Telebahia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Telecomunicações da Bahia S.A.
Slogan Uma forte ligação com você (Anos 80)

Fale bem desta terra (Anos 90)

Tipo Sociedade de economia mista
Indústria Telecomunicações
Fundação 20 de Julho de 1973 (em Salvador)
Encerramento 2000
Sede Bahia,  Brasil
Áreas servidas Bahia
Proprietário(s) Sistema Telebrás
Subsidiárias Telebahia Celular
Sucessora(s) Telemar/Oi

A Telebahia (Telecomunicações da Bahia S/A) foi uma empresa estatal do estado da Bahia, pertencente ao sistema Telebrás, que na sua divisão, foi vendida para a Tele Norte Leste, futura Telemar.

História[editar | editar código-fonte]

Fundada no ano de 1973, juntamente com o sistema de telecomunicações brasileiro, o Telebrás, a Telebahia foi pioneira em diversos serviços telefônicos na Bahia, trazendo inclusive os orelhões (que viriam a ser utilizados no país inteiro por sua sucessora, Telemar) e o uso de fichas telefônicas nos mesmos.[1]

A Telebahia na cultura do baiano[editar | editar código-fonte]

Devido à grandeza da empresa estatal, diversos bancos e empresas na época utilizavam-se de seus serviços, permitindo assim, acordos não existentes em outros estados, que faziam com que fichas telefônicas pudessem ser encontradas facilmente em farmácias, bancos, supermercados e lojas de conveniência do estado.

Tinha diversas lojas de atendimento espalhadas por todo o estado, que viraram sinônimo de presença da empresa no estado, facilitando a vida dos seus clientes, que nesta, podiam retirar 2ª via de contas, comprar ou alugar linhas telefônicas, fichas/cartões telefônicos (as), e outros serviços.[2]

Também inovou instalando orelhões em formatos de berimbaus e de cocos em diversos pontos turísticos da cidade de Salvador, e com seus comerciais inovadores, conhecidos por todo o estado, que já chegaram a ganhar prêmios fora do país.[3]

Aluguéis de Linhas Telefônicas[editar | editar código-fonte]

A Telebahia, assim como todas as outras empresas telefônicas estatais da época, atendia quase que exclusivamente ao público ‘Classe A e B’, pois os preços das linhas telefônicas na época, não eram acessíveis a todas as classes sociais. Porém, isto não fazia com que as outras classes não pudessem ter um telefone fixo instalado em suas residências, porque com o ‘Plano de Expansão’ iniciado pela Telebahia na época, as pessoas podiam ‘alugar’ as linhas telefônicas. Era gerado um contrato de comodato entre a Telebahia/Telebrás e o usuário da linha telefônica, e este, pagava além da tarifa do plano telefônico escolhido, o aluguel para que aquela linha continuasse sendo mantida naquele local. Caso o cliente, titular do contrato, quisesse a linha telefônica em seu nome, e pudesse ter o direito de movê-la para qualquer bairro da cidade sem necessidade de reinstalação e de mudança de número, era necessária a compra da linha telefônica, que na época chegava a custar 20 mil reais[4] . A transferência de titularidade e instalação completa da linha telefônica chegava a durar até 6 anos.

Estrutura da empresa[editar | editar código-fonte]

Rede de Postos de Atendimento[editar | editar código-fonte]

Por seus clientes, em sua maioria, serem de classes ‘A’ e ‘B’ o atendimento ao cliente da Telebahia era diferenciado. Além do que já foi dito, as parcerias com os bancos, prefeitura e outros estabelecimentos, permitiam a criação de uma rede de postos de atendimento, onde, por meio das lojas instaladas em pontos estratégicos, o cliente podia efetuar compras de fichas/cartões telefônicos (as), resolver qualquer problema relacionado à linha telefônica e/ou outros serviços prestados pela companhia.[2]

Serviços de telefonia oferecidos[editar | editar código-fonte]

Com a manutenção constante da sua rede, e a instalação de Fibra óptica, a Telebahia chegou a diversos locais de difícil acesso, e pôde atuar com qualidade em todos os pontos, iniciando a comercialização de serviços telefônicos diferenciados.[5]

Serviços Avançados[editar | editar código-fonte]

  • Tráfego DDD/DDI/Local
  • Débito Automático em Conta Corrente/Conta Agrupada
  • CPA
  • BINA
  • Plataformas de voz e texto (ATA, Fax Virtual, Virtual Plus, Aviso de Mensagem)

Serviços Básicos[editar | editar código-fonte]

  • Tráfego DDD/Local
  • Plataformas de voz e texto (ATA, Fax Virtual, Virtual Plus)
  • Telemax

Serviços de internet e dados oferecidos[editar | editar código-fonte]

A Fibra óptica instalada na nova rede, também permitiu a comercialização de serviços destinados a internet, e comunicação de dados.

