Anundo Jacó da Suécia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde setembro de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Anundo Jacó
Rei da Suécia
Reinado c. 1022 a 1050
Antecessor(a) Olavo
Sucessor(a) Emundo
 
Esposa Grunhilda Haraldsdóttir
Descendência Gyda da Suécia
Casa Munsö
Nascimento c. 25 de julho de 1008
Morte 1050 (42 anos)
Pai Olavo da Suécia
Mãe Astrid dos Obotritas

Anundo Jacó (Anund Jakob; c. 25 de julho de 1008c. 1050), também conhecido com Anund Kolbränna ou Emund gamle, foi rei da Suécia de aproximadamente 1022 até à sua morte em 1050. Era o filho mais velho do rei Olavo o Tesoureiro com sua esposa Astrid dos Obotritas.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Provavelmente nascido com o nome Jacó, aquando da sua eleição pelo conselho sueco da altura (o Ting) como co-governante da Suécia, o povo levantou objecções ao seu nome não-escandinavo. Assim, ganhou o primeiro nome Anundo, dado a governantes cujos nomes eram difíceis de pronunciar.

O cognome Kolbränna ("o queimador de carvão") deverá ter existido devido ao seu hábito de assassinar adversários queimando-os vivos nas suas habitações. Este cognome aparece numa antiga lista de monarcas no texto provincial de direito Västgötalagen.

Anundo Jacó tinha como objectivo político manter o equilíbrio de poder na Escandinávia. Assim, ele apoiou os reis noruegueses Olavo II e magno contra o rei dinamarquês Canuto, o Grande, durante os anos 1020 e 30 do século XI. Anundo e Olavo foram derrotados por Canuto na batalha de Helgeå, tendo este consequentemente dominado a zona em redor do lago Mälaren. Esta zona, que compreende a actual capital da Suécia, Estocolmo, era estrategicamente importante, e Canuto mandou cunhar a sua moeda numa das principais cidades da zona, Sigtuna.

Quando Magno I se tornou rei da Noruega e Dinamarca em 1042, Anundo Jacó apoiou-o até à morte de Magno, em 1047.

Referências

  1. Örjan Martinsson. «Olof Skötkonung» (em sueco). Tacitus.nu. Consultado em 16 de novembro de 2016. 
Precedido por
Olavo
Reis da Suécia
1022-1050
Sucedido por
Emundo
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.