 1989
  • Mythe et religion en Grèce ancienne (Paris), 1990
  • Figures, idoles, masques (Paris), 1990
  • com Pierre Vidal-Naquet: La Grèce ancienne, 3 vols. (Paris), 1990-92
  • Mortals and Immortals: Collected Essays (Princeton), 1991
  • com Pierre Vidal-Naquet: Œdipe et ses mythes (Brussels), 1994
  • Entre mythe et politique (Paris), 1996
  • com Jean Bottéro et Clarisse Herrenschmidt: L'orient ancien et nous (Paris), 1996 (= Ancestor of the West: Writing, Reasoning, and Religion in Mesopotamia, Elam, and Greece, 2000)
  • com Françoise Frontisi-Ducroux: Dans l'œil du miroir (Paris), 1997
  • L'univers, les dieux, les hommes: récits grecs des origines Paris, Le Seuil, 1999
  • La traversée des frontières (Paris), 2004

Referências

  1. http://www.fflch.usp.br/df/site/index.php?pg=hom_jpv.html Página oficial do Departamento de Filosofia da USP (em português)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Evry Schatzman
Medalha de Ouro CNRS
1984
com Jean Brossel
Sucedido por
Piotr Slonimski