Zohar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Uma das primeira edições impressas do Zohar.

O Zohar (em hebraico זהר, "esplendor") é considerado como um dos trabalhos mais importantes da Cabalá, no misticismo judaico. E faz parte dos livros que seriam canônicos para os judeus.

Trata-se de comentários místicos sobre a Torá (os cinco livros de Moisés) escritos em aramaico e hebraico medieval. O Zohar contém uma discussão mística sobre a natureza de Deus e considerações sobre a origem e estrutura do universo, a natureza das almas, pecado, redenção, o bem e o mal, e diversos temas relacionados.

O Zohar não é um livro, mas um grupo de livros. Estes livros incluem interpretações bíblicas assim como matérias sobre teologia, teosofia, cosmogonia mística, psicologia mística, e também o que alguns poderiam chamar de antropologia.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Origem[editar | editar código-fonte]

O Zohar teria aparecido primeiro na Espanha, no século XIII, e foi publicado por um escritor judeu, o rabino Moisés de León (Moshe ben Shem-Tov).[1] De León atribuía o trabalho a um rabino do século II, Shimon bar Yochai, que foi uma verdadeira lenda judaica durante a época da perseguição romana. Dizia-se que o rabino Shimon ter-se-ia escondido em uma caverna por 13 anos, estudando a Torá com seu filho, Eleazar, [2] e que, durante esse tempo, o rabino fora inspirado por Deus para escrever o Zohar. A obra teria permanecido oculta durante muitos séculos, tendo sido publicado somente no Século XIII, por Moshe de León.

Porém, um historiador do século XX, Gershom Scholem, com base em contos contemporâneos de De León e em evidências contidas nos textos do Zohar (sintaxes do idioma espanhol, por exemplo) concluiu que De León teria sido o seu verdadeiro autor. As suspeitas surgiram pelo fato de o Zohar se referir a eventos históricos de um período pós-talmúdico, embora supostamente o texto fosse de uma época anterior. Isto fez com que o autoria fosse questionada desde o início. Segundo a tradição, após a morte de Moisés de León, um homem rico de Ávila, chamado Joseph, ofereceu à viúva de Moisés de León - que não tinha nenhuma forma de sustento, após o falecimento do marido - uma grande soma de dinheiro pelo original da obra, do qual seu marido havia feito uma cópia. Então, ela teria confessado que seu marido era mesmo o autor do trabalho e que, por várias vezes, ela havia perguntado o porquê de ele creditar os próprios ensinamentos a outro. O marido sempre respondia que as doutrinas de Shimon bar Yochai, se colocadas publicamente, poderiam ser um trabalho milagroso e também uma rica fonte de lucros.

A obra ainda suscita controvérsias entre os judeus ortodoxos e os não ortodoxos. [3] [4]

Referências

  1. Cabalá - O que é o Zohar?
  2. Rabbi Shimon Bar Yochai
  3. ZOHAR (também chamado na literatura antiga Midrash ha-Zohar e Midrash de-Rabbi Shim'on ben Yoḥai), por Joseph Jacobs e Isaac Broydé (em inglês).
  4. The Zohar's Mysterious Origins, por Moshe Miller. O autor sustenta que o Zohar, como o Talmud, foi um produto de várias gerações de mestres e seus discípulos.

Traduções para o português[editar | editar código-fonte]

  • Raigorodsky, Diego, trans. Zohar: Texto Integral (1 vol. até o momento). São Paulo: Annablume, 2013. (O primeiro volume de prováveis seis volumes. Trata-se da primeira tradução em português direta do aramaico composta pelo texto integral da obra)

Traduções para o inglês[editar | editar código-fonte]

  • Matt, Daniel C., trans. Zohar: Pritzker Edition (3 vols. to date). Stanford: Stanford University Press, 2004-2006. (The first three volumes of a projected 12-volume, comprehensively-annotated English translation)
  • ____. Zohar: Annotated and Explained. Woodstock, Vt.: SkyLights Paths Publishing Co., 2002. (Selections)
  • ____. Zohar: The Book of Enlightenment. New York: Paulist Press, 1983. (Selections)
  • Scholem, Gershom, ed. Zohar: The Book of Splendor. New York: Schocken Books, 1963. (Selections)
  • Sperling, Harry and Maurice Simon, eds. The Zohar (5 vols.). London: Soncino Press, 1931-34. (The only complete English translation)
  • Tishby, Isaiah, ed. The Wisdom of the Zohar: An Anthology of Texts (3 vols.). Translated from the Hebrew by David Goldstein. Oxford: Oxford University Press, 1989.
  • Yochai, Rav Shimon bar. The Zohar. By Rav Shimon bar Yochai, with the sulam commentary by Rav Yehuda Ashlag, edited and compiled by Rabbi Michael Berg. New York: The Kabbalah Centre International Inc, 2003. 23 v.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre religião é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.