Serviços de Dados[editar | editar código-fonte]

Serviço Videotexto[editar | editar código-fonte]

Funcionava como um navegador da web, mas, em formato de fax, que exibia em sua tela, informações atualizadas dos canais escolhidos pelo cliente, e autorizados pela empresa telefônica. A Telebahia, na época de veiculação do serviço, disponibilizava os canais 1481 e 1483, que eram respectivamente canais de Bancos, lista telefônica, andamentos de processos jurídicos e outros (1481), e Videopapo, Videomensagem e outras opções de lazer (1483).

Datafone 64[editar | editar código-fonte]

Foi um serviço que disponibilizava uma conexão direta com outros usuários do serviço a uma velocidade de 64 Kbps, e permitia comunicação instantânea utilizando-se tanto de mensagens, quanto de voz e vídeo, concedendo na época, condições suficientes para realizar vídeos-chamada. A Telebahia forneceu este serviço ao Hospital SARAH, que pôde monitorar imagens no acompanhamento de cirurgias entre os hospitais de Brasília e Salvador.

Serviços de Internet[editar | editar código-fonte]

Bahiamail[editar | editar código-fonte]

Os clientes da Telebahia tiveram em ‘primeira mão’ um serviço de email estruturado e coordenado por ela. Tratava-se do serviço Bahiamail. Uma plataforma específica para intercâmbio de mensagens que, utilizando-se da rede de pacotes, possibilitava transações comerciais como cobranças bancárias, requisição de compras, entre outras.

Supernet[editar | editar código-fonte]

Uma espécie de serviço banda larga utilizando-se da estrutura de Fibra óptica já disponível.

Provedor e Hospedagem[editar | editar código-fonte]

Desde 1998, a Telebahia comercializava planos que permitiam a seus clientes, acesso a internet com velocidade máxima de 2 Mbps, e hospedagem virtual para sites de pequenas, médias e grandes empresas.

Telebahia Celular[editar | editar código-fonte]

No dia 12 de Dezembro de 1997, a Telebahia lançou o serviço de telefonia móvel digital, mobilizando o mercado nacional.[6] E assim nasceu a Telebahia Celular, que como a sua ‘mãe’ inovou no mercado telefonia móvel, trazendo as melhores novidades do mercado internacional, sempre mantendo os melhores preços e o melhor relacionamento com o cliente. Criada também para atender os públicos ‘A’ e ‘B’, inicialmente só trabalhava com planos pós-pagos. Vendo a necessidade de comunicação das outras classes, a Telebahia inova mais uma vez, e cria o plano ‘Fácil’, que era um início do que conhecemos hoje como plano pré-pago. A Telebahia também foi pioneira na tecnologia CDMA, que foi utilizada pela VIVO até o ano de 2007.

Privatização e compra pela Tele Norte Leste S/A[editar | editar código-fonte]

O Sistema Telebrás foi privatizado no dia 29 de julho de 1998 em função de uma mudança constitucional no ano 1995, e com a promulgação da Lei Geral de Telecomunicações, que visava a ampliação e a universalização dos serviços de comunicação e o enxugamento da máquina estatal brasileira. Desta forma, a Telebahia e sua unidade de telefonia móvel digital, Telebahia Celular, foram privatizadas. A Telebahia foi vendida para a Tele Norte Leste S/A, formando a Telemar, e a Telebahia Celular foi vendida para uma holding da Telefônica com a Portugal Telecom, formando a VIVO. Atualmente, a Tele Norte Leste S/A tem seus produtos comercializados com a marca Oi, e a VIVO é a maior operadora de telefonia móvel do país.

Notas e referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Telebahia

Ligações externas[editar | editar código-fonte]