John Tyndall

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
John Tyndall
Física, Química, Biologia
Nacionalidade Reino Unido britânico
Nascimento 2 de agosto de 1820
Local Leighlinbridge, Condado de Carlow
Morte 4 de dezembro de 1893 (73 anos)
Local Haslemere, Surrey
Atividade
Campo(s) Física, Química, Biologia
Alma mater Universidade de Marburg
Conhecido(a) por Efeito Tyndall,Diamagnetismo, Radiação Infravermelha
Prêmio(s) Medalha Real (1853), Medalha Rumford (1864)

John Tyndall (Leighlinbridge, Condado de Carlow, 2 de agosto de 1820 — Haslemere, 4 de dezembro de 1893) foi um físico britânico.

Descobriu o fenômeno do regelo em 1871, que explica a marcha dos glaciares, bem como a difusão da luz pela suspensões coloidais.

Das investigações realizadas por este cientista no campo da microbiologia (esporos termoresistentes), juntamente com Ferdinand Cohn, nasceu um processo de esterilização que mais tarde se designou por tindalização.

Contexto Histórico[editar | editar código-fonte]

Durante o século XIX, o Império Britânico chegava ao seu auge. Sua área de influência chegava a quase 25% da superfície terrestre, fato esse que foi drasticamente alterado durante o período das Grandes Guerras, no século XX.

É importante destacar também que foi nesse período que se iniciara a Revolução Industrial, período esse que demarca a transição da manufatura para um modelo industrializado e, portanto, novos métodos de produção (que por sua vez incentivavam a pesquisa e o desenvolvimento das ciências exatas), aliada por uma busca de melhores condições de trabalho. Nesse contexto, foram desenvolvidas várias áreas do conhecimento, tais quais a química, a física, a metalurgia, a biologia e a elétrica, que formaram a base sobre a qual foi possível desenvolver a tecnologia.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Ainda na escola, no Condado de Carlow, região onde nascera, obtivera sólida formação acadêmica em áreas como matemática e desenho técnico, com aplicações em agrimensura, e atuara como professor assistente. Foi essa mesma formação que lhe rendera a contratação pelo governo irlandês, em 1839, para trabalhar na agência de mapeamento e levantamento de terra. Já em 1847, optou por se tornar professor de matemática e de agrimensura  em um internato em Hampshire, onde conheceu o professor Edward Frankland.

Frankland e Tyndall se tornaram próximos e, devido à força do conhecimento prévio de Frankland, decidiram ir à Alemanha para aprofundar seus conhecimentos em ciência. A escolha do país germânico deve-se ao fato de este ter universidades que estavam à frente das universidades britânicas no quesito física e química experimentais. Em 1848, na University of Marburg, Tyndall fora aluno de Robert Bunsen, que era um professor muito influente. Mas talvez mais influente fora o professor Hermann Knoblauch, com quem manteve contato por muitos anos, e com quem trabalhou nas suas pesquisas sobre o magnetismo.

Os primeiros trabalhos de Tyndall na física experimental versavam sobre o magnetismo e a polaridade diamagnética, ramos aos quais se dedicou de 1850 até 1856. Suas pesquisas na área juntamente com o professor Hermann Knoblauch lhe renderam amplo reconhecimento na comunidade científica.

Nota: O diamagnetismo está relacionado com o emparelhamento de elétrons nos orbitais, o que faz com que a matéria não seja atraída (ou tenha uma atração muito fraca) pelo campo magnético, em oposição ao paramagnetismo, onde, por haver elétrons desemparelhados, há atração pelo campo magnético.

Mas foi pelas suas pesquisas relativas à radiação infravermelha que ficou mais conhecido.  Explicou o calor na atmosfera terrestre em função da capacidade de absorção da radiação infravermelha (que só passou a ser assim denominada no final da década de 1880) pelos diversos gases presentes no ar. Continuando seus estudos nesse seguimento, após medir acertadamente o poder de absorção relativa do infravermelho de diversas substâncias, chegou à conclusão de que o vapor d’água (devido à sua maior capacidade de absorção da radiação infravermelha) é o principal gás que controla a temperatura do ar.

Em suas investigações sobre a “radiação quente” (como era conhecida a radiação infravermelha), foi necessário trabalhar com ar sem traços de poeira suspensa. Uma forma de detectar tais partículas em suspensão é através da utilização de luz intensa. O espalhamento da luz provocado pelas partículas de impureza ficou conhecido como Efeito Tyndall.

Alpinismo e Movimento das Geleiras[editar | editar código-fonte]

Em 1856, Tyndall visitou as montanhas dos Alpes, inicialmente para fins de estudo, mas acabou por se tornar sua primeira expedição de escalada.

Nos Alpes, estudou o movimento das geleiras, e sua explicação sobre tal fez com que entrasse em conflito com outros pesquisadores, em especial com James David Forbes. Este havia feito diversos trabalhos na área, mas desconhecia o Efeito Regelo, que viria a ser descoberto por Michael Faraday, e se tornara a principal base de argumentação de Tyndall.

Mesmo após sua morte, as discussões foram mantidas, mas agora pelos seus biógrafos oficiais.

Ciência e Religião[editar | editar código-fonte]

Grande parte dos físicos britânicos contemporâneos de John Tyndall, como James Joule, James Clerk Maxwell e William Thomson, eram considerados conservadores quando o assunto em questão era a religião e sua relação com a ciência. Ao contrário deles, que pensavam que religião e ciência estavam unidas, Tyndall era integrante de um grupo conhecido por X-Club, cujos membros acreditavam na total separação entre elas.

Precedido por
James Prescott Joule e Thomas Henry Huxley
Medalha Real
1853
com Charles Darwin
Sucedido por
August Wilhelm von Hofmann e Joseph Dalton Hooker
Precedido por
Gustav Kirchhoff
Medalha Rumford
1864
Sucedido por
Hippolyte Fizeau


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons

Referências


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) físico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.