Ostracoda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaOstracodos
Ostracvalve.png

Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Subfilo: Crustacea
Classe: Ostracoda
Ordens
Entomostraca

Archaeocopida (extinta)
Leperditicopida (extinta)
Palaeocopida (extinta)
Podocopida
Platycopida
Myodocopida

Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Ostracoda

Os Ostracodes são artrópodes crustáceos diminutos, cujo comprimento varia de 0,5mm a 4mm, podendo entretanto alguns espécimes alcançar 20mm, ou mais. Possuem carapaças bivalvas, quitinosas impregnadas por carbonato ou fosfato de cálcio. São essencialmente aquáticos, vivendo em águas doces, salobras e marinhas e até supersalinas ou em outros tipos de ambientes, incluindo solos de floresta{humus}e mesmo em axilas de bromeliáceas e interstícios de sedimentos, abaixo do solo. As cerca de mais de 65.000 espécies do grupo estão presentes nos mares atuais assim como em lagos, lagunas e outros tipos de águas da mais variada gama de salinidade. Entre os crustáceos, os ostracodos são aqueles mais extensamente distribuidos no planeta.

História geológica[editar | editar código-fonte]

Os ostracodos surgiram no Câmbriano inferior com a ordem Archaeocopida, caracterizada por carapaças pouco calcificadas e de morfologia simples, que vivia em mares pouco profundos e bem iluminados. O Câmbriano superior é marcado pela regressão dos arqueocopídeos e pela ocupação dos seus nichos ecológicos pela ordem Leperditicopida. Os leperditicopídeos tinham em comparação, carapaças mais complexas e diversificadas que lhes conferem interesse estratigráfico como fósseis indicadores de idade. No Ordoviciano, extinguem-se os arqueocopídeos e surgem as ordens Paleocopida, Podocopida e Myodocopida. Durante o Devoniano, os paleocopídeos atingem o pico da diversidade e são importantes fósseis indicadores de idade. Os primeiros ostracodos de água doce surgem também nesta altura, permitindo que o grupo se torne útil na biostratigrafia de regiões continentais. Os leperditicopídeos extinguem-se no final do Devóniano e os Paleocopídeos desaparecem na extinção permo-triássica. No Jurássico e Cretáceo os ostracodos adquirem importância como indicadores ecológicos, em particular nas margens do Mar de Tétis e do Oceano Atlântico que começa a desenvolver-se. Todos os grupos de ostracodos sofrem uma redução acentuada na extinção K-T, mas no Cenozóico assiste-se a nova radiação adaptativa. A fauna actual é composta principalmente pela sub-ordem Podocopina e pela Ordem Myodocopida.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]