Teatro Rivoli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Porto Teatro Rivoli 4.JPG

O Teatro Municipal Rivoli, pertença da Câmara Municipal do Porto, é um dos dois polos do chamado Teatro Municipal do Porto, sendo o outro polo o Teatro Municipal Campo Alegre. Fica situado na Praça D. João I e apresenta programação própria e regular, sob direção de Tiago Guedes e sob a alçada do Pelouro da Cultura da autarquia.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1913 foi inaugurado, o então chamado Teatro Nacional.

Nos anos seguintes, mudanças no centro urbano obrigaram a repensar e modernizar o imóvel, e assim, em 1923, aparecia o Teatro Rivoli, remodelado, adaptado ao cinema e com programação de ópera, dança, teatro e concertos. O projecto arquitectónico é da responsabilidade do Arquitecto e Engenheiro Júlio Brito.

Na década de 1970, a imagem do Teatro sofreu um revés, provocado por uma má situação financeira. O Rivoli começou a degradar-se, com equipamento obsoleto, sem programação regular ou público próprio. Nessa altura, a Câmara Municipal do Porto decidiu comprar a estrutura, de forma a devolvê-la à cidade e aos seus habitantes.

Em 1992 Teatro fechou para uma total remodelação com projecto do arquitecto Pedro Ramalho. A área existente de 6.000 m² foi ampliada para mais de 11.000m², criando-se um Auditório Secundário, um Café-concerto, uma Sala de Ensaios e um Foyer de Artistas, assim como espaços para os Serviços Administrativos e os Serviços Técnicos.

Em Outubro de 1997 o Rivoli Teatro Municipal reabriu as suas portas.

De 2007 a 2011 o teatro foi gerido por Filipe La Féria.

Em 2014, a Cultura da Câmara Municipal do Porto ( Presidente: Rui Moreira; Vereador da Cultura: Paulo Cunha e Silva) assumiu definitivamente os destinos do Teatro Municipal (Rivoli e Campo Alegre). De setembro a dezembro foi apresentado no Rivoli o programa O Rivoli Já Dança!, exemplo da programação que o Teatro Municipal propõe agora.