Ares e Bares de Fronteira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ares e Bares de Fronteira
Álbum de estúdio de UHF
Lançamento Agosto de 1983
Gravação 20 de junho a 21 de julho de 1983, Estúdios RT1, Lisboa
Gênero(s) Rock
Duração 22:26
Idioma(s) Português
Formato(s) Mini LP, MC
Editora(s) Rádio TriunfoOrfeu
Produção António Manuel Ribeiro
Cronologia de UHF
Persona Non Grata
(1982)
Puseste o Diabo em Mim
(1984)
Singles de Ares e Bares de Fronteira
  1. "De Carrocel [1]"

Ares e Bares de Fronteira é o quarto álbum de estúdio, em formato mini LP, da banda portuguesa de rock UHF. Editado em agosto de 1983 pela Rádio TriunfoOrfeu.[2][3]

A primeira edição esgotou rapidamente.[4] O álbum reflete as sombras do Estado da Nação, a austeridade que Portugal vivia com a entrada do Fundo Monetário Internacional (FMI) em 1983. Tudo ficou mais caro e a nova editora discográfica tornou-se um paraíso perdido. São canções que revelam uma fase negativa na vida pessoal do vocalista António Manuel Ribeiro.[5] A banda voltou a experimentar a sonoridade do sintetizador, à semelhança do que fizeram no mini LP Estou de Passagem (1982).

O tema "De Carrocel" [1] é um texto político elaborado contra a neblina nacionalista que o álbum "Mãe", dos Heróis do Mar, simbolizava nessa altura. O tema causou algum desconforto numa sociedade que começava a aprender a viver em liberdade. Foi o single de apresentação do álbum. A canção "Chris" – escolhida para lado B do single – teve o solo da guitarra do Renato Gomes cortado, para poder caber no tamanho de 45 rotações.[6] O tema "Devo Eu", o maior sucesso do álbum, invoca a atração fatal entre o autor e a sua musa inspiradora, sob o olhar dos poetas do romantismo.[7] A faixa "Celulóide (para Ian Curtis)" é um tributo ao músico inglês Ian Curtis, que faleceu no dia 18 de maio de 1980, vítima de um equívoco chamado paixão. Uma canção melancólica e depressiva, fiel ao estilo musical dos Joy Division.[8]

Na digressão, os UHF totalizaram 72 concertos em todo o país, apesar das dificuldades económicas que Portugal atravessava com a crise instalada.[9] Nos concertos ao vivo a banda voltou a apostar no segundo guitarrista, à semelhança do que fizeram em 1979. Desta vez, convidaram Francis, que tinha deixado os Xutos & Pontapés, mas esteve pouco tempo na banda.[10] O baixista e co fundador Carlos Peres, abandonou os UHF depois do concerto no dia 29 de outubro de 1983 na Praça Humberto Delgado, no Porto. Foi o fim de uma era, a quebra do quarteto maravilha. Entrou José Matos para o seu lugar.[5][11]

Lista de faixas[editar | editar código-fonte]

O mini álbum de vinil (mini LP) é composto por cinco faixas em versão padrão. Renato Gomes partilha a composição com António Manuel Ribeiro nos temas "Devo Eu" e "Chris". Os restantes temas são da autoria de António Manuel Ribeiro.

Lado A
N.º TítuloCompositor(es) Duração
1. "De Carrocel"  António M. Ribeiro 4:24
2. "Eu Sei Recomeçar"  António M. Ribeiro 4:20
3. "Devo Eu"  António M. Ribeiro / Renato Gomes 3:29
Lado B
N.º TítuloCompositor(es) Duração
1. "Chris"  António M. Ribeiro / Renato Gomes 5:48
2. "Celulóide (para Ian Curtis)"  António M. Ribeiro 5:05
Duração total:
22:26
Canção marcada pelo sintetizador. Fala da festa da vida e do novo rumo da Nação, contrariando o status quo português do sofrimento e dos xailes negros.[12]

Problemas para escutar este arquivo? Veja a ajuda.

Membros da banda[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «De Carrocel (single)». Spirit Of Rock. Consultado em 8 de outubro de 2014 
  2. «Ares e Bares de Fronteira (mini LP)». Discogs. Consultado em 12 de agosto de 2013 
  3. a b c d e «Ares e Bares de Fronteira-Registo sonoro». Bibliotecas Municipais do Porto. Consultado em 8 de outubro de 2014 
  4. «UHF Biografia». Música Portuguesa-Anos 80. Consultado em 29 de outubro de 2014. Arquivado do original em 10 de junho de 2007 
  5. a b Ribeiro, António (2014). Por Detrás do Pano. Avenida da Liberdade 166 1º andar 1250-166 Lisboa: Chiado Editora. p. 63-65. ISBN 978-989-51-2692-7 
  6. Ribeiro, António (2014). Por Detrás do Pano. Avenida da Liberdade 166 1º andar 1250-166 Lisboa: Chiado Editora. p. 140. ISBN 978-989-51-2692-7 
  7. Ribeiro, António (2005). Cavalos de Corrida–A Poética dos UHF. Quinta da Graça, Bela Vista, 1950-219 Lisboa: Setecaminhos. p. 63. ISBN 989-602-073-6 
  8. Ribeiro, António (2005). Cavalos de Corrida–A Poética dos UHF. Quinta da Graça, Bela Vista, 1950-219 Lisboa: Setecaminhos. p. 65. ISBN 989-602-073-6 
  9. Ribeiro, António (2014). Por Detrás do Pano. Avenida da Liberdade 166 1º andar 1250-166 Lisboa: Chiado Editora. p. 65. ISBN 978-989-51-2692-7 
  10. Ribeiro, António (2014). Por Detrás do Pano. Avenida da Liberdade 166 1º andar 1250-166 Lisboa: Chiado Editora. p. 239. ISBN 978-989-51-2692-7 
  11. Luís Pedro Ferreira (28 de junho de 2009). «UHF em Vila Nova de Poiares». Alveite Grande. Consultado em 13 de maio de 2014 
  12. Ribeiro, António (2005). Cavalos de Corrida–A Poética dos UHF. Quinta da Graça, Bela Vista, 1950-219 Lisboa: Setecaminhos. p. 61. ISBN 989-602-073-6 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]